Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Amarela ao passar por entre os rios, pus o pé, molhei a meia!

A Serra Amarela recebeu a segunda edição do Serra Amarela SkyMarathon, organizado pela Carlos Sá Nature Events em parceria com o Município de Ponte da Barca e a Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal.

Serra Amarela, uma serra com uma beleza ímpar

A aposta conjunta destas entidades na Serra Amarela, enquanto palco deste evento de SkyRunning, surge do reconhecimento das potencialidades fantásticas desta região, com toda a sua beleza e relevo agreste, para a prática da modalidade em franco crescimento em Portugal.

É uma serra com uma beleza ímpar, trilhos técnicos e desafiadores, aldeias e gentes que sabem receber bem, ótima para a prática de desportos na natureza e que vai, com certeza, voltar a surpreender todos os participantes.

Para a edição de 2019 o evento voltou a contar com as mesmas distâncias de 48Km (prova rainha, na vertente de sky Running), 33 Km, 23 Km, 15 km e caminhada.

Este ano o evento contou também, pela 1ª vez, com o Serra Amarela Kids, no qual as crianças entre os 6 e os 17 anos correram pequenas distâncias, de carácter não competitivo, dando oportunidade aos mais novos para experimentar esta modalidade.

Os participantes puderam mais uma vez percorrer os trilhos inóspitos, castelos, rios, vegetação luxuriante e verdejante, com vistas incríveis sobre os espelhos de água da Albufeira de Vilarinho das Furnas e da Albufeira de Tamente, pelas aldeias preservadas; Lindoso, Germil, Paradela, Sobredo, Lourido, Ermida, S. Miguel e Froufe, aldeias que fazem parte deste maciço montanhoso do único Parque Nacional de Portugal – o Parque Nacional Peneda-Gerês!

 

A Freguesia de Entre Ambos-os-Rios, no Município de Ponte da Barca foi mais uma vez a base do evento.

Época desportiva termina por agora ?

E assim termina a época desportiva por agora…. Serra Amarela SkyMarathon, 23,5km 04h45!

Com a prova dos Abutres por terminar (fiquei-me pelos 30 km e 7 horas de prova), pensei, e a época não podia acabar com uma prova a meio, por isso nesta prova fui com o Artur Fonseca ao Gerês.

Nunca tinha feito esta prova, e só depois de me inscrever é que li “Serra amarela skymarathon” e a minha cabeça entrou em pânico: “Skyrunning?? Outra vez?? Vai ser bonito!” Só me lembrava de Cerveira e do que eu sofri, mas o que não tem remédio, remediado está.

06h, despertador, e já estou a pé. Viagem de 1h15 até Ponte da Barca.

Começa o trail e vou em antepenúltimo, mas sempre no encalço nas atletas da frente. Estava bem e rapidamente alcanço as meninas, uma pantera é assim, fica à espreita até ao momento de atacar! Quando passo por elas ouço a pergunta “És o vassoura?”. Ah, estavam com medo de serem as últimas. E respondo “Não, ainda vem gente atrás!”. Os primeiros km eram muito verdes, com riachos e caminhos estreitos.

“ Onde está a serra amarela? ”

Mais à frente a serra começa a impor-se e começamos a subir pela zona da Ermida. E penso “Onde está a serra amarela? pois tudo à minha volta era verde e castanho”.

Volto a reencontrar o Artur e juntos vamos passando alguns atletas. Umas vinhas, umas levadas, uma igreja e chegamos ao 1º abastecimento. Tinha aletria e chocolates Avianense!

Continuamos a subir pela zona de Germil. Não ia sozinha, aqui e ali via-se umas camisolas coloridas a pintar a serra.

Desta vez fiz o trail com música. Pelo menos uma parte. Porque depois do último abastecimento, optei pelo som da natureza e dos passarinhos. Mentira! Eu queria era ir atenta a quem vinha atrás para não ser ultrapassada!

2º abastecimento à vista e mais aletria! O joelho começa a dar de si, mas a alegria de correr é mais forte que a dor (pelo menos para já). Sinto um encontrão, era a Vera Barbosa, pantera companheira que ia em 2º da geral! TOP! Como isso são contas de outro campeonato, continuei.

Por entre espigueiros e mais riachos o caminho seguia tranquilo, na zona de Paradela.

Uns metros mais abaixo uma atleta tinha caído. Entre arranhões e nódoas negras decidiu continuar e não é que até ia à minha frente??

” Então Sapatilhas? “

Na última subida ouço várias vezes “Então Sapatilhas?” Não há nada que me encha mais de orgulho do que ouvir o meu nome!  Com o coração cheio até subi mais depressa!

Desta vez é o Artur que me alcança pois tinha-o deixado no repasto do abastecimento. Continuamos a correr, a conversar, eu já mais a andar com dores no joelho. Passamos mais 3 atletas, mas eu reparei que o Artur não ia confortável a acompanhar o meu passo lento. Disse-lhe “Vai que se estiver bem já te apanho“. E ele foi!

Já faltava pouco para o último abastecimento, aos 18 km, e as decidas incomodavam mais que as subidas.

18 km, abastecimento com??? Acertaram, aletria! Mas também aproveitei o ananás e a melancia que estavam fantásticos! Já só faltam 5 km.

Os últimos km foram feitos junto a um rio (Será que era o Tamente?), por isso andamos de um lado para o outro: atravessa rio aqui, atravessa rio ali! E que bem que soube a água geladinha pela cabeça abaixo! Vejo a atleta que tinha caído com a amiga, passo à frente (não foi bonito, mas trail é trail!!).

Vejo um atleta de camisola azul, passo à frente.

Grão a grão fui subindo a escada do sucesso!

Uma atleta que deslumbrada pelos peixinhos de uma piscina natural, nem viu o que lhe aconteceu quando passei à frente. E por fim, mais uma atleta que tinha me acompanhado no início, e passo mais uma à frente! Grão a grão fui subindo a escada do sucesso!

Subida final e estou na meta. Ah carago (a malta do Norte é muito emotiva!) esta já é minha!

Trail muito bem organizado pelo Carlos Sá, com bons abastecimentos, boas marcações e voluntários simpáticos. Senti a falta dos fotógrafos (Gosta-se sempre de brilhar certo?), só me cruzei com um já a 1 km da meta. Da paisagem apreciei mais os km finais por entre o arvoredo, a água, o rio e o verde.

Não bebo vinho mas obrigada pela garrafa que ofereceram no fim!

Tendo sobrevivido à minha segunda prova de skyrunning de forma mais sorridente e com menos dores do que na primeira, ainda não fico totalmente fã destas provas, mas é um desafio a pensar para o futuro!

Boavista Trail sempre em grande, com reconhecimento das panteras pelos trilhos e no pódio. Parabéns Vera Barbosa pelo 2º lugar da geral e 2º lugar no escalão!

Os grandes vencedores desta magnifica prova foram:

48 km

1º Lugar: Ricardo Silva, EDV Viana Trail com o tempo de 04:47:24
2º Lugar: Mário Fonseca, NAST com o tempo de 04:50:18
3º Lugar: David Quelhas, individual com o tempo de 05:10:00

1º Lugar: Alice Lopes, Ginásio Fit4Fun com o tempo de 06:36:14
2º Lugar: Susana Simões, EDV Viana Trail com o tempo de 06:49:51
3º Lugar: Goreti Correia, EDV Viana Trail com o tempo de 07:02:41

Alice Lopes – Ginásio Fit4Fun

 

33 km

1º Lugar: João Narciso, Olímpico Vianense com o tempo de 03:44:39
2º Lugar: Amândio Freitas, EDV Viana Trail com o tempo de 04:05:20
3º Lugar: Mário Martins, individual com o tempo de 04:05:38

1º Lugar: Elisabete Alves, Trogloditas Runners com o tempo de 04:56:03
2º Lugar: Vera Barbosa, Boavista Trail com o tempo de 04:59:23
3º Lugar: Susana Rodrigues, Clube Atletismo Fafe com o tempo de 05:14:59

Elisabete Alves – Trogloditas Runners

23 km

1º Lugar: Bruno Silva, individual com o tempo de 01:59:46
2º Lugar: Diogo Fernandes, SIM SUMMIT com o tempo de 02:03:53
3º Lugar: Emílio Carvalho, individual com o tempo de 02:04:05

1º Lugar: Renata Gonçalves, Montanha Clube Trail Running/Efapel com o tempo de 02:45:01
2º Lugar: Marina Alves, individual com o tempo de 02:56:16
3º Lugar: Carina Pinho, Ginásio Fit4Fun com o tempo de 03:01:01

15 km

1º Lugar: Nélson Loureiro, individual com o tempo de 01:09:19
2º Lugar: José Miranda, Trogloditas Runners com o tempo de 01:17:39
3º Lugar: Alex Tondela, Montanha Clube Trail Running/Efapel com o tempo de 01:23:09

1º Lugar: Joana Fernandes, Akuafit com o tempo de 01:33:42
2º Lugar: Catarina Dantas, Acra Running com o tempo de 01:42:41
3º Lugar: Cidália Ferreira, Runnig Penafiel Trail com o tempo de 01:43:26

Susana Rodrigues e Andreia Ribeiro

Obrigada Susana Rodrigues pela foto e parabéns pela prova!

Parabéns Rui Pedro Reis pelo pódio!

Vou fazer uma pausa dos trails…. volto qualquer dia!

Não é sobre chegar ao topo do mundo e saber que venceu, é sobre escalar e saber que o caminho te fortaleceu!

Classificações totais.

Texto: Andreia RibeiroOPraticante.pt / Sapatilhas Pensadoras
Fotos: Peneda Gerês TV

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta