Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

António Vital e Silva com melhor resultado da década

Boa abertura portuguesa na Primeira Liga do Campeonato da Europa de Equipas, com destaque para a prestação de António Vital e Silva.

António Vital e Silva «agridoce, pois consegui a melhor prestação dos últimos anos, mas…»

Os portugueses já começaram a competir em Sandnes, na Noruega, na Primeira Liga do Campeonato da Europa de Equipas, e os primeiros pontos foram conseguidos por António Vital e Silva, com um lançamento do martelo a 68,72 metros, logo no primeiro ensaio, naquela que foi a melhor prestação portuguesa na última década nesta competição, ocupando o sexto lugar da classificação, angariando assim seis pontos para Portugal.

No final da sua participação, António Vital e Silva manifestou um sentimento «agridoce, pois consegui a melhor prestação dos últimos anos, mas não consegui um resultado que sei estar a valer. Arrisquei, mas o lançamento não saiu como eu queria. Sabia que teria de lançar bem acima dos 72 metros para chegar aos quatro primeiros, mas ainda não foi agora».

António Vital e Silva igualou o pai

António Vital e Silva estava longe de saber que igualou o pai em número de anos de participação na antiga Taça da Europa (em três anos registou cinco presenças, pois naquela altura havia uma competição eliminatória antes da final).

«Não sabia desse facto», disse o atleta, «orgulhoso pelo percurso do pai e honrado por ele me ajudar a conseguir estar aqui presente, a fazer o meu melhor por Portugal», referiu.

António Vital e Silva
António Vital e Silva

Participação portuguesa

A participação portuguesa começou antes com Daniela Amaro a ser quarta na série B dos 100 metros, prova extra, terminando com a marca de 12,59 segundos (v: -3,7 m/s).

Entretanto, na eliminatória dos 110 m barreiras, Rasul Dabo apurou-se diretamente para a final ao ser terceiro com 14,23 segundos (-1,5), e Olímpia Barbosa também ficou apurada para a final dos 100 metros barreiras, com a marca de 13,85 segundos (quarta na sua série, com vento -0,4 m/s).

Seguiram-se as provas de 100 metros, com Carlos Nascimento a controlar a corrida masculina, terminando em segundo lugar da sua série com a marca de 10,68 (-1,4 m/s), enquanto Lorene Bazolo venceu a sua série (e foi a melhor de todas) em 11,52 segundos (+0,7). A atleta alinhou alguns minutos depois na segunda série dos 200 metros, sendo segunda classificada com 23,76 (-0,8 m/s). Diogo Antunes também se apurou para a final dos 200 metros masculinos ao ser terceiro com a marca de 21,56 segundos (-0,3).

Página do evento.

Sitio oficial do evento.

Texto / foto: Federação Portuguesa de Atletismo

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta