Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Póvoa de Varzim: Sunset Trail animou litoral poveiro

Agosto, mês de férias por excelência onde se aproveita para recarregar as energias. No atletismo, o mês também é de descanso, mas sem descurar a forma física. Para os atletas que quisessem participar num evento que conciliasse o ambiente à beira-mar com a competição, havia uma boa opção, o Sunset Trail da Póvoa de Varzim.

O III Sunset Trail da Póvoa de Varzim aconteceu no Sábado (17) de agosto pelas 17:30horas na freguesia de Navais, Póvoa de Varzim e foi uma organização do Centro Desportivo e Cultural de Navais, com o apoio da Freguesia de Aguçadoura e Navais e da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, que teve associado como média OPraticante.pt.

A compor o evento esteve um trail competitivo na distância de dezassete quilómetros e ainda uma caminhada somente com fins lúdicos e de promover a actividade física na distância de cinco quilómetros.

A equipa de OPraticante.pt esteve presente no evento e agora apresentamos todas as notas como tudo decorreu:

Percurso sem grandes dificuldades pelo litoral poveiro

O principal conceito do Sunset Trail da Póvoa de Varzim é apresentar aos atletas um percurso que mesmo sendo longo não apresenta grandes dificuldades em termos de altimetria. O percurso teve no seu total uma distância pouco acima dos dezoito quilómetros e com uma altimetria a rondar os 200d+.

O percurso desta prova teve partida e chegada junto à igreja paroquial de Navais e os atletas eram desafiados a percorrer os principais ambientes que caracterizam esta zona poveira, os campos de cultivo, a costa marítima com passagens junto ao paredão, pelo passadiço de madeira, pelas dunas, pelos antigos moínhos, pelos pinhais, em suma, um percurso muito interessante e rico com a história local.

Partindo do largo da igreja de Navais, os atletas nos primeiros três quilómetros de prova percorriam algumas vias da Aguçadoura que ora eram no empedrado da via normal, ora na terra batida do terreno agrícola, denominados campos Masseira. Passada essa fase, os atletas entravam numa zona mais à beira-mar e com passagem pela marginal e pelo passadiço em madeira deste a Praia de Santo André até à Praia da Codixeira.

Sunset Trail da Póvoa de Varzim apresentou-se bastante interessante, rápido

A partir desta zona, surgiram as primeiras dificuldades do percurso que eram sobretudo causadas pela grande quantidade de areia presente. Aqui os atletas percorriam caminhos entre as estufas de cultivo e entre as zonas mais próximas do mar como o campo de golfe da Estela e o Parque de Campismo.

Junto à praia da Ramalha, o percurso afastava-se da costa e entrava mais em terreno interior onde depois de uma breve passagem em terreno florestal, o trilho regressava agora ao centro de Navais com uma passagem de vários quilómetros por entre as estufas e os campos de cultivo que caracterizam esta zona. Destaque no último quilometro de prova para uma passagem junto a um antigo moínho.

O percurso do Sunset Trail da Póvoa de Varzim apresentou-se bastante interessante, rápido que permitia colocar um bom ritmo de prova, com paisagens variadas e que davam outro ambiente à prova e que permitiam dar a conhecer uma outra vertente litoral que muitas pessoas que desconhecem.

 

Diogo Fernandes bisa no Sunset Trail da Póvoa de Varzim

A vitória do III Sunset Trail da Povoa de Varzim foi disputada desde o seu tiro de partida. Sem darem margem à restante concorrência, o vencedor da edição anterior da prova Diogo Fernandes da SiM Summit e João Ferreira da AiróRun percorrem os vários quilómetros da prova sempre na dianteira e em marcação constante entre eles. Fruto dessa marcação, o ritmo foi sempre elevado e como tal o recorde da prova caiu.

No final, a vitória foi para Diogo Fernandes que bisou assim nesta prova com um tempo de 1h09min22seg, ficando João Ferreira a seis segundos. A completar o pódio ficou Paulo Pinto da AzTrail Mercentro com 1h12min11seg.

Paula Soares vence competição feminina

Ao contrário da competição masculina, a vertente feminina não teve grande disputa. A liderar a prova de princípio a fim esteve Paula Soares da AD Amarante que cruzou a linha de meta com 1h20min49seg e para também ela estabelecer um recorde da prova na vertente feminina.

A completar o pódio ficou a vencedora do ano passado, Maryline Ferraz com 1h29min13seg e Margarida Araújo do Padel CVR de Santo António com 01:32:55min.

A prova teve vencedores por escalão e estes foram os seguintes:

Na competição masculina venceram Diogo Fernandes da Sim Summit (Séniores), Paulo Pinto da AZTrail Mercentro (Vet40), Amadeu Teixeira da Nós Acreditamos (Vet50) e Manuel Rodrigues da ArcoRun (Vet60).

Na competição feminina triunfaram Paula Soares da AD Amarante (Séniores), Elisabete Santos da Team Lantemil (Vet40) e Maria Campos da Spin & Run Esposende (Vet50).

Tiago Lopes de OPraticante.pt, com Paulo Lopes à frente um dos premiados do passatempo efectuado pelo nosso projecto

Prestação dos representantes de OPraticante.pt

A equipa de OPraticante.pt esteve representada na prova por seis atletas, tendo obtido os seguintes resultados: Paulo Lopes (78º geral / 27º sénior) – 01:40:51, Tiago Lopes (79º geral / 28º sénior) – 01:40:53, Nuno Fernandes (153º geral / 40º sénior) – 02:15:35, Susana Rodrigues /164ª geral /18ª Vet40) – 02:23:58, José Martins (165º geral / 43º sénior) – 02:23:59 e Helena Santos ( 179ª geral / 15ª sénior) – 02:46:08.

Susana Rodrigues e José Martins – OPraticante.pt

 

Prova com excelente organização e ambiente

O Sunset Trail da Póvoa de Varzim tinha a sua estrutura montada junto à igreja paroquial de Navais. No edifício da junta de freguesia estavam instaladas a valências da prova. No piso de cima, funcionava o secretariado da prova e as casas de banho. No piso de baixo, estava o abastecimento final oferecido aos atletas. Quer no atendimento no secretariado quer no abastecimento, os atletas foram tratados com educação e com o staff presente a ter sempre uma palavra amiga.

No local de partida e chegada da prova, cedo se animou os presentes com música e com um speaker que promovia a prova, incentivava os atletas e entrevistava os atletas com mais nome presentes no evento. O espaço esse estava bem isolado, com uma boa estrutura montada e com o pódio em local central.

Desde cedo, o largo da igreja ficou apinhado de atletas e caminheiros que ora iam conversando, fazendo o seu aquecimento ou somente iam-se chegando para um final de tarde de convívio, animação e desporto.

Ofertas aos atletas a condizer com o evento

Este evento tinha como objectivo promover a localidade onde estava inserido e de facto há que elogiar a forma como se conseguiu estender esta promoção para além do percurso da prova.

Quase todas as ofertas que os atletas receberam tinham um toque local. Começando pelo kit de atleta que era entregue no secretariado, os atletas recebiam um saco de alças de boa qualidade do município local, o dorsal com chip, uma t-shirt técnica azul alusiva à prova e ainda uma peça de tapeçaria que segundo o responsável do secretariado era uma das imagens de marca desta zona.

Prémio finisher original

Após a prova, os atletas recebiam como prémio final, um saco com produtos agrícolas cultivados na zona, sendo que o saco continha uma alface, duas cenouras e um tomate e com isto estava servida a salada para a semana.

Os atletas recebiam ainda senhas para o abastecimento final onde para além do tradicional abastecimento com frutas, doces, etc., tinham ainda direito a uma sopa, uma bebida e uma sande e diga-se que a sande eram tipo três sandes numa, ou seja bem aviada.

Para um preço de inscrição na prova de dez euros, o que os atletas receberam está a um nível muito interessante e com um toque de originalidade nas ofertas disponibilizadas.

Percurso irrepreensível e com vários abastecimentos

No que toca ao percurso da prova, exceptuando alguns segmentos que tinham grandes quantidades de lixo (ainda há gente que aproveita os caminhos rurais mais escondidos para depositar lixo), esteve a um nível muito bom.

Apesar de o regulamento da prova indicar que a prova teria somente um abastecimento, a verdade é que a organização não poupou nos abastecimentos e colocou dois abastecimentos de sólidos (km5 e 11) e um de líquidos ao km 14. Para a extensão da prova, um número perfeitamente adequado. De notar que em todos eles, o staff presente tinha sempre um sorriso a oferecer e uma palavra de incentivo. De notar ainda que a melancia que ofereceram estava fantástica.

Evento com a preocupação ambiental

Destaque ainda para a preocupação ambiental dos responsáveis do evento, onde em todos os abastecimentos, havia local para se depositar o lixo e houve também a preocupação de remover de imediato as fitas sinalizadoras do percurso, tarefa essa feita pelo vassoura da prova.

Como estávamos numa zona onde a tradição desportiva é elevada não foi de estranhar que onde o percurso da prova passasse e tivesse habitantes a ver, havia sempre uma palavra de incentivo, seja nos campos de cultivo, seja junto à praia, seja nas varadas de casa.

Sunset Trail da Póvoa de Varzim, o seu trail de Verão

No artigo de antevisão e promoção deste evento tinha indicado que o Sunset Trail da Póvoa de Varzim era o trail de Verão e de facto, comprovou-se esse cognome com um belíssimo trail num final de tarde de Sábado em pleno mês de Agosto com o sol a cair sobre o mar e com um sempre deslumbrante contraste entre o azul do mar com o verde dos campos de cultivo.

É um trail organizado por pessoas que sabem o que fazem, apresentam uma organização simples e sem mácula. Os atletas são bem recebidos e quando terminam a prova, sente-se que terminam a prova satisfeitos. É uma prova que apela às raízes locais e que no final acabam por conseguir esse intento com os presentes a ficarem conhecedores do que se faz nesta zona poveira e isto porque, a vida junto ao mar não é só pesca, para além da vida no mar há muito outro trabalho pesado.

As três equipas mais numerosas receberam prémios

O facto de ser um trail de Verão faz com que a adesão a esta prova seja afectada, isso é indesmentível. O evento teve um total de 180 finalizadores, um número inferior aos 308 do ano passado. Como se pode ver, este evento em todas as suas edições não teve um alto número de atletas presentes e isto porque acredito é devido à época em que se realiza. Mudar a data nem se pode equacionar, pois iria retirar a aura do evento, pelo que a organização tem que se esforçar para satisfazer os atletas que estejam no evento e assim eles regressem no ano seguinte. Da nossa parte, o regresso esse está já marcado na agenda!

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: Carlos Silva e Neca

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta