Neves ganha no alto mas o trono é de Figueiredo

José Neves

José Neves (W52-FC Porto) ganhou a terceira e última etapa do 44.º Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho.

Uma ligação de 185 quilómetros, entre Serra d’El Rei e o alto de Montejunto, que coroou Frederico Figueiredo (Efapel) como vencedor da classificação geral.

O final da corrida não poderia ter sido mais emocionante. Os dois primeiros classificados da geral à partida destacaram-se nos sete quilómetros finais da etapa, sempre a subir, primeiro pelo Avenal e depois até ao topo da região Oeste.

Texto / foto: União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo

O trono foi de Frederico Figueiredo

José Neves e Frederico Figueiredo primeiro foram na peugada de Jokin Murguialday (Caja Rural-Seguros RGA), que ousou atacar de longe.

Nos derradeiros dois quilómetros, demonstrando ser os mais fortes em prova, o dono da camisola de campeão e o titular da camisola amarela isolaram-se.

Cabia ao homem da W52-FC Porto desenvencilhar-se do rival da Efapel para recuperar o atraso de 19 segundos que tinha à partida.

Não conseguiu, porque Frederico Figueiredo mostrou capacidade para segurar o segundo triunfo consecutivo no Troféu Joaquim Agostinho.

José Neves não se deu por derrotado e logrou triunfar na etapa.

Frederico Figueiredo

José Neves o vencedor da etapa

José Neves passou a meta com 4h38m26s, o mesmo registo de Frederico Figueiredo. Jokin Murguialday foi o terceiro do dia, a 21 segundos.

Este é o local onde faço o meu trabalho de subida ao longo de todo o ano.

Conhecia muito bem quase toda a etapa. Sabia onde tínhamos de estar na frente e de acelerar.

A equipa esteve cinco estrelas. Consegui recompensar esse trabalho com a etapa, mas queríamos a geral.

Mas não foi possível. O Frederico estava muito mais forte e merece os parabéns”, reconheceu José Neves, que conseguiu a segunda vitória pessoal no Montejunto.

José Neves, Frederico Figueiredo e Jokin Murguiaday

Frederico Figueiredo conquistou o Troféu Joaquim Agostinho pelo segundo ano consecutivo.

Foi acompanhado no pódio por José Neves, que gastou mais 15 segundos no conjunto das três etapas.

Jokin Murguialday foi o terceiro, a 1m33s.

Pelo segundo ano consecutivo Frederico Figueiredo conquistou o Troféu Joaquim Agostinho

A minha equipa esteve num excelente nível e só tenho de agradecer aos meus companheiros.

Demonstrámos que conseguimos fazer muita coisa com uma equipa jovem.

Dedico o triunfo aos meus colegas e a toda a estrutura Efapel.

Ainda nem sei como descrever a sensação de poder estar duas vezes consecutivas no nível mais alto do pódio do Troféu Joaquim Agostinho, uma corrida com enorme prestígio”, afirma Frederico Figueiredo.

A decisão ficou guardada para as duas subidas de primeira categoria encadeadas na parte final.

Frederico Figueiredo

Frederico Figueiredo explica como tudo se passou: “Na subida do Avenal começaram os ataques.

Respondi sempre diretamente ao José Neves, que era o meu principal adversário.

A três quilómetros ele atacou muito forte e eu fui na roda dele. Viemos os dois até ao alto.

Ele merecia a etapa, porque fez uma excelente corrida, valorizando ainda mais a minha vitória”.

josé neves

Frederico Figueiredo também ganhou a classificação por pontos, Joan Bou (Euskaltel-Euskadi) foi o rei dos trepadores e Jokin Murguialday consagrou-se como melhor jovem da competição.

João Matias (Louletano-Loulé Concelho) foi quem retirou mais proveito da participação na fuga de 14 corredores que dominou a etapa até à montanha, conquistando a classificação das metas volantes.

A Euskaltel-Euskadi impôs-se na geral coletiva.

Parceiros

Deixe uma resposta