Zdenek Kolar obtém primeiro título da sua carreira em Oeiras

Zdenek Kolar

Zdenek Kolar e Gastão Elias

O checo Zdenek Kolar (246.º ATP) sagrou-se campeão do primeiro ATP Challenger 50 Oeiras Open organizado pela Federação Portuguesa de Ténis no Complexo Desportivo do Jamor, em Oeiras, ao derrotar o português Gastão Elias (358.º) na final deste domingo.

Texto: Gaspar Ribeiro Lança
Fotos: Sara Falcão

Sitio oficial do evento.

Zdenek Kolar vence Gastão Elias e conquista o primeiro Oeiras Open

De regresso a decisões de singulares a este nível pela primeira vez desde 2016, o tenista checo de 24 anos apresentou-se com nervos de aço para quebrar o bom momento do tenista da casa, ao vencer por 6-4 e 7-5 para conquistar o primeiro título Challenger da carreira em singulares.

Numa final decidida em duas partidas, Gastão Elias esteve próximo de forçar uma terceira, mas sofreu de imediato o contra-break no momento em que serviu para fechar o segundo set, num momento que foi reflexo do que se passou ao longo dos 110 minutos de jogo.

Gastão Elias “…era uma grande oportunidade…”

Na conferência de imprensa, Elias lamentou não ter estado ao seu melhor nível, mas atribuiu crédito ao oponente checo: “A semana não deixa de ser positiva por causa de um jogo, que não foi mau de todo, mas não estive perto do meu melhor ténis.

Há que dar mérito ao meu adversário, ele estava muito confiante e arriscou em bolas em que normalmente não arrisca.

Estava à espera de um adversário um pouco mais defensivo, mas no ténis vai-se ganhando confiança e soltando o braço e a realidade é que ele jogou bastante bem.

E apesar da derrota, a 11.ª em 18 finais Challenger, fez um balanço positivo desta primeira semana no Estádio Nacional do Jamor: “Não fazia cinco jogos consecutivos em terra batida há muito tempo e acabei o torneio sem lesões.

Fiz cinco encontros intensos, portanto é uma semana muito positiva.

Fico muito frustrado e ressabiado por ter perdido hoje, porque era uma grande oportunidade e porque me considero melhor do que o meu adversário de hoje.

Zdenek Kolar

“Este título ficará na minha memória toda a minha carreira…” Zdenek Kolar

Por sua vez, o discreto, mas muito simpático Zdenek Kolar prometeu nunca esquecer esta semana no Oeiras Open: “Este título ficará na minha memória toda a minha carreira e toda a minha vida.

Com 24 anos, o checo afirmou ter sido “uma semana fantástica para mim e estou feliz por conseguir o título em Portugal, um país bastante agradável.

O sentimento por ganhar é extraordinário e só tenho a agradecer à organização e a todas as pessoas muito simpáticas com que me cruzei”.

Henrique Rocha conquistou o primeiro ponto ATP da carreira no Oeiras Open 2

Concluído o Oeiras Open 1, a atenção centra-se no Oeiras 2, que arrancou este domingo com os primeiros encontros da fase de qualificação e duas vitórias portuguesas.

O primeiro a seguir em frente foi Luís Faria, que logo pela manhã aplicou os parciais de 6-3 e 7-6(5) ao ucraniano Vladyslav Orlov (366.º do ranking ATP) para voltar a somar uma das melhores vitórias da carreira e repetir a prestação de há uma semana.

Para ir um passo mais longe e chegar pela primeira vez ao quadro principal de um torneio Challenger enquanto qualifier, o vimaranense que faz parte do Centro de Alto Rendimento da Federação Portuguesa de Ténis terá de passar pelo francês Evan Furness (340.º), que alcançou as meias-finais do primeiro Oeiras Open.

Depois, Miguel Gomes não conseguiu contrariar o favoritismo do italiano Raul Brancaccio (362.º ATP) e perdeu por 6-1 e 6-1.

Mas ainda houve tempo e espaço para o dia terminar com mais uma alegria para as cores nacionais: em pleno court central do Estádio Nacional do Jamor, Henrique Rocha conquistou o primeiro ponto ATP da carreira.

Com apenas 16 anos, o jogador natural da Maia superou o norte-americano Nick Chappell (número 355 mundial e quarto cabeça de série) em duas partidas, por 6-4 e 6-2, num encontro que dominou do início ao fim.

Sinceramente não estava completamente à espera de jogar estes dois Challengers, porque ainda não é propriamente o meu nível, mas ter estas oportunidades foi fantástico e aproveitar desta maneira para ganhar o meu primeiro ponto ATP num Challenger tem outro significado”, revelou, já em conferência de imprensa.

Segue-se Pedro Cachín, argentine que já esteve no top 180 do ranking, mas ocupa atualmente o 361.º lugar.

Parceiros

Deixe uma resposta