Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Claro triunfo para terminar Olimpíadas de Xadrez

A seleção de xadrez absoluta de Portugal cumpriu os objetivos traçados para as Olimpíadas de Xadrez de Batumi (Geórgia), ao conseguir um lugar entre os 50 primeiros (foi 47.ª), após triunfo confortável (3,5-0,5), sobre os Emirados Árabes Unidos, na 11.ª e derradeira jornada da competição.

Claro triunfo de Portugal para terminar Olimpíadas de Xadrez

O triunfo sobre os Emirados foi construído através das vitórias parciais do grande mestre António Fernandes e dos mestres internacionais David Martins e André Ventura Sousa, nos segundo, terceiro e quarto tabuleiros, tendo o grande mestre Luís Galego empatado no primeiro.

David Martins foi a figura maior da equipa lusa, ao concluir a Olimpíada com 8 pontos em 10 partidas, um dos melhores registos no respetivo tabuleiro. Para a história em termos de resultados dos portugueses neste torneio fica também o triunfo parcial de Luís Galego sobre o polaco Jan-Krzysztof Duda, 23.º jogador mundial, na terceira ronda.

Os 13 pontos de encontro e os 26,5 pontos na soma dos tabuleiros igualam a performance das últimas Olimpíadas de Xadrez (Baku 2016), nas quais Portugal tinha terminado na 41.ª posição, mas com menos países presentes (170 contra 184).

Numa das melhores presenças de sempre na grande prova mundial de seleções, mais uma vez, a equipa lusa absoluta terminou bem acima do número de ordem do ranking inicial (63) e cumpriu o principal objetivo definido para esta 28.ª participação em Olimpíadas de Xadrez, que era ficar no top-50.

Emirados Árabes Unidos – Portugal

Seleção feminina não atinge objectivos

Menos feliz esteve a seleção feminina, que foi derrotada pela Argélia na última ronda (1-3) e acabou a prova em 95.º, com 10 pontos de encontro e 20,5 na soma dos tabuleiros. Neste caso, o registo final ficou abaixo das expetativas, pois a equipa estava cotada à partida com o número 66 do ranking, entre 149 seleções.

No duelo com as argelinas empataram Ana Bapista e Ana Inês Silva nos primeiro e quarto tabuleiros, enquanto Rita Jorge e Mariana Silva foram batidas nos segundo e terceiro. Apesar da derrota, Rita Jorge foia jogadora que mais se destacou na equipa, terminando com 5,5 pontos em 10 partidas e um ganho de 32 pontos para o Elo.

A China foi a grande vencedora das Olimpíadas de Xadrez de Batumi, ao triunfar nos dois setores. Em ambos os casos, os chineses empataram (2-2) na primeira mesa – frente aos Estados Unidos no torneio absoluto e perante a Rússia na prova feminina -, resultados que serviram os objetivos e vieram a ser favoráveis nas contas dos desempates. A 44.ª edição das Olimpíadas de Xadrez realiza-se na cidade russa de Khanty-Manssiysk (Sibéria), em 2020.

Portugal – Argélia

11.ª Jornada – Resultados:

Absolutos:

Emirados Árabes Unidos – Portugal, 0,5-3,5:

Noaman Omar (MI, 2356) – Luís Galego (GM; 2471), empate;

António Fernandes (GM, 2389) – Jasem AlHuwar (MF, 2245), 1-0;

Omran AlHosani (MF, 2101) – David Martins (MI, 2402), 0-1;

André Ventura Sousa (MI, 2365) – Sedrani Ammar (MF, 2099), 1-0.

Classificação final: 1.º China, 18 pontos; 2.º Estados Unidos, 18; 3.º Rússia, 18; 4.º Polónia, 17; 5.º Inglaterra, 17; 6.º Índia, 16; 7.º Vietname, 16; 8.º Arménia, 16; 9.º França, 16; 10.º Ucrânia, 16;… 47.º Portugal, 13; 184.º Antigua e Barbuda, 1.

Femininos:

Portugal – Argélia, 1-3:

Ana Baptista (MFF, 2008) – Amina Mezioud (MIF, 2056), empate;

Sabrina Latreche (MIF, 2056) – Rita Jorge (MFF, 1870), 1-0;

Mariana Silva (1924) – Hayat Toubal (MIF, 1862), 0-1;

Lina Nassr (MIF, 1854) – Ana Inês Silva (1890), empate.

Classificação final: 1.º China, 18 pontos; 2.º Ucrânia, 18; 3.º Geórgia 1, 17; 4.º Rússia, 16; 5.º Hungria, 16; 6.º Arménia, 16; 7.º Estados Unidos, 16; 8.º Índia, 16; 9.º Geórgia 2, 16; 10.º Azerbaijão, 16;… 95,º Portugal, 10; 149.º Gâmbia, 1.

Texto / Fotos: FPX

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta