ACB Racing e Açores TT Team repetem presença nas 24H TT Vila de Fronteira

Depois de um fim de semana nos Estados Unidos onde esteve com a Veloso Motorsport na emblemática pista de Sebring, para trabalhar no Lamborghini que a equipa portuguesa fez alinhar na Final Mundial do Lamborghini Super Trofeo, é agora tempo de António Castelo Branco, o líder da ACB Racing, “mudar o chip” para uma competição inteiramente diferente. De volta a Portugal, a próxima paragem é na Vila de Fronteira onde se corre mais uma edição das 24 H TT de Fronteira, a prova em que se celebra o espírito do Todo o Terreno com pilotos e equipas oriundos de muitos países europeus.

A prova arranca às 14 horas de sábado, dia 28 de Novembro, e termina no domingo à mesma hora.

António Castelo Branco trabalhará em parceria com os técnicos da Auto 68, a equipa que habitualmente acompanha o Açores TT Team do piloto Bruno Oliveira.

“Esta é mais uma oportunidade de promover todos os patrocinadores da ACB Racing mas sobretudo de divulgar a cidade de Angra do Heroísmo junto dos largos milhares de espetadores que todos os anos seguem as incidências da prova e circulam pelas boxes. A promoção dos Açores e da ilha também se faz junto das próprias equipas que se deslocam até Fronteira vindos dos pontos mais diversos do continente europeu”, revela António Castelo Branco.

O homem forte da equipa de assistência e preparação terceirense não deixa de lado a ambição de um bom resultado desportivo. “Temos condições para fazer um bom resultado na nossa categoria”, considera António Castelo Branco. O Mazda CX5 Proto do Açores TT Team compete integrado no Desafio Mazda. Para esta competição há pontuações atribuídas no final das primeiras 12 horas de corrida e, obviamente, no final das 24 horas. “As 24 H TT Vila de Fronteira são uma corrida e portanto é preciso andar rápido. Mas a equipa, no seu todo, tem que ser inteligente para gerir da melhor maneira uma prova em que nem sempre se pode andar a fundo”, explica António Castelo Branco. “As provas de resistência Todo o Terreno ganham-se na pista e não na box. De nada adianta fazer umas voltas com uns tempos fantásticos e depois ter de parar uma série de horas para resolver problemas técnicos”, sintetiza o responsável da ACB Racing.

Foto de: Fotoconcepts / Açores TT Team / DR

Parceiros

Deixe uma resposta