Urban Trail de Caminha grandes paisagens

Urban Trail

Os meses de Março e Abril são por norma, meses muito preenchidos do calendário anual de atletismo com as várias meias-maratonas e maratonas da Primavera a terem lugar. No primeiro fim de semana de Março, o foco virou-se para o trail, com a participação no Urban Trail de Caminha que proporcionou aos atletas uma prova com paisagens deslumbrantes.

Urban Trail de Caminha

O I Urban Trail de Caminha aconteceu no domingo (3) de março pelas 9:30 horas e foi uma organização da “ON MOVING Turismo e Eventos”. Aos que desejavam participar no evento, havia duas propostas, o trail cronometrado na distância de treze quilómetros e a caminhada sem fins competitivos na distância de sete quilómetros. Em ambas, o percurso percorria troços urbanos, havendo também parte florestal, caminhos sinalizados, escadarias, piso acidentado, trilhos, estradões e obstáculos naturais.

A equipa de OPraticante.pt esteve presente no evento e agora apresentamos as notas como tudo decorreu.

Percurso de duas facetas e com grandes paisagens

O percurso competitivo do Urban Trail de Caminha pode-se dividir em duas fases. A primeira fase, a subida ao Monte de Santo Antão e a segunda fase, a posterior descida do monte rumo à vila local.

A prova teve partida e chegada no Parque 25 de Abril tendo como panorâmica de fundo o desaguar do rio Coura no rio Minho. Os primeiros quilómetros de prova desenrolaram-se por entre ruelas e subidas do centro da vila com o pelotão ainda a seguir compacto.

 

 

Por volta do terceiro quilómetro é que começaram os verdadeiros desafios, com o trajecto a sair da vila e a dirigir-se para o local central da prova, o monte de Santo Antão, lugar marcante da toponímia local e cujas vistas fazem jus à fama.

A subida ao topo envolveu vários segmentos, subida por escadas, trajectos em via antiga e trajectos em monte mas o segmento mais duro, esse sim estava previsto para o último quilómetro de subida por um percurso recheado de pedra escorregadia que criou algumas dificuldades.

O segmento era de tal forma trabalhoso que só quando se parava é que se tinha noção do quanto se tinha subido e nas nossas costas, uma vista fabulosa do estuário do Rio Minho, que não se pode descrever com palavras, somente estando lá para observar.

Nuno Fernandes de OPraticante.pt aqui na frente

 

Vista fabulosa do estuário do Rio Minho

No topo do monte, situado mais ou menos ao quilómetro seis da prova, estava o abastecimento e por entre o recarregar de energias, havia momentos para se deslumbrar da outra vista do alto, agora para a foz do rio Minho e com Espanha ao fundo.

A segunda fase da prova consistia no regresso à vila e depois de uma alta componente de subida, agora seria tempo de descer a bom descer até cerca do quilómetro dez da prova. A descida foi feita em estradão, alcatrão e somente no quilómetro nove do percurso é que se corria em algum terreno florestal.

A partir do quilómetro dez de prova, o percurso já decorria novamente entre as ruelas da vila e com passagem pela muralha de Caminha que proporcionou uma última vista sobre a vila até ao término da prova no Parque 25 de Abril.

Em suma, o percurso do I Urban Trail de Caminha, exceptuando o segmento final da subida ao monte de Santo Antão foi um percurso acessível para todos os atletas que primou pelas excelentes paisagens que rodeiam esta vila raiana do Alto Minho e que certamente fez as delícias de quem nele participou. No total, foi um percurso de treze quilómetros com um acumulado positivo a rondar os 450m.

Adriano Morais vence I Urban Trail de Caminha

O grande vencedor desta prova foi Adriano Morais em representação da MSP/Padela Natural – Team/Fisiofreixo com 1h01min09s. O atleta cortou a linha de meta com um ligeiro avanço sobre os restantes atletas do pódio, sendo eles Ruben Veloso da Academia Desportiva Arcos de Valdevez com 1h01min40s e Manuel José Bessada da Correr por Monção com 1h01min55s.

Ana Queirós vence competição feminina

Na vertente feminina da prova, a vitória foi para Ana Queirós com um tempo final de 1h16min54s. A completar o pódio ficaram Marisa Salgado do Ronfe a Correr com 1h18min17s e Isabel Cunha do Cerveira Team Running com 1h18min46s.

Vencedores por escalão

A prova teve vencedores por escalão e estes foram os seguintes:

Na competição masculina venceram Adriano Morais da MSP/Padela Natural Team/Fisiofreixo (Seniores), Luís Silva da Acra Running (Vet40) e Manuel Garcia (Vet55).

Na competição feminina triunfaram Marisa Salgado da Ronfe a Correr (Seniores) e Ana Queirós V40(Vet40).

Equipa mais numerosa

O prémio para a equipa mais numerosa presente no evento foi para a Trail Team Montaria.

OPraticante.pt

A equipa OPraticante.pt esteve representada por Nuno Fernandes que terminou a prova em 100º da geral 45º sénior masculino com um tempo final de 1h53min15seg.

Prova bem organizada, mas pouco participada

O I Urban Trail de Caminha teve o seu quartel general no parque 25 de Abril onde para além da partida e chegada das provas, decorreu aí a entrega de prémios. O secretariado estava colocado numa loja desportiva adjacente ao parque.

A entrega do dorsal decorreu sem demoras e com um staff simpático e atencioso presente. Aquando do levantamento, os atletas recebiam um saco plástico com uma t-shirt técnica branca alusiva à prova, folhetos promocionais e um porta chaves da promotora do evento. Após o término da prova, os atletas recebiam a medalha de finisher.

Em termos organizativos da prova, nada de errado, sem ter a apontar, desde o inicio a fim da prova, todos os elementos da organização foram sempre prestáveis. Secretariado expedito, voluntários no percurso que apoiavam os atletas e os elementos presentes nos abastecimentos foram sempre incansáveis e a proporcionar o melhor aos presentes, inclusive uma palavra aos fotógrafos presentes e ao trabalho por eles desenvolvido.

Organização 5 estrelas

Pessoalmente, fiquei um tanto ou pouco desiludido com o ambiente antes da prova, chegado uns trinta minutos antes da prova, não se via sinal que iria acontecer uma prova desportiva no local. Somente perto do local é que se viam alguns insufláveis e gradeamento ainda a serem colocados, mas animação nenhuma.

Somente a cinco minutos da partida é que se ouviu o speaker da prova e a ideia que se ficou é que não ia acontecer uma prova de trail mas sim que um conjunto de amigos se juntou para fazer um treino mais durinho ao domingo de manhã.

A prova teve um total de 128 atletas finalizadores na prova de trail e a presença na caminhada também não foi por aí além. Assim, podemos dizer que o evento em si deve ter tido no global cerca de 200 participantes. Para uma primeira edição, não cabe a mim, dizer se o número foi bom ou mau, cabe isso sim à organização que certamente tinha a suas estimativas de adesão para o evento.

Percurso bem sinalizado

Antes da saída da prova, o speaker anunciou e mostrou a fita que sinalizava o percurso da prova e pediu atenção já que algumas fitas poderiam ter voado com o vento forte que se fazia sentir. Na verdade, não verifiquei a falta de fitas. Todo o percurso estava devidamente assinalado e com todos os cruzamentos assinalados por placas. Em certos locais, havia ainda placas indicativas seja de zona de abastecimento, seja de zona perigosa, seja de separação de provas.

Destaque ainda para a presença de autoridades a controlar o trânsito nas zonas de grande tráfego automóvel.

Prova com bons abastecimentos

O Urban Trail de Caminha tinha anunciado no seu regulamento a existência de dois abastecimentos no seu percurso, 1 de sólidos e líquidos ao quilómetro 6 e 1 de líquidos ao quilómetro 9. A organização esmerou-se e colocou ambos com sólidos e líquidos e nos dois havia uma grande diversidade de alimentos para os atletas retemperarem energias. No que toca ao abastecimento final, este também foi rico e onde os atletas até uma quentinha canja de galinha tiveram direito.

Urban Trail de Caminha, uma prova belíssima que merece ser divulgada

O atleta que participou no Urban Trail de Caminha certamente leva na sua memória uma prova bem organizada e as excelentes paisagens que deslumbrou durante o percurso.

Para uma primeira edição da prova, podemos dizer que foi uma prova bem conseguida. Nenhum ponto verdadeiramente negativo há a apontar, a organização aplicou-se para apresentar a melhor prova possível, o percurso foi do agrado geral e acho que todos saíram satisfeitos.

Filipe Rodrigues – Director do evento

Esta é uma prova que merece sem dúvida alguma voltar a ter uma próxima edição no ano seguinte e com as melhorias que a promotora ache necessário para aumentar a adesão de atletas. A aposta na divulgação do evento é necessária.

Por ultimo um agradecimento aos fotógrafos Bia Martins e Marco Barbosa pela sua cooperação com o nosso projecto, e deixar-vos o convite para visualizarem as maravilhosas fotos efectuadas por ambos.

[dividir ícone = “círculo” width = “medium”]

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: Bia Martins / Marco Barbosa

Parceiros