Coluna Dto
Coluna Esq

Trail do Míscaro proporciona crioterapia

No VI Certame Gastronómico do Míscaro de Aguiar da Beira, está inserido o V Trail do Míscaro, com as distâncias 30 Km (Trail Longo), 15 Km (Trail Curto) e 8 Km (Caminhada), no pavilhão gimnodesportivo local, ocorreram as partidas e as chegadas, deste evento desportivo, assim como, o espaço gastronómico e o mercado agrícola.

Aliando assim a natureza, património, as tradições rurais e a prática do desporto.

Assim sendo, faz todo o sentido a organização de um Trail… sempre a natureza em destaque… e nesta localidade, em estado selvagem, cresce este cogumelo (míscaro amarelo) cientificamente conhecido como Tricholoma equestre ou Tricholoma flavovirens e porque não degustar esta iguaria que tanto adoro?

Sendo eu um amante de cozinha, sempre atento às diversas formas de confeção, pena só ter agenda para me deslocar aqui no dia da prova e não tentar explorar mais os restaurantes locais.

Trail do Míscaro

O Trail do Míscaro foi organizado pelo jornal local (+Aguiar da Beira), em parceria com a câmara Municipal, contando também com o apoio de agentes económicos locais. Tendo como objetivo a divulgação das condições favoráveis do município para a micologia, turismo em contacto com a natureza e para a prática do desporto.

E porque o Trail é sinónimo de natureza, por cada atleta inscrito no Trail do Míscaro será plantada uma árvore, para a reflorestação do concelho! Neste dia, os participantes da caminhada realizaram esta plantação, as restantes árvores, irão ser plantadas posteriormente. Na edição anterior, foram plantadas cerca de 300 árvores.

Iniciei a minha rotina do “dia de prova”, madrugar, seguido de um bom pequeno-almoço! E siga viagem para Aguiar da Beira, representando a equipa OPraticante.pt. Sendo uma vila que pertence ao distrito da Guarda, calor era algo que eu não esperava, por isso, com equipamento no saco para fazer face às baixas temperaturas.

Chego há prova, bem cedinho, como eu gosto, reparo logo que a temperatura local, era fresquinha, 7º C… deparo-me logo com cogumelos selvagens… questão interna? São comestíveis? …não sei! …Mas é engraçado… nascerem em qualquer local.

Secretariado, briefing e partida

Levantamento de dorsal, contacto com os atletas e trocas de ideias habituais, “queimando” tempo num café local. Tenho de me equipar, nas calmas e reparo que me tinha esquecido das garrafas de água…. Caramba… até parece que começaste agora nestas andanças… como é que é possível? Vamos lá improvisar, compro duas garrafas de água pequenas… sem água é que não vou!!! Luvas e t-shirt térmica… que frio!!!

Briefing da prova, participantes do Trail do Míscaro na distância de 30 km, na frente. Não eramos muitos. Seguidos dos participantes dos 15 Km… após a partida… minutos depois… iria sair a caminhada!

Dada a partida do Trail do Míscaro e arranco juntamente com a malta da frente… acho que aguento 500 metros… ahahah… já é bom! Mas rapidamente começo a reduzir o ritmo, mais uma prova ao “meu ritmo”! Cada vez me sinto melhor e cada vez vou “esticando” mais a corda, acho que só assim, conseguimos evoluir….

Em pouco tempo chegamos ao primeiro abastecimento, até achei que era muita pouca distância, sinceramente, nem parei! Tinha água, transportava o meu S.O.S. comestível. Um pouco de alcatrão… naquela fase até animava! Mas vos confesso, que a prova no seu total, não teve muita estrada… um Trail interessante.

Crioterapia… relaxamento muscular… o catano… estava fria!!!

Cerca do km 7, começam a surgir as primeiras travessias de água… crioterapia… relaxamento muscular… o catano… estava fria!!! Mas tem de ser, isto é Trail! Mais uns km, cerca do Km 9, outra vez água…. Mas aqui, não era só um “charco”, subiu acima do joelho e bem gélida. Mas depois de sair de lá, até soube bem.

Chegado a uma “barragem” ou a uma retenção de água em que a saída se dava por uma espécie de meias luas, a água a cair provocava um efeito engraçado. Uns poucos metros, lá estava outro abastecimento, mais uma vez, decido não parar, mas reparo que os abastecimentos do Trail do Míscaro estavam bem completos, com alguma variedade e não vi batatas fritas… ainda bem… mas sim, abastecimentos com iguarias locais.

Manuel Carlos Martins – OPraticante.pt na frente

Mais umas subidas e descidas, vou apreciando a natureza, uma prova em que o musgo era uma constante, rochas praticamente lisas. Provoca em mim, um pouco de receio de queda. Demonstrando a razão desta localidade nascerem os míscaros, tendo em conta que necessitam de um clima bastante húmido e ameno, em geral. E aparecem, várias vezes durante os trilhos.

A natureza é algo de fantástico

Mais uma subida, chego ao ponto alto da prova… no meio da serra uma rocha enorme… lá no topo uma cruz… a natureza é algo de fantástico. Como pode uma rocha surgir assim…. Não consigo explicar… apenas apreciar!

Estou a meio da prova… e estava a ser acompanhado por um grupo de atletas… ou a acompanhar…

Em prova, pouco ou nada falo… mas, tive de sair do trilho… a chamada “paragem técnica”… vocês sabem a que me refiro! Rapidamente eles se distanciam…. De volta ao trilho… não os vejo mais… ritmo mais forte… tento ir mais rápido… é mais divertido irmos aos pares… acabo por pensar, talvez já não os consiga alcançar… sem problema… o importante é saborear o momento. Ao km21, consigo alcançar aquele grupo, não era competição… mas é sempre bom forçar o ritmo…

Ao entrar numa zona florestal… em diversos pontos… encontro pessoas remexendo a caruma e nas zonas mais sombrias… sim, estavam a apanhar os famosos cogumelos!

Não consegui… até ao fim… basicamente sozinho

Mais um abastecimento, estávamos a passar o interior de uma quinta… vejo a publicidade Quinta Santo- Estevão… pego num rissol e continuo… mas aqui saio a caminhar, os músculos estavam a dar sinais o facto de ter acelerado na prova… estava a tentar apanhar outro grupo de malta que me tinham acompanhado uns bons km… não consegui… até ao fim… basicamente sozinho…

Mais um pouco de estrada, um incentivo dos bombeiros locais que se encontravam num cruzamentos das provas e a direcionar a malta… e mais uma subida! Alguém me diz: “Está a quase!” …Respondo: “Pois, o quase é que custa agora!” Mas estava bem, apesar de algumas cãibras nos gêmeos… normal!! Km 27, já sentia o cheirinho da conclusão.

Mais um rio de água… mais crioterapia… ui… esta zona custou… mas em simultâneo parece que relaxa. A um ritmo acelerado, ao que chamo o ritmo de conclusão… vontade de terminar a prova rápido… vejo uns jovens numa ponte, cansados de ali estar… eu sei o que eles passam. Perguntam-me se faltam muitos atletas…. De facto… não tenho noção… dizem-me que falta cerca de 300 metros para a conclusão. Uma prova sem acréscimo de km, impecável. Concluo com um tempo de 3:28:07, 15º na Geral e 7º lugar no escalão!

E tomemos conhecimento das vencedores da geral e por escalões.

No Trail longo (30 Km):

Catarina Fernandes

Três audazes senhoras, todas seniores participaram e concluíram a distância longa do Trail do Míscaro Catarina Fernandes – 2:58;55 e Catarina Regalo – 3:27;06 ambas a representar o Viriathvs Runners Viseu, ocuparam os dois primeiros lugares e o 3º lugar foi para Sónia Barbosa – PSP Viseu Runners – 3:32;28.

Os vencedores foram David Coutinho – Jobra com 2h23m58, seguido de Diogo Santos – GD Trancoso – 2:31;32 e Paulo Pires – Runners do Demo – 2:32;50 completou o pódio.

David Coutinho

Por escalões

Sen – Catarina Fernandes – Virithvs Runners Viseu – 2:58:55 / Diogo Santos – G.D.Trancoso – 2:31:32
Vet 40 – David Coutinho – JOBRA – 2:23:58
Vet 50 – Fernando Santos – Motoclube de Mangualde Runners – 2:51:36

No Trail Curto (15 Km):

João Rodrigues

João Rodrigues – ORI-Estarreja foi o vencedor percorrendo a distância em 1:00:43, Sérgio Martins – Shfit Trail Team com 1:06;23 obteve o 2º lugar e o 3º lugar foi obtido por Filipe Vicente – Individual com 1:07;02

No sector feminino a vencedora Eduarda Leitão – Viseu 360 necessitou de 1:24;27 para obter a vitória, Raquel Ferreira -Police Challenge Team – 1:28;52 e Celina Dias – Run4fun – 1:30;43 ocuparam respectivamente o 2º e 3º lugar.

Eduarda Leitão

Por escalões

Sen – Eduarda Leitão – Viseu 360 – 1:24:27 / João Rodrigues – ORI-Estarreja – 1:00:43
Vet 40 – Celina Dias – Run4Fun – 1:30:43 / Sérgio Martins – Shift Trail Team – 1:06:23
Vet 50 – Maria Gradiz – Individual – 2:02:06 / Paulo Miguel – Ori-Estarreja – 1:08:39

Classificações totais.

Evento no facebook

Após a conclusão da prova, um banho seria recomendável…. Ui…água fria!!! Parte menos interessante… De seguida, o almoço estava incluído na prova e como tinha de ser, no local onde o míscaro é Rei, uma sopa de cogumelos e uma carne com batatas, castanhas e uns cogumelos… adicionei um pouco de piri-piri caseiro que tanto adoro!!!

VI Concurso Gastronómico de Míscaro de Aguiar da Beira

Acompanhei a entrega de prémios do Trail do Míscaro e o sorteio de alguns produtos pelos atletas, tive sorte, pois fui premiado com uns enchidos. Uma voltinha pela feira para apreciar os diversos produtos e uma compra de mel… já que nesta altura recomenda-se manter o stock deste produto.

Na feira vendia-se de tudo um pouco, produtos caseiros, enchidos, queijos, licores, bordados e afins. O que me chamou a atenção, era uma “ilha” onde existiam vários tipos de cogumelos em que estavam identificados com o nome, se eram comestíveis ou tóxicos. Mas, vos confesso, não tenho conhecimentos suficientes para arriscar uma colheita desta iguaria em terrenos selvagens!!!

Um Trail diferente do que habitualmente estou habituado a participar, já que é inserido num certame gastronómico, com cerca de 400 participantes e com muitos pontos positivos… estradões e trilhos, pouco alcatrão e paisagens bonitas.

A participação no Trail do Míscaro requer algum cuidado na zona de pedra lisa, coberta de musgo, chamo-lhe as zonas técnicas. Bem marcado, regra geral.

 

Pontos a melhorar:

Os banhos de água fria após uma prova, não é muito agradável, dado ao frio que se fez sentir durante a prova.

Na minha modesta opinião, uma medalha de “finisher” é sempre interessante e uma recordação.

Tirando estas sugestões, classifico como um bom Trail para um dia de Domingo em família!

Até ao próximo fim de semana… com novas aventuras!!!

[dividir ícone = “círculo” width = “médio”]

Texto: Manuel Martins
Fotos: Cedidas pela organização

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta