Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Trail de Santa Luzia: Simpatia e competência em Carreira

Aproxima-se o pico do Verão, o calor começa a apertar, o pensamento já nas férias, mas nem por isso se descura a prática do exercício físico e muitas são as provas que acontecem neste mês de Julho. Uma boa escolha para estes meses quentes são as provas de trail que para além de fugirem do calor da estrada permitem aos atletas sempre explorarem novos trilhos e desafios, este foi o caso do Trail de Santa Luzia.

O 2º Trail de Santa Luzia aconteceu no Domingo (14) de Julho pelas 9h30 na freguesia de Carreira em Barcelos e foi uma organização da Associação Desportiva de Carreira, da Junta da União de Freguesias de Carreira e Fonte Coberta, Câmara Municipal de Barcelos e BTT Carreira. A compor o evento desportivo tiveram duas provas cronometradas, um trail longo na distância de dezoito quilómetros, um trail curto na distância de onze quilómetros e a uma caminhada sem fins competitivos e só de promoção da actividade física na distância de oito quilómetros.

A equipa de OPraticante.pt esteve presente no evento e agora apresentamos todas as notas como tudo decorreu.

Foto: Sérgio Rodrigues Fotografia

Percurso de várias facetas por Carreira até ao Monte de Airó

O 2º trail de Santa Luzia tal como na edição inaugural teve partida e chegada junto à capela de Santa Luzia, local emblemático e de culto daquela localidade.

Santa Luzia – Foto: Fotovilas

Aos atletas era proposto um trail de trilho multifacetado que poderá não ter agrado a todos os presentes, mas que no final se traduzia num bom desafio. Após o tiro de partida, os atletas rumavam até junto do campo de futebol local e só aí entravam verdadeiramente no trilho por um terreno florestal não muito trabalhoso nem exigente tecnicamente.

O trilho da prova por entre campos de milho, estradões, e propriedades agrícolas levava os atletas até às freguesias de Moure e Sequeade onde a partir daí era o monte de Airó que ditava as suas leis com os seus desafios rochosos e traiçoeiros. Se no trail curto o desafio foi menor com os atletas a terem um acumulado de 402m positivos, já no trail longo o acumulado foi de 688m positivos uma vez que o percurso pelo monte de Airó era mais extenso e prolongava-se até terrenos de Bastuço.

Foto: Sérgio Rodrigues Fotografia

Um trilho generoso

O trilho era circular com os atletas depois da ida ao monte de Airó voltavam a fazer os primeiros quilómetros do trilho, mas agora em sentido inverso para regressarem à meta na Capela de Santa Luzia onde nos últimos metros tinham à sua espera um bom par de escadas para massajarem as suas pernas.

Em suma, o trilho do trail de Santa Luzia, que constituiu o percurso da prova, foi um trilho generoso, pelo local em questão não se pode colocar grandes desafios, pois a altimetria não permite e o único desafio colocado aos atletas foi mesmo no monde de Airó. Pessoalmente, não desgostei do trilho, passa pela alma da freguesia onde a agricultura tem destaque, embora os vários segmentos de empedrado que estiveram em pontos intermédios a ligarem os segmentos mais técnicos do trilho não tivessem sido do meu agrado mas é somente gosto pessoal e como em todas as provas, não se pode agradar a todos os presentes.

Foto: Fotovilas

Vencedores

Trail Longo

Bruno Ferreira vence 2º Trail de Santa Luzia

O 2º Trail de Santa Luzia teve como grande vencedor Bruno Ferreira da Team Lantemil que demorou 01:24:53 a percorrer os dezoito quilómetros da prova. A completar o pódio ficaram João Henrique Da Cruz com 01:28:15 e Pedro Oliveira da FisioPedro com 01:33:42.

Angélica Rocha vence competição feminina

Na vertente feminina da prova, a grande vencedora foi Angélica Rocha do Dragon Club com 02:12:44. Completaram o pódio Deolinda Faria do AiróRun com 02:16:59 e Cristina Silva da Sérgio Rodrigues Fotografia com 02:18:23.

Foto: Sérgio Rodrigues Fotografia

Vencedores por escalão

A trail longo teve vencedores por escalão. Eis os vencedores:

Na competição masculina venceram Alexandre Vilaça do CAAC – Clube de Atletismo de Arentim e Cunha (Sub23), Bruno Ferreira do Team Lantemil (Séniores) e Paulo Pereira do Dragon Club (M40).

Na competição feminina venceram Angélica Rocha do Dragon Club (Séniores) e Deolinda Faria do AiróRun (F40).

Foto: Faria Joaquim Foto Imagem

Vencedores por Equipas

Na competição por equipas no trail longo o pódio foi constituído por Dragon Club, FisioPedro e CAAC – Clube de Atletismo de Arentim e Cunha.

Trail Curto

Marco Santos vence competição masculina

Na vertente do trail curto do 2º Trail de Santa Luzia, o vencedor foi Marco Santos que terminou os onze quilómetros de prova com 50:27min. Na segunda posição ficou Tiago Conceição dos Turbulentos com 54:03min e na terceira posição Filipe Meneses do Ker Sport Trail Running com 54:24min.

Marcos Santos – Foto: Eugénio Faria Fotografia

Andreia Rocha triunfa na competição feminina

Na competição feminina do trail curto a grande vencedora foi Andreia Rocha do Dragon Club com 01:14:12. A completar o pódio ficaram Cristiana Rocha do Via Saudável com 01:15:05 e Rosa Araújo do B.T.M com 01:18:37.

Vencedores por escalão

A trail curto teve vencedores por escalão. Eis os vencedores:

Na competição masculina venceram Rui Araújo do ARC Vale são Cosme (Sub23), Marco Santos (Séniores) e Paulo Macedo (M40).

Na competição feminina venceram Cristiana Rocha da Via Saudável (Sub23), Andreia Rocha do Dragon Club (Séniores) e Rosa Araújo da B.T.M (F40).

Foto: Faria Joaquim Foto Imagem

Vencedores por equipas

Na competição por equipas a grande vencedora foi a AiróRun, seguida da DAPproduções e da B.T.M.

OPraticante.pt

A equipa de OPraticante.pt esteve representada no trail curto com Helena Santos (96ª geral / 13ª sénior) – 01:55:31 e Nuno Fernandes (97º geral / 40º sénior) – 01:55:31.

Nuno Fernandes e Helena Santos – OPraticante.pt – Foto: Fotovilas

Evento com uma organização simpática e competente

O primeiro destaque que tenho a apontar sobre este evento é a simpatia e o trato como fomos recebidos em São Miguel da Carreira. Seja na disponibilidade para ajudar a promover a prova junto das nossas plataformas, seja no dia no secretariado, no staff presente no trilho, no staff do abastecimento, seja mesmo do responsável da prova com quem dialogamos depois da prova, todos foram de uma grande simpatia e quando uma prova tem esta postura é meio caminho andado para os atletas voltarem no ano seguinte ao evento.

A prova teve o seu quartel general junto à Capela de Santa Luzia como indicado e eram aí que estavam todas as valências da prova. O secretariado funcionava dentro da sede do BTT Carreira e não se registaram grandes demoras em levantar o kit do atleta. No espaço havia ainda casas de banho, espaço amplo para os atletas repousarem após o abastecimento final que era dado num espaço próximo. Apesar de ser um local pequeno e com ruas de acesso estreitas, estava ali um espaço muito acolhedor para a partida e chegada de uma prova desportiva.

Evento sem medalha de participação

Foto: Fotovilas

A quando do levantamento do kit do atleta, era entregue um saco plástico com o dorsal com chip, várias ofertas dos patrocinadores como caneta, bolsas e uma barra energética. Os primeiros atletas que confirmassem a presença na prova tiveram direita uma t-shirt técnica alusiva à prova. Após a prova, os atletas recebiam mediante a entrega de uma senha que estava no kit de atleta uma bebida e uma broinha de Santa Luzia (pão com chouriço).

Para um preço de inscrição de dez euros, o que os atletas receberam está a um nível aceitável embora tenha de ressalvar que o preço de dez euros era para as duas distâncias do trail e um trail curto com esse preço e onde no final não se tenha direito a uma lembrança da prova é algo que pode pesar negativamente na opinião de alguns presentes sobre a prova. Fica sempre bem o atleta levar para casa uma lembrança da prova e o facto de isso não acontecer é talvez o ponto negativo desta prova.

Foto: Fotovilas

Grande animação antes da partida

A anteceder a partida da prova, o espaço junto à Capela de Santa Luzia encheu-se de animação, primeiro com o aquecimento proporcionado aos presentes pelas instrutoras de um ginásio parceiro do evento e que ajudou a muitos dos que iam participar na caminhada a se preparar devidamente para o esforço que iam despender.

Foto: Sérgio Rodrigues Fotografia

Depois do aquecimento, foi tempo de se aplaudir os mais jovens que iam participar no trail kids que sempre correm com aquela emoção de tentar chegar em primeiro à meta. Apesar de terem sido poucos os que alinharam à partida, mesmo assim não deixaram de receber a ovação merecida na linha de chegada.

Foto: Sérgio Rodrigues Fotografia

De registar que a prova partiu com um ligeiro atraso devido a uma indisposição de um atleta presente no evento que requereu tratamento do INEM, mas esse tempo de espera foi devidamente preenchido pelo speaker de serviço, Emanuel Gomes que como sempre fez um trabalho exemplar a promover e a apresentar a prova.

Percurso bem trabalhado

Em relação ao percurso da prova, todo ele esteve muito bem organizado, sempre muito bem sinalizado, seja com fitas, seja com placas informativas. Não foi por este aspecto que os atletas não fizeram uma boa prova.

Foto: Fotovilas

A prova do trail curto teve um abastecimento de sólidos e líquidos aproximadamente ao quilómetro cinco e um de líquidos ao quilómetro oito. Em relação à qualidade do abastecimento, este foi rico e muito variado e onde nada de errado se pode apontar. De destacar ainda a grande simpática do staff presente nesse abastecimento.

Algo a destacar pela negativa é a má educação de alguns atletas que teimam em deitar no chão restos do seu abastecimento quando em prova. Mas pior ainda são aqueles que saem a comer do abastecimento e nos metros seguintes despejam lixo para o chão como se nada se passasse. Haja educação!

De destacar e agora bem pela positiva é a educação com que os habitantes de Carreira saudavam os atletas que à sua passagem tinham uma palavra de incentivo e um bom dia e boa prova a desejar.

Foto: Sérgio Rodrigues Fotografia

Trail de Santa Luzia, um trail local que luta pelo seu espaço com competência

O 2º Trail de Santa Luzia, não apresentado uma estrutura de grande envergadura, acredito que também não seja o objectivo da organização que pretende ter um evento controlado em termos de afluência, foi um trail de grande capacidade e competência demonstrada pelo BTT Carreira.

Conhecendo de outras paragens esta colectividade, sabia de antemão que o evento seria bem organizado e de facto em termos de organização não há nenhuma falha de maior a apontar.

Foto: Sérgio Rodrigues Fotografia

Segundo palavras de Carlos Lopes, organizador da prova, com quem dialogamos após a prova, “o balanço da prova era positivo, com uma afluência maior que a edição inaugural”. O promotor mencionou ainda que no fim de semana aconteceu a Galo Night Run em Barcelos e no mesmo dia e à mesma hora do trail na freguesia ao lado acontecia uma prova de atletismo de estrada com a corrida de Santa Maria de Nine e isso sempre afectava a adesão à prova.

Mesmo com esta concorrência, o facto de o trail ter um aumento de afluência (121 em 2018 e agora 165 no total das duas distâncias), mostra que a prova tem futuro. O facto de neste ano se ter apresentado uma distância longa e uma distância curta em vez de uma só distância como no ano anterior, mostra que a organização está atenta a aberta e melhorar a prova.

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: Eugénio Faria Fotografia / Faria Joaquim Foto Imagem / Fotovilas / Sérgio Rodrigues Fotografia

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta