Ciclismo regressa ao Alentejo na 38ª volta à região

A Volta ao Alentejo em bicicleta, cuja edição de 2020 foi cancelada devido à pandemia de covid-19, regressa este ano de 23 a 27 deste mês, com seis etapas, incluindo um contrarrelógio, num total de 819,4 quilómetros de ciclismo.

Visualize também Volta ao Alentejo perde identidade, a 38ª edição será dois em um

Texto: Carlos Neves

O ciclismo de regresso com a 38ª Volta ao Alentejo

A 38.ª edição da “Alentejana”, que foi apresentada esta terça-feira, no auditório municipal de Reguengos de Monsaraz, é organizada pela Podium Events e pela Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC).

A primeira etapa da prova vai ligar, no dia 23, Reguengos de Monsaraz a Beja, num total de 194,5 quilómetros de extensão.

Já a segunda tirada, com 195,5 quilómetros, começa em Almodôvar e tem a meta em Sines, enquanto a terceira etapa disputar-se-á entre Alcácer do Sal e Mora, num total de 173,1 quilómetros.

Para a manhã do dia 26, está prevista a quarta etapa que vai ligar Monforte e Castelo de Vide, numa distância de 85 quilómetros, localidade que recebe, na tarde desse dia, um contrarrelógio individual de 8,4 quilómetros.

A sexta e derradeira etapa terá 162,9 quilómetros e vai ligar Portalegre a Évora, com a meta a estar instalada, uma vez mais, na Praça de Giraldo, a sala de visitas da cidade património mundial.

Durante a apresentação da prova, Carlos Pinto de Sá, na qualidade de presidente da CIMAC e da Câmara Municipal de Évora, enalteceu a organização da prova como uma demonstração da capacidade de organização dos municípios alentejanos em colaboração com a PODIUM.

ciclismo

A Volta ao Alentejo em Bicicleta abraçou o Povo e o Povo tomou-a como sua

Criada pelo Poder Local Democrático na sequência da Revolução libertadora de Abril, a Volta ao Alentejo em Bicicleta inseriu-se num vasto movimento de democratização do desporto e de valorização da atividade física que percorreu a Região.

Projeto então inovador, era-o pela conceção e cooperação intermunicipal que juntava eleitos, técnicos e outros trabalhadores dos Municípios que faziam de cada edição da Volta uma festa do desporto, uma lição de amizade e competição saudável, uma janela de promoção do Alentejo, do seu Povo, da sua identidade. A Volta ao Alentejo em Bicicleta abraçou o Povo e o Povo tomou-a como sua.

E, assim, se firmou como a Alentejana”.

ciclismo

Alentejana esteve em risco mas soube evoluir

A Alentejana esteve em risco mas soube evoluir, adaptar-se aos tempos, internacionalizar-se, afirmar-se como uma das grandes provas do ciclismo nacional e manter a sua identidade.

E, aí está, na paisagem, nas estradas, aldeias, vilas e cidades alentejanas mais uma edição da Alentejana, sacudindo a pandemia Covid-19 e levando o Alentejo mais longe”, disse ainda.

O presidente da Camara Municipal de Reguengos de Monsaraz, José Calixto, na qualidade de anfitrião e autarca do município que recebe o início da competição referiu-se à nobreza do ciclismo que todos os anos contagia as gentes alentejanas. “É com muita satisfação que Reguengos de Monsaraz recebe a apresentação da Volta ao Alentejo.

Teremos também a honra de ver as primeiras pedaladas da “Alentejana” com a etapa inaugural a partir de Reguengos de Monsaraz.

Em nome de todos os Reguenguenses quero desejar as maiores felicidades para a organização e para os ciclistas que vão percorrer as estradas do Alentejo”.

19 equipas, 133 ciclistas, o ciclismo em força no Alentejo

O diretor de prova, Joaquim Gomes, resume numa declaração os mais de oitocentos quilómetros onde vão competir 19 equipas. “Com renovado orgulho, na profícua colaboração com os Municípios, Comunidades Intermunicipais, Entidade Regional de Turismo do Alentejo, Patrocinadores e restantes Parceiros, apresentamos mais uma edição da “Alentejana” plena de interesse desportivo e promocional de um território a todos os níveis fantástico.

Participam na 38ª edição da Volta ao Alentejo em Bicicleta, cujo último vencedor foi João Rodrigues (W52/FC Porto), 19 equipas, 12 portuguesas e 7 estrangeiras, num total aproximado de 133 ciclistas.

Das formações presentes, destaque natural para a Crédito Agrícola – Almodôvar, conjunto que tem sede nesta localidade alentejana.

Na sua história, a Volta ao Alentejo já teve como vencedores alguns dos maiores nomes do ciclismo:

Miguel Indurain, Aitor Garmendia, Asiat Saitov, Melchior Mauri, José Luís Rubiera, Laszlo Bodrogi, Xavier Tondo, David Blanco, Carlos Barbero, Maxime Bouet, Paulo Ferreira, Manuel Zeferino, Marco Chagas, Joaquim Gomes, Fernando Carvalho Luís Mendonça e João Rodrigues que depois de vencer a “Alentejana” ganhou a Volta a Portugal.

Parceiros