São Macário, podias ser menos magnífico, podias!!??

São Macário

Foto: Frítz Photography

No dia 8 de Novembro, o GTT.SPS – Grupo Todo Terreno de São Pedro, em parceria com a Fundação Inatal organiza a 5ª edição do Trail São Macário.

Ao contrário do que tem acontecido nas edições anteriores, e resultado da situação atual motivada pelo COVID19, o evento não será integrado na Festa da Castanha e do Mel, que não se irá realizar este ano.

Tendo em conta os planos de contingência e de forma a não proporcionar grandes ajuntamentos, o número de participantes, foram limitados a 200.

100 vagas para o Trail Curto (19Km) e 100 Vagas para o Mini Trail (10Km) foram as inscrições existentes que esgotaram rápidamente.

Esta edição, terá o início e o final do (Trail Curto e Mini Trail) na aldeia de Macieira de Sul (Sul, São Pedro do Sul), bem perto do S. Macário.

Além dos trilhos e das paisagens fantásticas, se foste dos que se conseguiram inscrever, podes viver esta grande Festa.

Mais uma grande aventura te espera!!

Visualiza o vídeo sobre a edição anterior.

Texto: Fátima Torga Guedes / Team Contagiante
Fotos: Frítz Photography

Foto: Frítz Photography

São Macário! São Macário, podias ser menos magnífico, podias!!?? Mas não seria a mesma coisa!!

Relembremos a 4ª edição deste evento, que esteve inserido na XXI Festa da Castanha e do Mel, em Macieira de Sul, São Pedro do Sul.

O percurso, um pouco foi diferente do ano anterior (2018), levou-nos por percursos, cujas paisagens foram ainda mais de cortar a respiração.

Um sobe e desce constante, com zonas muito técnicas, mas de uma adrenalina estonteante.

Percursos com muita água, sempre repletos de uma verdadeira panóplia de cores!

São Macário
Foto: Frítz Photography

O Trail de São Macário, teve dois pontos de partidas e chegadas.

O trail curto e longo o tiro de partida aconteceu em São Pedro do Sul junto à Câmara Municipal, tendo os atletas cortado a linha de meta em Macieira do Sul.

Já o mini trail e caminhada, tiveram o seu início e término no interior da Festa da Castanha e do Mel, em Macieira de Sul

São Macário
Foto: Frítz Photography

Subidas e descidas extremamente técnicas, mas de uma beleza inigualável

O trail curto e longo os atletas foram brindados por parte da organização, com uma escolha de trilhos, quer subidas e descidas extremamente técnicas, mas de uma beleza inigualável.

Trilhos nos quais os atletas se superaram e tiveram de saber gerir o seu esforço, fisico e quiçá mental, para quem provavelmente se estreava neste tipo de provas.

Mas que certamente se superaram, existindo um grande espirito de inter-ajuda entre os participantes, acabando-se por sentir aquela liberdade que as provas de trail possibilitam.

Foto: Frítz Photography

Para quem tinha como objectivo, fazer uma prova, com uma distância menor e com uma altímetria confortável, optou pela distância dos 10 e 20 kms

No entanto, dificuldades comuns estiveram presentes em ambas as distâncias dos 20 e 31 kms.

Talvez alguns atletas, que foi o meu caso se iam questionando, afinal o São Macário nem é assim tão duro…

Acredito que depressa retiraram esse pensamento, logo que entraram no Fujaco, após verem a tal placa “O Fujaco é já ali“.

Foto: Frítz Photography

“O Fujaco é já ali”

Ali, ok, mas como todos sabemos o que é ali nem sempre é!

Entrámos passado algum tempo na famosa e magnífica aldeia do Fujaco.

Fomos brindados com uma subida escorregadia de pedras comuns da zona, o xisto.

O xisto esteve presente quer no percurso, quer nas casas, que levavam certamente os atletas a contemplar toda aquela riqueza que transbordava no olhar.

A partir daí começou-se a sentir o que estava prestes a acontecer ao nível de um esforço físico, após uns 15 kms feitos desde o início de prova.

São Macário
Foto: Frítz Photography

Esperou por nós, uma subida interminável, em que os poucos atletas que se viam ao longe na montanha, pareciam pirilampos minúsculos devido aos seus impermeáveis coloridos.

O São Pedro decidiu também mostrar o ar da sua graça, muito vento à medida que se subia a montanha, chuva e caminhar ou relaxar não era opção.

O frio teimava em aparecer e aumentar a temperatura corporal era sim a opção.

Chegádos ao primeiro ponto de controlo, 18 kms, a sensação de alivio instalou-se depois de toda a subida que acorreu.

São Macário
Foto: Frítz Photography

Capela de São Macário

Ali, sabíamos que o São Macário, que a sua capela estava perto.

No entanto até lá ainda tivemos a barreira técnica dos penhascos, zona essa onde os atletas que percorriam os 20 e 31 km, se cruzaram com os que percorriam as distâncias do mini trail e caminhada.

Os atletas dos 31 km, ainda tiveram mais uns kms valentes a partir da zona do São Macário, no qual alguns desses atletas já no final de prova, disseram “parece que se iniciou uma nova prova“, dureza, era o que lhes esperava.

Os pontos de reforço, tinham toda uma excelente variedade de alimentos e bebidas para nada faltar, mas sem dúvida para quem é fã daquela aletria, ela estava de bradar aos céus!!!

David Silva – OPraticante.pt / Fátima Guedes e Mónica Baptista – Team Contagiante e André Marques

Já no final de prova, os atletas, tinham à sua espera um kit com uns fracos de mel, uma camisola de participação e claro a tão sofrida medalha finisher.

Depois foi aconchegar o estômago com sopa bem quente, e umas bifanas, e usufruir da Festa e adquirir alguns produtos tradicionais da região.

No final era unanime a opinião dos participantes da satisfação, sobre o percurso, sobre o evento, sobre a organização.

Organização – Foto: Frítz Photography

Amanhã serão vários desses atletas que repetirão a sua presença, que no final voltem a ficar satisfeitos, e a organização se volte a superar.

[divide icon=”circle” width=”medium”]

Parceiros

Deixe uma resposta