JWMTBOC&MTBOC 2021, portugueses já em competição

A Seleção de Orientação em BTT, constituida por João Ferreira, Paul Roothans, Davide Machado, Ana Filipa Silva e Marisa Costa, já se encontram em Kuortane, na Finlândia para disputar o JWMTBOC&MTBOC 2021.

Levaram na bagagem, para além das suas preciosas e fiéis companheiras de duas rodas, a dedicação, o trabalho e o mérito que tão sobejamente têm visto reconhecido nos últimos anos.

Vão também acompanhados da nossa confiança no melhor desempenho que estiver ao seu alcance!

Texto: Henrique Dias / OPraticante.pt com a cooperação da Ana Filipa Silva / Teresa Alves e Cristina MaranhãoFPO
Fotos cedidas pela FPO

JWMTBOC&MTBOC 2021
Seleção nacional

Davide Machado e Marisa Costa os melhores no JWMTBOC&MTBOC 2021

Iniciaram-se ontem e vão decorrer até 17 de junho os Campeonatos do Mundo de Orientação em BTT _ JWMTBOC&MTBOC 2021, tendo hoje todos os representantes portugueses entrado em competição com sortes diferentes.

Ontem foi o Mass Start, uma prova atípica na Orientação: todos os participantes do mesmo escalão partem ao mesmo tempo, ao contrário das outras provas individuais em que se usa o sistema de contra-relógio.

Ana Filipa Silva foi a primeira em competição no JWMTBOC&MTBOC 2021, ela que antes da prova mostrava na sua página a satisfação pelos percursos:

Pela amostra há muitos trilhos, tantos que adotaram um novo símbolo: branco com pontos pretos, que significa que toda a área está pejada de trilhos e é impossível cartografar todos.

JWMTBOC&MTBOC 2021

Que sonho 😁😁 grande parte dos single-tracks têm raízes, o que dificulta tanto a progressão como a leitura de mapa.

Para melhorar parece que a chuva nos vem estragar um bocadinho os planos.

“Furei, fui comida por mosquitos”

Mas infelizmente nada lhe correu como desejava, a prova estava a correr-lhe bem, mas como escreveu na sua página:

Furei, fui comida por mosquitos, o CO2 não vedou, a Constance Devillers foi uma querida e emprestou-me a bomba, mas impossível tentar trocar um pneu a ser comida por mosquitos, mesmo com repelente.

A organização emprestou-me repelente, não se pode ter ajuda externa, mas a dor das picadas a inchar não justificava… desclassificação. Estava feita de qualquer forma.

Apesar da frustração, nota impecável para as sensações durante a prova. Há mais três. Amanhã será melhor.

João Ferreira, Paul Roothans, Davide Machado foram os portugueses que se seguiram em competição, numa competição em que o pódio foi constituido por Samuel Pokala (Finlândia); seguido de Jiri Hradil (república checa); e Anton Foliforov (Neutral), respetivamente 2º e 3º classificados.

JWMTBOC&MTBOC 2021

Quanto a mim…foi extremamente positivo abrir estes campeonatos com um 8° lugar, apesar de ter plena noção de que conseguia fazer melhor.

Contudo, esta foi a primeira e agora é tentar mais e melhor nas restantes!” referiu sobre a sua prestação Davide Machado que alcançou o 8º lugar.

Paul Roothans, 45° classificado salientou “Para mim foi um início de mundial dentro do esperado.

Tive dificuldades no início da prova em termos de ritmo, depois de 9 meses sem competir sendo que foi uma prova mais física que técnica, sai satisfeito com a parte da navegação.

Para as próximas espero ir melhorado dia a dia de modo a conseguir provas de melhor nível.

João Ferreira
João Ferreira

João Ferreira, 53° classificado manifestou “Foi um início de Mundial com um mapa mais físico do que técnico.

Desde início, logo para o primeiro ponto, percebi que não estava bem fisicamente.

O corpo não respondia como habitualmente e não tive outra opção senão colocar o ritmo que conseguia e seguir até ao fim da melhor forma possível.

Tecnicamente acabou por ser um mapa mais acessível mas amanhã esperamos encontrar dificuldades técnicas bastante acrescidas.

Espero recuperar e conseguir competir a bom nível nas próximas provas.

Marisa Costa

A junior Marisa Costa fechou a participação portuguesa de ontem, tendo uma recuperação brutal na parte final que lhe permitiu alcançar o 9º lugar, em que Kaarina Nurminen (Finlândia); foi a vencedora, seguindo-se nos lugares imediatos Lucie Nedomlelova (república checa); e Silja Ylihietanen (Finlândia).

Foi uma prova muito rápida com menos técnica do que aquela que esperei encontrar!

Gostei muito e tive excelentes sensações quer físicas quer tecnicamente!

No geral estou satisfeita apesar da deceção de não ter conseguido manter pelo menos o 4 lugar por um erro muito simples 🙁” as palavras de Marisa após a sua prestação

Parceiros

Deixe uma resposta