Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Supertaça, Benfica de derrotado a vencedor

A equipa de seniores masculinos do SL Benfica apurou-se para a final da Supertaça 2020 ao vencer o rival Sporting CP, na meia-final disputada no Pavilhão Municipal de Óbidos.

No Municipal de Óbidos, SL Benfica e Sporting CP protagonizaram um excelente espectáculo a que só faltou mesmo o público…

A Final da Supertaça, que coloca frente a frente o SL Benfica e o SC Espinho (vencedores das meias-finais).

A final da Supertaça está agendada para o dia 21 de Outubro, no Multiusos de Gondomar.

SL Benfica vence e está apurado para a final da Supertaça 2020

O Sporting CP inaugurou o marcador, com um bloco do distribuidor Bruno Alves, mas o SL Benfica igualou com um bloco triplo (2-2).

Os leões de Alvalade lideravam a marcha do marcador e lograram adiantar-se quatro pontos (8-4), com um serviço directo de Paulo Victor, o que obrigou Marcel Matz a reunir os jogadores encarnados.

Hélio Sanches aumentou a contagem, com um ataque pelo centro da rede, ao qual as águias responderam… com um ataque falhado pelo seu central Marc Honoré (10-4).

A diferença avolumou-se ainda mais com um bloco duplo de Bruno Alves/Hélio Sanches e novo serviço directo de Paulo Victor (12-4).

Um ataque de André Aleixo (Japa) procurou estancar a «hemorragia» pontual.

Hélio Sanches voltou à carga, ao que o SL Benfica respondeu com novo erro no ataque (14-5).

Um bloco individual de Raphael Oliveira encurtou a diferença (14-8), mas novo ataque para fora voltou a distanciar os leões (17-9).

À entrada para o último terço do parcial, o Sporting CP dominava claramente as operações (18-8), mercê do seu serviço agressivo (e eficaz) e da solidez da sua defesa alta.

Incapaz de combater a situação, o SL Benfica viu o seu adversário selar o resultado do primeiro set com um ataque de Paulo Victor: 25-15.

supertaça

Serviço leonino continuou a fazer mossas

O serviço leonino continuou a fazer mossas na recepção do SL Benfica, sendo bem secundado pela eficácia do bloco (7-4).

Rapha reduziu para a diferença mínima, mas o imparável Paulo Victor continuou a facturar (9-7, 11-9).

Marc Honoré igualou pela primeira vez aos 10 pontos e o capitão Hugo Gaspar manteve o braço-de-ferro (12-12).

O Sporting continuava a somar pontos pelas mãos de Paulo Victor, mas um serviço directo de Honoré colocou o SL Benfica na frente (14-13).

Um ataque para fora de Hélio Sanches deu uma vantagem de três pontos (16-13) à equipa de Marcel Matz, mas Paulo Victor voltou a aproximar o seis leonino (20-19).

A igualdade a 20 pontos deixava tudo em aberto, mas o SL Benfica complicou a sua situação ao atacar duas vezes para fora (21-23).

O Sporting voltaria a triunfar, novamente com um ataque do oposto Paulo Victor Silva: 25-22.

SL Benfica entrou muito mal

O SL Benfica entrou muito mal no terceiro parcial ao falhar um serviço e um ataque (0-2).

Um ataque de Paulo Victor ainda manteve a diferença (4-2), mas o SL Benfica reagiu e passou para a frente (6-4).com dois serviços de Rapha Oliveira.

Três pontos no ataque de Paulo Victor permitiram ao Sporting aproximar-se e, depois, igualar (8-8).

O SL Benfica não conseguia travar o ímpeto do artilheiro de serviço dos leões e Paulo Victor conseguiu mesmo colocar a sua equipa na liderança do marcador (10-9).

Contudo, Gerson Gomes viu-se obrigado a pedir um desconto de tempo para interromper uma série de erros do Sporting (14-10).

Paulo Victor, até aqui irrepreensível nas ações ofensivas, contribuía com dois ataques falhados (19-11).

A entrada em campo do distribuidor Miguel Maia deu novo fôlego ao Sporting CP, que se aproximou com um ataque e um serviço de André Saliba e um ataque desperdiçado pelos homens da Luz (22-19).

Coube a Rapha selar o resultado com um ataque: 25-19.

Signo do equilíbrio

O quarto set arrancou sob o signo do equilíbrio, embora com um ligeiro pendor para o lado dos benfiquistas (5-3, 8-6), que, contudo, pecavam por desperdiçar serviços para a rede.

O libero Ivo Casas dava o peito às balas do ataque leonino e Japa facturava (11-8).

Mas o Sporting CP defendia-se bem e Paulo Victor Silva continuava a somar pontos no ataque (12-10)… e no serviço (13-12).

A igualdade aos 13 pontos recompensava a garra com que os leões executavam as acções ofensivas…

Dois ataques e um serviço falhados pelo SL Benfica possibilitaram a liderança do Sporting (17-16).

Novo ataque desperdiçado obrigou Marcel Matz a reunir com os seus jogadores.

A ânsia de recuperar terreno antes que fosse tarde demais fazia com que o SL Benfica falhasse serviços, mas Japa logrou alcançar a igualdade e a liderança com dois ataques (21-20).

Hélio Sanches fez o 23-23 no ataque, mas seria com um bloco duplo a Paulo Victor (25-23) que a equipa da Luz venceria o parcial e adiaria a decisão do apuramento para o quinto set.

O set da decisão do apurado para a final da Supertaça

No derradeiro parcial, um ataque e um bloco do experiente Flávio Soares (Zelão) colocaram o SL Benfica em boa posição para enfrentar a recta decisiva do set (9-7).

Hélio Sanches reduziu a diferença a um mero ponto, mas Marc Honoré respondeu à altura na luta de centrais (11-9).

Com os nervos à flor da pele, os erros no ataque e no serviço aconteciam.

Mas o oposto Theo Lopes manteve a cabeça fria e com um serviço e um bloco os encarnados venceram por 15-11.

supertaça

O oposto sportinguista Paulo Victor, com 31 pontos, e o zona 4 benfiquista Raphael Oliveira, com 20, cotaram-se como os melhores pontuadores do jogo.

Texto: Federação Portuguesa de Voleibol
Fotos: Jorge Cabral

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta