França, vacina obrigatória para todos os profissionais

França

O ciclismo terá de se adaptar às novas regras motivadas pela pandemia, depois de na Austrália haver o caso polemico como o tenista sérvio Novak Djokovic, agora vem a França impor novas regras para os atletas profissionais.

Texto: José Morais – Noticias do Pedal
Fotos de arquivo

França impõe novas regras para os atletas profissionais.

Em França, os ciclistas para participarem, terão de estar vacinados contra a Covid-19, já que o país assim o exige, com a nova lei aprovada.

A Ministra dos Desportes Roxana Maracineanu, já veio esclarecer que a França vai ser rigorosa com as novas regras, e não vai haver qualquer privilégio, com o ciclismo profissional a ter se de adaptar.

Com a Vuelta a San Juan na Argentina, ou o Tour Down Under na Austrália, que já foram cancelados devido ao aumento de casos positivos, muitas são as equipas que já planeiam abrir a época de 2022 em França.

França abre o seu calendário já a 30 de janeiro com o Grande Prémio de Marselha, seguindo-se:

Etoile de Bessèges de 2 a 6 de fevereiro;

o Tour de la Provence de 10 a 13 de fevereiro;

Tour dos Alpes Maritimes et du Var de 18 a 20 de fevereiro;

e o Paris-Nice marcado de 6 a 13 de março.

Primoz Roglic
Paris – Nice

Os ciclistas tem um papel importante a desempenhar, dando o exemplo

Desta forma, as equipas terão obrigatoriamente de selecionar os seus ciclistas vacinados, como todo o seu staff, e só assim poderão iniciar a época que se inicia a 30 de janeiro em França.

Para praticarem a sua profissão de ciclista, e outras atividades dentro da equipa, terão de ter uma vacina válida, sejam atletas franceses ou de outros países.

Os ciclistas, e as suas equipas técnicas e de apoio, também de ter um papel importante a desempenhar, dando o exemplo para convencer os não vacinados, e incentivá-los a entrar no programa de vacinação, disse a Ministra dos Desportes Roxana Maracineanu.

Porem, a regras vão ser ainda mais rigorosas, e a partir de 15 de fevereiro, será obrigatório para que o passe sanitário francês possa ser válido.

Terão de ter a terceira dose, quatro meses após ter tomado a segunda dose, será uma regra que poderá vir a afetar as equipas e os ciclistas, que esperam poderem participar tanto nas clássicas, como até no Tour de França.

E as novas regras já começaram a fazer mossas, o caso do campeão olímpico do rio 2016, Greg Van Avermaet, que estava programada a sua estreia da época de 2022 na Etoile des Bessèges.

Porém, o ciclista belga Greg Van Avermaet informou que iria adiar a dose de reforço pelo menos até às clássicas, já que culpou as vacinas de ter tido um mau desempenho no final da época de 2021, mas deverá rever a sua decisão se quiser participar nas corridas,

Nesta fase, espera-se que a União Ciclismo Internacional – UCI, publique o seu protocolo médico para 2022 em relação à Covid-19, e o novo impacto da nova variante da Ómicron.

Parceiros

Deixe uma resposta