No Mondego Ultra Trail… aconteceu trail

Mondego Ultra

As distâncias do Mondego Ultra Trail

A organização do Mondego Ultra Trail colocou à disposição dos atletas três distâncias 10 K; 22 k; 50 K.

Uma forma inteligente, de conseguir abranger um leque muito variado de atletas, que poderam escolher a distância que mais se adequava à sua condição física.

A minha, como não anda nos seus melhores momentos, apenas me permitiu ir aos 22 k.

Percurso

O percurso dos 22 k do Mondego Ultra Trail não foram fáceis e os seus pré anunciados 1200 D+ eram reais.

Mas o mais difícil nem foi o desnível positivo encontrado, mas sim um percurso bastante técnico (sobretudo os primeiros 10 k), que obrigou a que todos os atletas seguissem altamente concentrados para que os obstáculos surgidos fossem ultrapassados, sem males maiores.

O Milhafre

A subida ao Milhafre foi digna de um filme de acção, um grau de inclinação enorme, que obrigou a subir em muitas partes a “quatro mãos”.

À elevada inclinação da subida, somou-se o enorme mar de pedras soltas que a constituía, e que provocava uma constante falta de tracção nas 4 rodas.

Tudo isto somado às enormes rochas que se situavam na parte final da subida e que obrigava ao recurso de conhecimentos de escalada.

Romeu Gouveia

Todos estes ingredientes foram o suficiente para avivar ao máximo o prémio montanha que estava associado a esta subida… que acabou por revelar como grande vencedor o atleta Romeu Gouveia com um tempo de 6´58´´.

Carrossel

Aquela descida pelo leito do ribeiro, quase totalmente seco, mas com as pedras bastante escorregadias, mais parecia um verdadeiro carrossel.

Desce, agarra, escorrega, cai, levanta, escorrega, agarra, salta, agacha, cai, levanta… foram estes os verbos que mais traduziram a acção dos atletas nesta parte do percurso.

Onde uns “ais”, uns “uis” e umas valentes risadas, acompanhadas de algumas palavras menos próprias foram sendo lançadas ao ar pelos diversos intervenientes.

Uma das muitas partes técnicas do percurso

Marcações

Os diversos percursos foram marcados com fita branca, uma cor que pessoalmente não gosto para este efeito, pois facilmente se confunde com os diversos reflexos da natureza, tornando-se aqui e ali menos visível.

No entanto, globalmente o percurso foi bem marcado, mas não o suficiente para evitar que alguns atletas se perdessem.

Se alguns facilmente conseguiram voltar ao trilho certo… outros nem por isso.

Penso que será uma situação a rever no futuro… uma cor mais viva e consequentemente mais visível, de preferência que cada distância tenha a sua cor de fita.

Jorge Serrazina

Classificações

10 km do Mondego Ultra Trail

Faneka Marques – DCI/CCDRPedrulha – Mealhada – 55’00 foi o vencedor, seguido de Diogo Gomes – Abutres trail Running School – 56’00 e Diogo Pimenta – DCI/CCDRPedrulha – 59’00 completou o pódio.

A vencedora feminina foi Carla Santos – Montanha Clube Trail Running/EFAPEL – 1h14, seguida de Dilia Santos – ARSM – Ass. Rec. S. Miguel – 1h17 e Maria Ramos – DCI/CCDRPedrulha – 1h18, respectivamente 2ª e 3ª classificada.

22 km – Ultra do Mondego Ultra Trail

O conhecidissimo Nelson Graça – Team GoldNutrition – 2h21 venceu, com alguma vantagem o Diogo Pinheiro – OZxtreme/RDA – 2h22, com Gustavo Barandas – Escola de A de Atletismo de Coimbra/JPaiva – 2h24 a obter o 3º lugar.

Nelson Graça

Susana Rodriguez – Coimbra Trail Running – 3h03 venceu, Bárbara Fernandes – individual – 3h08 foi 2ª classificada e São Castanheira – Onda Trilhos – 3h20, 3ª classificada.

50 km – Ultra Trail do Mondego Ultra Trail

O Veterano Luiz Mota – Casa Benfica em Abrantes – 5h32, venceu e demonstrou ainda estar em grande momento de forma, David Quelhas – Coimbra Trail Running – 5h57 foi o 2º e em 3º Filipe Garcia – SpotCriativo Viseu Running Team – 6h01.

Luiz Mota

Vera Bernardo – ARCD Venda da Luisa – 8h29 venceu, Sandra Arribança – individual – 8h35 e Mariana – individual – 8h45, ocuparam os lugares imediatos

Dois atletas levam OPraticante.pt ao pódio

O Praticante fez-se representar por seis atletas neste evento, tendo-se destacado a Isabel Almeida que conseguiu um brilhante 1º lugar no seu escalão e o António Soares que obteve um 2º lugar do seu escalão.

Parte dos elementos de OPraticante.pt com elementos da organização

Nos 22 km o melhor classificado foi Viriato Dias : 3h20 – 58º da geral / 11º M40, seguido de Isabel Almeida: 3h31 – 5ª da geral / 1ª F45, Carlos Figueira: 203º G / 33º M40 – 5:17;33 e David Silva: 5h35 215º da geral / 6º M50, Alex Tondela: desclassificado por se ter enganado no percurso

Nos 50 Km António Soares: voltou a demonstrar que não corre, voa, tão leve ele vai, que obteve o 2º lugar do escalão M50 / 22º geral com 7:53;58.

Agora resta-me aguardar por 2018 para marcar novamente presença… quem sabe nos 50 km… até lá… bons treinos e boas provas.

Aqui pode visualizar mais artigos sobre o evento.

Visualize mais fotos do evento aqui.

[divide icon=”circle” width=”medium”]

Texto: Viriato Dias
Fotos: Fotos do Zé

Parceiros