Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Rio Douro voltou a ser companheiro na D’Ouro Run

O segundo fim–de-semana de Junho, a que se juntou a o feriado do 10 de Junho foi um dos fins–de semana com mais competição em Portugal. Desde meias–maratonas, passando por corridas nocturnas até simples provas de dez quilómetros, de tudo um pouco aconteceu, mas o maior destaque foi mesmo junto ao rio Douro, a Meia Maratona D’Ouro Run.

Meia Maratona D’Ouro Run

A 6ª Meia Maratona D’Ouro Run aconteceu Domingo (9) de Junho de 2019 pelas 10h00 e foi uma organização da EventSport em conjunto com o Município de Gondomar. A compor a manhã desportiva estiveram duas corridas cronometradas, a principal na distância clássica de 21.097 km e uma minimaratona de dez quilómetros e ainda uma caminhada de cinco quilómetros, sem fins competitivos. Fez ainda parte do evento a competição da meia maratona em desporto adaptado para atletas em cadeira de rodas.

A equipa de OPraticante.pt esteve presente no evento e foi a primeira prova que o projecto participou numa parceria com a equipa Afipre Team. Uma parceria com objectivos claros, mas sempre com as origens presentes e onde a reportagem e as notas como os eventos decorrem são sempre apresentadas aos nossos leitores. Eis o que aconteceu nesta edição da Meia Maratona D’Ouro Run.

Equipa OPraticante.pt / Afipre Team

Percurso exigente com o Rio Douro sempre presente

Todas as provas que compunham o evento tiveram partida e chegada em Ribeira de Abade na estrada N108 – Avenida Escritor Costa Barreto e o desafio colocado aos atletas era um percurso que tinha sempre o rio Douro como companheiro de viagem.

O rio Douro é sinónimo de força e de vida. O rio para chegar ao seu destino atravessa terrenos duros e quando se compartilha o percurso com este rio, os atletas tinham de estar cientes que o percurso não era de todo fácil e por vezes chegava até ser enganador.

No percurso da meia maratona, os atletas seguiram pela rua de Entre os Rios e passavam por várias freguesias locais, tais como Valbom, Gramido, Jovim, Marecos, Quintas e Foz do Rio Sousa. O retorno acontecia perto da barragem de Crestuma–Lever para depois se fazer o percurso inverso. Este percurso era marcado por constantes desníveis que mesmo não sendo acentuados e apresentando-se disfarçados faziam que após o término da meia maratona, o acumulado total fosse interessante.

No que toca ao percurso da minimaratona, os atletas faziam o retorno da prova na freguesia de Jovim.

O percurso dos caminheiros via o seu retorno acontecer em Valbom e seguiam para a meta por uma zona mais próxima ao rio Douro, proporcionando a estes, boas paisagens.

Meia Maratona

Mário Carreira vence 6ª Meia Maratona Douro Run

O grande vencedor da 6ª Meia Maratona Douro Run foi Mário Carreira. O atleta que competiu como individual cortou a linha de meta isolado com um tempo de 1h15m51seg. A completar o pódio ficaram Fernando Souza do Boavista FC (1h17m01seg) e de Carlos Oliveira da Generali (1h17m29seg).

Mário Carreira

Andreia Santos vence competição feminina

Na competição feminina da prova, a grande vencedora foi Andreia Santos do Município de Gondomar que terminou a prova igualmente isolada com um tempo de 1h23m15seg. Seguiram-se Diana Sousa da RunRiver – Escola de Atletismo de Rio Tinto (1h26m15seg) e Sandra Fonseca (1h37m24seg).

Andreia Santos

Vencedores por escalão

No que toca aos vencedores por escalão, a meia maratona teve os seguintes vencedores:

Na vertente masculina triunfaram Fernando Souza do Boavista FC (Séniores), Paulo Rocha da RunRiver – Escola Atletismo de Rio Tinto (Vet35), Rui Gomes da DouroConta – Gabinete de Apoio e Contabilidade (Vet40), Carlos Oliveira da Generali (Vet45), Mário Carreira (Vet50), António Jesus dos Nascidos para Correr (Vet55), José Cabral do Juntos somos UM! (Vet60) e António Graça do (Vet65).

Na vertente feminina venceram Andreia Santos do Município de Gondomar (Séniores), Sofia Pimenta do Lion Runners – G. D. Leões da Guarda (Vet35), Ana Pereira do Ginásio Clube de Bragança (Vet40), Sandra Fonseca (Vet45), Etelvina Rocha dos Nascidos para Correr (Vet50), Rosa Pinto dos Nascidos para Correr (Vet55) e Filomena Santos do Molinhas Team (Vet60).

José Sá

Minimaratona

José Sá vence a Mini Maratona D’Ouro Run

O grande vencedor da prova de dez quilómetros que complementou o evento foi José Sá. O atleta que correu como individual venceu a prova com 34:17min. Nas restantes posições do pódio ficaram André Guimarães do ACD S. João da Serra com 34:43minutos e Bruno Silva do Maia AC com 35:04minutos.

Daniela Gregório

Daniela Gregório triunfa na competição feminina

Na vertente feminina da prova, a grande vencedora foi Daniela Gregório do Maia AC com 41:00minutos. Na segunda posição ficou Sofia Cardoso da The Gin Slavers com 45:46min e na terceira posição Paula Guedes do Maia AC com 46:24minutos.

OPraticante.pt / Afipre Team no pódio da classificação colectiva

O evento teve classificação por equipas tanto na meia como na minimaratona. Na meia maratona, a equipa vencedora foi os Nascidos para Correr. Nas restantes posições cimeiras ficaram Ripolins Grijó a Correr e Grupo Desportivo dos Ferroviários de Campanhã. Na minimaratona, a equipa vencedora foi a RunRiver – Escola de Atletismo de Rio Tinto. Na segunda posição ficaram os Nascidos para Correr e na terceira posição Opraticante.pt-Afipre Team.

No que toca aos vencedores por escalão, a minimaratona teve os seguintes vencedores:

Na vertente masculina triunfaram José Sá (Séniores), Sérgio Silva do MSS Contabilidade Trail Team (Vet35), Ricardo Ferreira do Sporting Clube de Espinho / António Leitão (Vet40), João Barbosa do Sporting Clube de Espinho / António Leitão (Vet45), Paulo Costa do Viriathvs Runners Viseu (Vet50), João Teixeira do CCD APDL (Vet55), Serafim Ramos do Lion Runners – G. D. Leões da Guarda (Vet60) e Artur Freitas da Academia Fernanda Ribeiro (Vet65).

Na vertente feminina venceram Daniela Gregório do Maia AC (Séniores), Maria Cardoso do Generali (Vet35), Paula Guedes do Maia AC (Vet40), Luísa Fernandes do Ripolins Grijó a Correr (Vet45), Gracinda Marques do Academia Fernanda Ribeiro (Vet50), Assunção Garcia do Novélia Running Amarante (Vet55) e Marina Ribeiro do Clube de Colaboradores da AGEAA (Vet60).

Alberto Baptista vence competição de cadeira de rodas

A prova da meia maratona teve a inclusão do desporto adaptado com uma prova de cadeira de rodas e esta foi de todas as provas no evento a mais disputada com esta a ser disputada metro a metro até ao final e com os três primeiros separados por apenas seis segundos. O grande vencedor da prova foi Alberto Baptista com 01h37min36seg. Na segunda posição ficou Fernando Mendonça com 01h37min39seg e na terceira posição o vencedor do ano passado Sérgio Gomes com 01h37min42seg.

Adeelaide Veludo e Filomena Soares – OPraticante.pt / Afipre Team

OPraticante.pt – Afipre Team na primeira participação conjunta obtém cinco pódios

Como mencionado no início do artigo, esta foi a primeira prova da equipa formada pelo nosso projecto OPraticante.pt, com a equipa Afipre Team, dois projectos que acertaram uma parceria com vista a objectivos comuns.

Esta parceria começou com o pé direito, a equipa a apresentou-se em Gondomar com vinte e dois atletas, no final o saldo foi deveras positivo com cinco pódios obtidos na prova da minimaratona.

No que toca a pódios individuais, António Rodrigues ficou em segundo lugar do escalão Vet60M com 46:17min, Samy Costa subiu ao terceiro lugar do escalão de Vet50F com 54:38min, no escalão de Vet65F, Adelaide Veludo subiu ao lugar cimeiro do pódio depois de terminar a prova com 52:58min e Filomena Soares ficou na terceira posição do mesmo escalão com um tempo final de 1h15min12seg.

Adelaide Veludo

 

Para fechar em beleza todo o esforço dos atletas da equipa que se apresentaram nesta prova, OPraticante.pt – Afipre Team ficou em terceiro lugar na classificação por equipas na minimaratona.

Na globalidade do evento representaram a OPraticante.pt–Afipre Team os seguintes atletas

Na Meia Maratona Douro Run, Eduardo Barbosa (42º Vet40 / 161º geral) – 01h36min58seg, Pedro Pereira (117º Vet40 / 585º geral) – 02h01min54seg, Eugénia Ferreira (7ª Vet50 / 619ª geral) – 02h03min54seg e Paulo Ferreira (121º Vet40 / 620º geral) – 02h03min55seg.

Na minimaratona Douro Run, Chisoka Simões (6º Séniores / 9º geral) – 36:13, Hélder Borges (10º Vet 40 / 38º geral) – 40:17, António Carvalho (4º Vet 45 / 45º geral) – 40:56, Joaquim Figueiredo (17º sénior / 50º geral) – 41:13min, Tiago Lopes (20º sénior / 60º geral) – 42:02min, Heitor Ortiga (7º Vet55 / 64º geral) – 42:53min, Paulo Abreu (9º Vet45 / 72º geral) – 44:26min, António Rodrigues (2º Vet60 / 92º geral) – 46:17min, Carlos Ribeiro (35º Vet40 / 180º geral) – 51:36min, Adelaide Veludo (1ª Vet65 / 205ºgeral) – 52:58min, Nuno Fernandes (54º sénior / 229º geral) – 54:11min, Samy Costa (3ª Vet50 / 239º geral) – 54:38min, Rute Pereira (13ª Vet40 / 328º geral) – 59:31min, Katia Pereira (14º Vet40 / 381º geral) –01h02min40seg, Teresa Vargas (41º sénior / 486ª geral – 01h13min55seg, Filomena Soares (3ª Vet65 / 491º geral) – 01h15min:12seg e Helena Santos (46º sénior / 501º geral) – 01h16min36seg.

EventSport mostra mais uma vez excelente organização do evento

A Meia Maratona D’Ouro Run nas suas primeiras edições decorreu no final do mês de Junho mas com a grande concorrência de provas da mesma natureza na mesma área geográfica optaram por mudar o evento para o início do mês e assim neste ano voltou a acontecer no segundo fim de semana de Junho.

Mais uma vez a organização não deixou os seus créditos por mãos alheias e apresentou um evento sólido e bem definido com tudo que uma boa prova necessita.

O quartel-general da prova estava colocado junto parque desportivo de Ribeira de Abade e neste local amplo estavam colocadas todas as valências para uma grande prova.

Secretariado expedito, espaço para guarda-roupa, wc`s, massagens no final da prova e com todos os espaços sinalizados. Após a prova, os atletas não ficavam muito tempo na fila para receber o abastecimento final e medalha e os espaços estavam bem delimitados. Em suma, em termos logísticos a promotora esteve em grande nível.

Secretariado

A organização permitia levantar o dorsal no dia e num espaço comercial nos dias em antes e nos dois locais, o levantamento decorreu sem grandes filas ou demoras. Aos atletas era entregue um saco com publicidade à arte gondomarense da filigrana com uma t-shirt técnica vermelha alusiva à prova, o dorsal com chip, um porta-chaves e folhetos promocionais.

Após a prova, os atletas para além da medalha finisher, tinham um abastecimento com águas, banana e barra de cereais. Para um preço de inscrição de 10/12 euros o que foi oferecido aos atletas está num bom nível.

Para este evento, volto a fazer a sugestão que já havia feito no ano anterior. A prova está a ter níveis de afluência muito elevados e sendo a partida onde é, o espaço começa a ser muito apertado e a partida torna-se algo caótica. Era de valor pensarem em colocar alguns separadores na partida conforme tempos de referência.

Percurso não foi descurado

Tendo já participado nesta prova quer na meia maratona quer na minimaratona e as duas provas em condições climatéricas diferentes sabia que o percurso estaria todo bem definido pela organização.

O dia foi marcado por uma temperatura elevada e como tal a organização colocou ao longo do percurso vários chuveiros para os atletas se refrescarem.

Como mandam as normas, a organização colocou pontos de água ao longo do percurso e dada a temperatura que se sentia, também alargou o número desses pontos de abastecimento. Mais uma vez se verificou a preocupação ambiental pois em cada ponto de abastecimento havia o respectivo local para se depositar a garrafa vazia.

Todo o percurso esteve irrepreensivelmente bem marcado com informação da quilometragem e placas a anunciarem os pontos de retorno e de abastecimento. Em todos os cruzamentos de prova, a estrada estava sempre bem isolada ora por voluntários, ora por agentes da autoridade.

Pouco público na estrada

É um habitué nesta prova. A prova passa por lugares de pouca habitação e assim há pouco gente nas estradas a apoiarem os atletas. Para compensar essa falta de público, os atletas que se cruzavam iam-se incentivando entre si e na linha de meta havia muito apoio com os atletas a serem incentivados a terminarem a sua prova pelo sempre excelente speaker da prova.

A corrida da medalha bonita

A Meia Maratona D`Ouro Run é conhecida pelo seu magnífico percurso junto ao Douro e com as vistas que proporciona, mas podemos dizer que a prova ganha cada vez mais fama junto da comunidade de atletismo devido à qualidade e beleza da medalha finisher que apresenta. Todos os anos, a Oficina das Medalhas surpreende com um magnífico trabalho e este ano não foi excepção e arrisco dizer que terá sido a melhor medalha finisher que o evento viu até ao momento!

Meia Maratona D’Ouro Run, uma prova que se consolida de ano para ano

A Meia Maratona D’Ouro Run que este ano celebrou a sua sexta edição apresentou bons números de adesão. Apesar de uma queda de quase cem participantes em cada prova do evento, os números são deveras muito satisfatórios, mas a tendência de perda no evento de 2018 e agora neste tem que ser revista pelos responsáveis da prova e tomarem medidas para a reverter e estou certo que o irão conseguir.

Na meia maratona, a prova teve 758 finalizadores. Em 2017 haviam sido 949 e 821 em 2018. Em relação à minimaratona, esta teve 535 finalizadores. Em 2017 foram 582 e o ano passado foram 583.

Os atletas que procurem uma prova fora das grandes cidades ladeadas por prédios e vias rápidas têm na prova gondomarense uma meia maratona desafiante com excelente paisagem e sempre com o Douro a inspirar. Não haja dúvida que é uma das melhores meias maratonas nacionais.

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: Eventsport

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta