Maurício Moreira sai mais líder para as etapas finais

A Efapel aproveitou a visita ao cerejeiro concelho de Resende para dar nova forma ao ditado popular: para a equipa sediada em Águeda as vitórias são como as cerejas com destaque para o seu ciclista Maurício Moreira.

Texto / foto: União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo

Líder triunfou no contrarrelógio matutino

Depois de ganhar a primeira etapa, Maurício Moreira triunfou no contrarrelógio matutino deste sábado e reforçou o comando da geral.

Maurício Moreira
Maurício Moreira

O setor vespertino teve nos fugitivos os protagonistas, destacando-se Gonçalo Amado (Antarte-Feirense), primeiro a chegar a S. João da Pesqueira.

O contrarrelógio de Resende, terceira etapa da competição, tinha apenas 10,8 quilómetros, o suficiente para alvoroçar a classificação geral.

José Neves (W52-FC Porto) foi o primeiro dos candidatos a estabelecer uma marca de referência, 14m17s.

Quando se pensava que o vencedor do GP O Jogo poderia triunfar em Resende, chegou à meta Maurício Moreira.

O uruguaio da Efapel foi 7 segundos mais veloz e conquistou o contrarrelógio com 14m10s, cumprindo o percurso à média de 45,741 km/h.

Maurício Moreira

Liderança reforçada que Maurício Moreira saiu de Resende

Foi com a liderança reforçada que Maurício Moreira saiu de Resende, na tarde deste sábado, para a viagem de 66,2 quilómetros, que terminaria em S. João da Pesqueira.

As etapas curtas são sempre perigosas para quem pretende controlar a corrida, porque quando se dá margem a uma fuga há pouco terreno para recuperar tempo.

Mas quando os fugitivos são corredores distantes do topo da geral individual, a tarefa da equipa do camisola amarela é mais fácil.

Assim aconteceu ontem, embora Gonçalo Amado tenha chegado a ser virtual camisola amarela, pois partiu a menos de 3 minutos do camisola amarela.

A fuga, iniciada pouco depois da descida com que abriu a etapa, permitiria que seis corredores chegassem à meta adiantados face ao pelotão, mas nenhum fazia perigar a camisola amarela de Maurício Moreira.

Coube aos mais afoitos a honra de lutar pela etapa.

Gonçalo Amado

Gonçalo Amado vence em S. João da Pesqueira

O melhor foi Gonçalo Amado, que bateu Gonçalo Carvalho (Rádio Popular-Boavista), Gaspar Gonçalves (Tavfer-Measindot-Mortágua) e Hugo Nunes (Rádio Popular-Boavista), todos creditados com 1h36m16s.

Maurício Moreira cortaria a meta no sétimo posto, 35 segundos mais tarde, trazendo na roda o adversário mais direto, José Neves (W52-FC Porto), que ainda tentou destronar o uruguaio, na última subida da tirada, mas sem capacidade para se distanciar do homem da Efapel.

Após o reforço da liderança, conseguido no contrarrelógio de Resende, na manhã de ontem, Maurício Moreira comanda com 32 segundos de vantagem sobre José Neves.

O terceiro é Frederico Figueiredo, colega de equipa do camisola amarela, a 54 segundos.

Além da camisola amarela, Maurício Moreira é também dono da verde, da classificação por pontos, e Gonçalo Amado está mais adiantado na luta pelo estatuto de melhor trepador.

Rui Vinhas (W52-FC Porto) é o primeiro nos sprints e Gaspar Gonçalves tem o mesmo privilégio nas metas volantes.

Emanuel Duarte (Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel) está à frente na classificação autarquias, André Domingues (Efapel) é o melhor jovem e Filipe Campos (Santa Maria da Feira/Segmento D’Época/Reol) é o mais bem colocado entre os corredores das equipas de clube.

A fuga de ontem deu à Rádio Popular-Boavista o primeiro posto na geral coletiva.

Amarela de Maurício Moreira sai mais viva da jornada dupla

A primeira edição do Grande Prémio Douro Internacional termina neste domingo.

A caravana vai partir de Tabuaço (11h50) e Lamego (15h50), estão guardadas para hoje, domingo.

É mais uma tirada em terreno ondulado. Inclui duas subidas de terceira categoria.

A última, na N.ª Sr.ª da Ouvida, a 24,5 quilómetros da meta.

Parceiros

Deixe uma resposta