À conversa com Mariana Almeida Vice Campeã Europeia

Mariana Almeida

OPraticante.pt esteve à conversa com Mariana Almeida que recentemente se sagrou Vice Campeã da Europa, e logo a seguir obteve um 3º lugar no Campeonato do Mundo, para saber um pouco mais da sua vida pessoal, desportiva e dos seus objetivos

Página da atleta

Mariana Almeida de Prata no Europeu

Um Campeonato Europeu onde conquistou a sua primeira medalha, e nos confessou o que sentiu no momento:

Foi sem dúvida um sentimento fantástico! Para além de ter sido a minha primeira medalha em campeonato da Europa (até então só tinha medalha em taça da Europa).

Teve um significado especial porque cumpri com os meus programas e com os meus objetivos pessoais para aquela prova.

Mais do que a classificação em si, tudo o que está por trás da medalha tem um significado ainda maior , porque foi o concretizar de um sonho, e receber a recompensa de tantos meses de trabalho árduo!

Um momento único na carreira da atleta – Foto cedida pela atleta da autoria de Raniero Corbelletti Photographie

E no Mundial veio a medalha de Bronze

Sobre o mundial, descreveu-o “

Como já disse foi um sonho tornado realidade! Entrar naquele pavilhão pela primeira vez foi uma sensação incrível, foi super emocionante sentir que estava ali, a realizar o meu sonho de menina, para fazer aquilo que mais gosto- patinar!

E desde o princípio até ao fim do campeonato sempre foi esse o meu foco! Patinar, divertir-me, cumprir com os meus elementos e com os meus programas.

Claro que pensei em classificações, e claro que sonhei, mas isso não foi o meu principal foco, pois sabia que aquilo que me faria sentir verdadeiramente feliz e realizada era acabar cada prova com a sensação de dever cumprido.

Infelizmente não correu como queria , mas deu para a medalha e foi uma aprendizagem que levo comigo com muito carinho!

Mariana Almeida
Mariana Almeida é treinada por Rita Oliveira e Frederico Oliveira

Comparação entre o Europeu e o Mundial

Sobre a emoção que sentiu no Europeu e no Mundial, se foi igual ou qual dos momentos o mais importante para a sua vida, respondeu-nos:

Não consigo distinguir dessa forma… foram experiências únicas, ambas com muito valor, de forma diferente!

Senti-me mais realizada no campeonato da Europa, por ter feito provas muito boas, por isso posso dizer que me deixou mais feliz o europeu.

O mundial foi uma experiência de outra dimensão!

Fazer prova num palco daqueles é muito diferente do que achava.

E teve muito valor ter conseguido dar a volta à situação… então, o mundial foi uma prova de superação!

Mariana Almeida
No seu inicio na patinagem

Mariana Almeida começou aos 4 anos de idade. A sua “tia” era treinadora no GCO, e o seu pai também já estava ligado à patinagem há alguns anos.

Então, quando teve a oportunidade de ir experimentar “Lá fui, e desde aí nunca mais parei!

No entanto, ao fim de 9 anos nesse clube, mudei para a AAPPRollersky, clube onde permaneço até agora e pretendo continuar.

Questionada sobre o seu gosto pela modalidade e a sua exigência, obtivemos como resposta “Sem duvida da grande exigência que este desporto exige! Todo o trabalho que é necessário dentro e fora de ringue! É um desporto muito completo!!

Gerir o treino. É preciso dividir bem o tempo de treino para que se consiga treinar todas as partes que constituem este desporto.

Mariana Almeida
Mariana Almeida no decorrer do Mundial – Foto cedida pela atleta da autoria de Raniero Corbelletti Photographie

“Um desporto muito complexo e exigente”

Explicando um pouco da sua prática “Um desporto muito complexo e exigente.

É preciso ter coordenação, equilíbrio, força e flexibilidade.

Patinar é uma sensação fantástica, permite-nos desfrutar do prazer de deslizar, saltar, rodar e dançar, tudo no mesmo desporto!

Deixando o convite para que quem não conhece a modalidade venha assistir a um evento “Porque é um desporto com imensa beleza! É uma espécie de espetáculo de dança, representação e risco, tudo em simultâneo!

Assistir a uma competição permite desfrutar de uma representação de um tema/música, juntamente com a adrenalina de cada elemento técnico e da competição em si.

Sobre o crescimento da modalidade, descreveu “Talvez a aproximação à patinagem de gelo, que está um pouco mais evoluída.

Começaram a aparecer atletas a fazer piões que só então só eram vistos em gelo, bem como algumas variações dos elementos.

O novo sistema de ajuizamento também contribui para o progresso na patinagem de rodas, visto que trouxe um maior valor da parte artística, domínio do patinar, bem como dos novos elementos técnicos e da perfeição com que são executados.

Mariana Almeida dedica agora em tempo de aulas (faculdade) uma média diária de 2 horas de treino por dia de patins, mais ou menos 40 minutos de trabalho físico, com folga ao domingo.

Mariana Almeida
Mariana Almeida no decorrer do Mundial – Foto cedida pela atleta da autoria de Raniero Corbelletti Photographie

Em férias, dedica-se inteiramente à patinagem

Em período de preparação para competições, que coincide com as suas férias, dedica-se inteiramente à patinagem, tendo treinos bi diários e simulações de prova.

Sobre 2020, um ano que a pandemia afetou todos os desportos, descreveu este ano atípico:

Em 2020 não tive provas. No entanto nunca perdi o foco no meu objetivo, que era representar Portugal no campeonato da Europa e do Mundo, apresentando elementos novos e cumprindo com os meus programas.

Mesmo num período de incerteza, nunca deixei de trabalhar, mesmo estando em casa.

Sabia que a pandemia não o durar para sempre, por isso mantive sempre o foco no trabalho para quando regressasse estar pronta para cumprir os meus objetivos.

Claro que quando tudo fechou, fiquei sem patinar, o que veio alterar o nosso processo de treino.

No entanto, usei esse período para me dedicar a melhorar a flexibilidade e a parte física, componentes que em período normal às vezes ficavam para trás.

Sobre os seus objetivos para o futuro, Mariana Almeida referiu que desejava “Tornar-me uma referência para os atletas em geral, quer sejam de patinagem ou não.

Quero conquistar um lugar na história do desporto português e do mundo. Não só pelos resultados, mas também por toda a entrega e paixão por este desporto.

Quanto à patinagem em específico, quero conseguir fazer todos os triplos e todos os piões, pois assim irei sentir-me totalmente realizada neste desporto.

E para concluir, falar um pouco sobre os seus hobbies, “Não tenho muitos hobbies, quando não estou a patinar, estou a estudar ou a treinar no ginásio. Mas quando tenho tempo gosto de ler, ir às compras e cozinhar!

Mariana Almeida com os seus pais, os seus maiores apoiantes

Os pais são o maior apoio da Mariana Almeida

E terminou a falar sobre os seus progenitores e sobre o seu irmão:

A minha mãe é sem dúvida dos meus maiores apoios, e também uma grande inspiração.

Apoia-me em tudo o que preciso, está lá sempre para me guiar, e para me corrigir. Nos piores e melhores momentos, sei que posso contar com ela, sempre!

E mais do que uma mãe, é uma grande amiga na qual confio a 100%!

O meu pai é outro grande apoio. Já está ligado a patinagem há muitos anos e por isso sempre me apoiou muito!

Tem uma personalidade muito forte, que me ensinou a lidar com as adversidades de uma forma eficaz.

Sempre me passou valores de uma boa educação e, como atleta, sempre me ajudou a ter uma mente forte, a ter muita garra e uma atitude de desportista.

É uma grande inspiração para mim, e um grande pilar na minha carreira desportiva.

Já o meu irmão, de forma mais discreta, apoia-me em todas as provas!

Não o demonstra, mas sei que ele sofre imenso com as minhas provas!

Acompanha-me para todo o lado, abdicando de coisas dele para estar ali a apoiar-me, e isso vale ouro!

Mas todos juntos são os meus maiores pilares!

Todos são uma inspiração para mim, pessoas muito fortes de caráter, e das quais me orgulho imenso.

E foi assim que terminámos e desejamos as maiores felicidades a Mariana Almeida, com certeza que brevemente voltaremos a ter oportunidade de a divulgar nos nossos meios de comunicação.

Parceiros

Deixe uma resposta