Banner superior
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Portugueses no pelotão principal da Volta a França do Futuro

Os quatro corredores portugueses, que representam a Equipa Portugal terminaram ontem no pelotão principal a quarta etapa da Volta a França do Futuro, uma viagem de 158,2 quilómetros, entre Mauriac e Espalion.

Volta a França do Futuro

Uma fuga de oito corredores, formada na fase inicial e mais montanhosa da etapa, com cerca de 20 quilómetros percorridos, arrebatou o protagonismo na tirada. Os escapados chegaram a ter cerca de quatro minutos de vantagem e o pelotão, que poderia ter perseguido para proporcionar uma chegada aos sprinters, não reagiu a tempo.

A inoperância do pelotão permitiu o sucesso dos fugitivos e mais uma vitória de etapa para a Grã-Bretanha, desta vez por intermédio de Fred Wright. O segundo foi o suíço Joel Suter e o norueguês Søren Wærenskjold fechou o pódio, ambos com as mesmas 3h54m44s do vencedor.

portugueses

Portugueses chegam inseridos no pelotão

O pelotão gastou mais 2m05s e foi nesse grande grupo que chegaram os quatro portugueses, representantes de Portugal: Gonçalo Carvalho, 61.º, Francisco Campos, 65.º, Guilherme Mota, 73.º, e Jorge Magalhães, 103.º.

A fuga não foi apenas determinante para a decisão da etapa, provocando também a mudança no topo da geral, agora encimada pelo francês Simon Guglielmi, com 1 segundo de vantagem sobre o italiano Giovanni Aleotti e 42 segundos relativamente ao anterior camisola amarela, o norueguês Tobias Foss.

Gonçalo Carvalho continua como melhor português, tendo ontem subido uma posição, para o 62.º lugar, a 4m33s do primeiro. Seguem-se Guilherme Mota, 64.º, a 4m51s, Jorge Magalhães, 71.º, a 5m37s, e Francisco Campos, 120.º, a 17m11s.

A Equipa Portugal é a 19.ª classificada entre as 26 equipas que iniciaram a competição.

Sobe e desce na quinta etapa

A quinta etapa, a disputar nesta segunda-feira, será um desafio de média montanha para o pelotão. Praticamente todos os 158,9 quilómetros, entre Espalion e Saint-Julien-Chapteuil, serão em sobe e desce.

Texto: União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta