Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Louzanskyrace na Lousã, uma terra de emoções!

Chegado o dia 20 de Outubro, ainda a amanhecer, a caminho da prova, do Louzanskyrace, pensávamos no que esta serra já nos ofereceu, sentindo as emoções à flor da pele. Tudo poderia acontecer!

Neste dia realizaram-se duas provas: O Louzanskyrace Mini de 15km (1300D+) e o Louzanskyrace de 25km (2000D+), sendo a distância mais longa certificada pela Federação Internacional de Skyrunning, apenas duas se realizam em Portugal, e só esta em território continental, num total de 36 em todo o mundo.

Testando os nossos próprios limites, optámos pela distância mais longa (25km), sabendo que seria uma prova difícil, tendo em conta a altimetria, a inclinação, as subidas verticais e o terreno escorregadio da chuva dos dias anteriores, uma verdadeira prova de Skyrunning!

O percurso disponibilizado pela organização despertou também o nosso interesse pois seria numa parte da Serra da Lousã (vertente norte) ainda não trilhada por nós, que já somos “participantes fiéis” noutras provas aqui realizadas (nomeadamente o Louzantrail).

Louzanskyrace

Ambiente vivido antes do Louzanskyrace …

Chegados à Lousã, e já com os dorsais colocados, começa a sentir-se alguma tensão competitiva, mas também um desportivismo saudável entre atletas. A organização ajuda na animação dos participantes, promove até uma mini coreografia conjunta!

Aproxima-se a hora de partida, 8h30m, aqueles segundos em que o coração acelera, ainda sem termos começado a correr! São os receios, a ansiedade, a enorme vontade de começar a trilhar a serra.

Foto: Matias Novo

Louzanskyrace, os primeiros kms…

Não podiam ser mais esclarecedores da dureza da prova (se é que havia alguma dúvida). Aos 5 kms, atingimos cerca de 900m de altitude, ultrapassando os 700D+. Primeira parede ultrapassada! O Frio e o nevoeiro não deixaram fazer uma pausa para apreciar a paisagem (descansar um pouco).

Começámos a descer, no início com alguma pedra solta, em vista ao próximo objetivo que era chegar ao posto de abastecimento, aos 8,5kms (a uma altitude 700m), na Cerdeira. Uma Aldeia de Xisto, com uma beleza estonteante que deve ser visitada e apreciada com mais “calma”.

Subida a Trevim

Após o abastecimento em que nada faltou, com as energias repostas (as que foram possíveis de restabelecer), começou nova subida de dificuldade extrema, inclinação brutal, piso super irregular e escorregadio (quase escalada), os membros superiores tiveram que trabalhar muito!!

Aos 11kms de prova, a cerca de 1200m de altitude, chegámos a Trevim, o ponto mais alto da prova e também da serra da Lousã, onde existe um dos baloiços mais bonitos do mundo! Tivemos mais uma vez a companhia do frio e do nevoeiro, pelo que se impunha seguir em frente!

Louzanskyrace

2º Abastecimento (surpresa)

Saindo de Trevim, foi descer e mais descer, adrenalina ao máximo num single track fantástico.
Aos 15km (já com apenas 660m de altitude), esperava-nos um segundo abastecimento, que não estava previsto (bela surpresa por parte da organização).

A terceira e última “parede” do Louzanskyrace

Voltámos ao trilho que começava a subir pelo coração da Floresta, rodeados de árvores, estava escuro e o clima era húmido. Cenário sombrio e simultaneamente encantado!!! Pelo contrário, as pernas não sentiam encantamento, só pensavam em chegar ao fim. Chegando ao cume dessa subida estávamos a 993m de altitude, aos 19kms. Estava quase!

Louzanskyrace

A descida para a meta

Olhando para o gráfico, sabíamos que apenas haveria mais uma pequena subida, ou seja os últimos kms seriam praticamente sempre a descer. Mas isso não foi sinónimo de facilidade. Esta parte do percurso coincidia com um pouco do percurso do Louzan1000, realizado no dia anterior, e, se não deve ter sido nada fácil subir, descer após o pórtico da RedBull foi terrível!

A chegada do Louzanskyrace

Sentimos que o Objectivo está quase alcançado quando surge uma placa que indica “2Km” para a meta!! Mas quando alcançamos a placa indicativa do Km final, a emoção é enorme, e o sentimento de dever quase cumprido é gratificante!!

O momento em que avistamos a meta, parece que não há dor, não há cansaço, há apenas uma vontade enorme de chegar lá. Por breves momentos, naqueles últimos metros, damos o que ainda há de nós. Nada foi em vão! Conseguimos!!!

Em suma, uma prova muito dura, muito técnica, mas muito desafiante e emocionante!

Louzanskyrace – Beyond your limits!!!

Louzanskyrace de 25km

Guilherme Lourenço bisou

Guilherme Lourenço bisou ao vencer também o Louzan1000, prova vertical disputada no dia anterior. O atleta da equipa Centro Recreativo Popular da Ribafria concluiu o percurso em 2h56m52s. O pódio ficou completo com Americo Caldeira (3h03m02s), da equipa Clube Aventura da Madeira e José Sequeira (3h09m30s), do Montanha Clube.

Pedro Garrido – OPraticante.pt

OPraticante.pt bem representado

Os autores deste maravilhoso artigo que retrata de forma magnifica o Louzanskyrace, foram os irmãos Garrido, que representaram o nosso projecto de OPraticante.pt que obtiveram Pedro Garrido, 15º da geral / 9º sénior com 03h41m16s – João Miguel Garrido, 61º G / 28º sénior com 05h05m16s.

Louzanskyrace
João Miguel Garrido – OPraticante.pt

Alice Lopes a mulher mais rápida

Alice Lopes da ADCF Felgueira, foi a mulher mais rápida, com o tempo de 3h40m51s. Ester Alves da Salomon Running- Suunto Portugal, vencedora do Louzan1000, garantiu o segundo lugar, com a marca de 3h58m18s. Cláudia Moreira, da Associação Desportiva de Amarante, fechou o pódio, com o registo de 4h24m13s.

Foto: Matias Novo

Louzanskyrace de 15km

O júnior Bernardo Vieira surpreendeu

Bernardo Vieira, um júnior em representação do União FCI De Tomar que necessitou de somente 01h49m20s para percorrer a distância e obter a vitória, completaram o pódio Vitor Silva – Vimarunners – 01h53m38s e Nicolás Mateos – individual – 01h57m56s

Célia Neto vence isolada

Célia Neto – individual, obteve a vitória ao completar a distância com o tempo de 02h31m24s, três minutos depois chegava em segundo lugar Liliana Carvalho – individual – 02h34m26s e o terceiro lugar foi conquistado por Raquel Matias do CSCD Norte e Soure com 02h41m59s.

Sitio oficial do evento.

Página do evento.

Texto: João Miguel Garrido e Pedro Garrido
Fotos: Cedidas pela organização / Matias Novo – Fotografias

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta