Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Coimbra o encanto e recordes da São Silvestre

O mês de Dezembro decorre na sua normalidade agitada de período pré-festivo. Enquanto a maioria das pessoas percorre a ruas na procura das melhores prendas, o atletismo seguiu o seu calendário normal com mais um punhado de corridas São Silvestre e a que tem destaque neste artigo é uma das mais antigas e que decorre numa das cidades portuguesas mais emblemáticas, falamos da São Silvestre de Coimbra.

Coimbra

42ª São Silvestre de Coimbra

A 42ª São Silvestre de Coimbra foi uma organização da Escola de Atletismo de Coimbra / A. R. Casaense, em parceria com a Câmara Municipal de Coimbra e da Associação Distrital de Coimbra, a que “OPraticante.pt” se encontrou associado como média. A compor o evento esteve uma corrida cronometrada na distância de dez quilómetros, a caminhada na extensão de quatro quilómetros e ainda corridas jovens.

A equipa de “OPraticante.pt” esteve presente no evento e agora apresentamos todas as notas como decorreu o evento.

Coimbra

Percurso de duplo perfil nas ruas de Coimbra

A 42ª São Silvestre de Coimbra teve partida e chegada na Rua Infanta Dona Maria junto ao Pavilhão Multidesportos Dr. Mário Mexia e aos atletas era proposto um percurso a uma só volta em direcção à baixa coimbrã e com regresso ao local de partida.

Após o tiro de partida, os atletas desciam junto ao Estádio Cidade de Coimbra e logo viravam à direita para percorrer as ruas emblemáticas do Calhabé.

Os quilómetros seguintes teriam como ponto central a rua do Brasil com uma ida à Rotunda dos Nogueiras onde se faria o retorno para voltar a percorrer a rua do Brasil até à baixa de Coimbra onde junto ao Largo da Portagem os atletas faziam uma viragem à direita. Nesta primeira fase da prova, o perfil da prova era de boa facilidade.

Coimbra

A longa subida na Avida Sá da Bandeira

Após a passagem pela igreja de São Tiago, de Santa Cruz e pela Câmara Municipal, o percurso rumava até à Rua Sofia e Fernão de Magalhães onde se fazia o retorno e aí começava a surgir a parte mais trabalhosa da prova com as ascensões da Rua Olímpio Nicolau Rui Fernandes e da Avenida Sá da Bandeira que deixou muitos atletas a arfar.

Nova incursão à direita fazia os atletas passarem ao lado das monumentais escadas da Universidade de Coimbra e por de debaixo do Aqueduto de São Sebastião.

Após este ponto, estavam ultrapassadas as principais dificuldades e com a passagem junto ao jardim botânico, os atletas desciam pela Alameda Dr. Júlio Henriques até junto do Estádio Cidade de Coimbra onde voltavam a subir para terminarem a sua prova.

Coimbra

O percurso da São Silvestre de Coimbra é um percurso muito interessante e equilibrado para uma corrida nocturna. Com um trajecto que não é de todo monótono, já que tem um constante interessante sobe e desce, os atletas são levados a percorrerem algumas das ruas mais históricas e a passarem junto de alguns dos locais mais emblemáticos da cidade.

A prova tem o seu nível de dificuldade, com a longa subida a partir do sétimo quilómetro, mas no final de contas torna-se um excelente desafio de corrida e a fazer jus ao slogan de promoção da prova, de que é uma das São Silvestres mais duras do país.

Coimbra

“Padrinho” Licínio Pimentel vence 42ª São Silvestre de Coimbra

O grande vencedor da 42ª São Silvestre de Coimbra foi o “padrinho” da prova, Licínio Pimentel com 29:00min. O atleta que representa o Sporting Clube de Portugal venceu a prova pela terceira vez depois de ter vencido em 2009 e em 2018. A completar o pódio ficaram João Valente da Escola Atletismo Coimbra/JPaiva com 29:07min e Rui Pedro Silva do Sporting Clube de Portugal com 29:21min.

Coimbra

Ana Mafalda Ferreira vence competição feminina

Na vertente feminina da prova, o destaque maior vai para a atleta do Sporting Clube de Portugal, Ana Mafalda Ferreira que venceu a prova ao chegar isolada à linha de meta com 32:39min. Seguiram-se nas restantes posições cimeiras, Daniela Cunha também do Sporting Clube de Portugal, a 51 segundos e Carla Martinho do Recreio Desportivo de Águeda a 59 segundos.

Coimbra

A prova teve vencedores por escalão e estes foram os seguintes:

Na competição masculina venceram João Valente da Escola de Atletismo de Coimbra/JPaiva (Sénior), Licínio Pimentel do Sporting Clube de Portugal(M40), Vítor Godinho da Escola de Atletismo de Coimbra/JPaiva (M45), Vítor Oliveira do DCI/Trilhos Luso Bussaco (M50), Gary Blesson, Joaquim Godinho do DCI/Trilhos Luso Bussaco (M60).

Na competição feminina triunfaram Ana Mafalda Ferreira do Sporting Clube de Portugal (Sénior), Carla Martinho do Recreio Desportivo de Águeda (F40) e Manuela Mendes do DCI/Trilhos Luso Bussaco (F50).

OPraticante.pt

O OPraticante.pt esteve representado por Nuno Fernandes que terminou a prova com 54:57min no 717º lugar da geral e 252º lugar no escalão de seniores.

Evento com organização de grande valia e com todas as valências

A São Silvestre de Coimbra tinha o seu palco instalado junto ao Pavilhão Multidesportos Dr. Mário Mexia. Na alameda junto ao Jardim da Praça dos Heróis do Ultramar estava colocada a partida/chegada e dentro do pavilhão estavam colocadas todas as valências do evento. Na entrada do pavilhão estava situado o secretariado da prova.

O secretariado funcionou de forma expedita na entrega do kit de atleta e este era composto por um saco de papel que continha o dorsal com chip, uma t-shirt técnica de cor laranja alusiva à prova e folhetos publicitários.

Após a prova, os atletas recebiam para alem da medalha finisher, um saco com o abastecimento final dado pelo patrocinador da prova que continha água, barra energética, fruta e um bolo. Para um preço médio de inscrição que rondou os 9/10 euros, o que os atletas receberam está a um bom nível.

Entrando dentro do pavilhão, estavam aí todas as valências para uma prova de qualidade, que devia servir de exemplo para outras provas. Aí estava colocado o espaço para guarda-roupa, casas de banhos e balneários com água quente e ainda um espaço de massagens.

E isto tudo colocado num espaço amplo e onde todos se podiam deslocar sem atropelos. Não faltou nada aos atletas neste evento.

Um evento em comunhão com o espírito de Natal

Algo a destacar neste evento é a sua união com o espírito Natalício que se sentia no local devido em parte à feira típica da época que estava presente no local e que ocupava todas as imediações.

Por entre as várias barraquinhas de artesanato e de alimentação foi interessante ver vários atletas que antes da prova matavam algum tempo a observar a que estava exposto e mesmo depois da prova foram muitos a recorrerem a feira para se alimentarem e retemperarem forças com as iguarias que eram apresentadas.

Foi também interessante ver o palco da feira a ser usado para a cerimónia do pódio das corridas jovens e para o aquecimento da prova principal.

Prova bem promovida pelo speaker

No que toca à partida da prova, toda a caixa de partida estava bem isolada e perante um espaço tão amplo, não se verificou grandes atropelos na saída dos atletas.

Destaque para a excelente promoção da prova feita pelo speaker de serviço. Desde cedo começou a promover o evento a grande nível, ora a entrevistar atletas e outros agentes desportivos, ora no incentivo dos atletas até ao tiro de partida. Um trabalho de enorme qualidade.

Resumindo, tudo decorreu de forma excepcional no período pré-prova.

Percurso de qualidade nas ruas despidas de Coimbra

Quem participou na Meia Maratona de Coimbra e ficou maravilhado com o apoio popular vivido nessa prova, depois de ter participado nesta São Silvestre podemos dizer que fomos ao outro extremo e foi uma desilusão ver as ruas de Coimbra despidas de apoio popular.

Até mesmo na passagem pela baixa da cidade, as pessoas que estavam presentes no local, pouco caso fizeram dos atletas que iam a passar e de facto quando assim é, só podemos ter pena de tal ter acontecido.

Em questão à organização do percurso, a qualidade manteve-se ao mesmo nível do que se tinha verificando antes da prova com tudo bem isolado, marcado e com a existência de placas informativas da quilometragem.

Destaque para no último quilometro terem colado um divisor de faixa para a corrida e caminhada e com voluntários sempre a chamar a atenção para o facto.

A prova teve um abastecimento de águas ao quilometro cinco e onde se verificou a preocupação ambiental do evento pois as garrafas que eram despejadas no chão depressa eram recolhidos por funcionários da limpeza. Nota ainda para a existência de vários espaços para depósito de lixo no local de partida e chegada.

O ponto negativo do percurso é este não ter uma extensão de dez quilómetros certos como anunciado, mas somente 9.5 quilómetros.

Final da prova marcado por confusão

O único ponto negativo de grande destaque no evento é o seu final de prova e alguma confusão que se formou para se receber o abastecimento final.

Após a prova, os atletas tiveram que estar numa grande fila de espera quase sempre desordenada pois tanto os participantes da corrida, como da caminhada tinham de se dirigir para um local único, onde era feita a entrega do saco com o abastecimento e este era apertado e não permitia o escoamento rápido dos presentes.

Certamente que no próximo ano, esta questão será resolvida.

Um evento que valoriza os jovens

Foi com satisfação que se verificou que a compor o evento estiveram corridas jovens. Foram os mais novos que abriram o evento e assim honra seja feita à Escola de Atletismo de Coimbra que sabe valorizar os seus activos e assim aproveitar um evento que organiza para apostar no futuro. Fossem todas as equipas e eventos assim.

São Silvestre de Coimbra, um evento de tradição, bem organizado e que merece mais público.

A São Silvestre de Coimbra é uma das provas mais antigas de Portugal, estando actualmente no top 10 das provas com mais edições. O evento apresenta-se como uma excelente escolha para uma corrida nocturna de fim de ano.

Organizada por uma das melhores equipas de atletismo nacionais, a São Silvestre de Coimbra apresenta uma organização componente e com poucas falhas. Quem participa nesta prova tem a possibilidade de percorrer as ruas de umas da cidades mais emblemáticas de Portugal, a bela cidade de Coimbra e certamente ficará satisfeito.

Coimbra

No que toca a esta 42ª São Silvestre de Coimbra, a falta de apoio popular foi o destaque na passagem pelas ruas coimbrãs, mas como diz o ditado só faz falta quem está e de facto muita gente esteve neste evento.

A corrida cronometrada teve um total de 1037 finishers ficando a pouco menos de cem do recorde de 1111 obtido em 2015.

O número obtido este ano está dentro das expectativas da organização que apontava um total de 1500 presentes no evento e assim podemos dizer que o evento foi um sucesso tanto a nível organizativo como de adesão.

E porque não desfrutar do vídeo que efectuamos sobre o evento, pode também visualizar na nossa página as partidas da corrida e caminhada.

Coimbra

43ª São Silvestre de Coimbra

E fique atento, brevemente se começará a falar da 43ª São Silvestre de Coimbra, e os valores mais baixos de inscrição para os participantes irá ocorrer em Maio, aproveita a oportunidade de te inscreveres a menor valor.

Sitio oficial do evento.

Página do evento.

Instagram.

Página da Escola de Atletismo de Coimbra.

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: Cedidas pela organização

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta