Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Arrábida MTB Race recebe corajosos atletas

Nos dias 21 e 22 de setembro, a Vila de Sesimbra recebeu a primeira edição da Arrábida MTB Race, com o Parque Natural da Serra de Arrábida como palco do evento, uma prova feita em duplas ou individualmente.

Arrábida MTB Race

Arrábida MTB Race um projeto com a organização da empresa Lima & Limão Cycling Services Ldª, em que com uma excelente organização conseguiu dar aos corajosos atletas participantes uns grandes momentos de Btt e dor nas pernas.

Foto: By Paulo Miranda

Com uma primeira etapa de 75kms da Arrábida MTB Race a percorrer o interior da Serra da Arrábida e com 2000 metros de acumulado os atletas tinham que se encontrar muito bem fisicamente e psicologicamente para tal desafio. Não só pelo percurso elaborado pela organização, mas também pela situação climatérica que os esperava. A chuva da noite anterior e a que caia no momento da partida fez com que o terreno se torna-se muito difícil, zonas de barro que se agarravam as rodas, diminuindo a velocidade mas aumentando o esforço físico dos atletas.

Algumas rodas até pareciam as famosas BIGFAT, mas nada fazia desistir os duros e corajosos, nem as temíveis paredes que em algumas partes do percurso, como exemplo a Comenda fazia com que os papeis se invertessem, era tempo de as bikes irem ao colo dos bikers, tal era a dificuldade e inclinação.

“Romana” fez alguns estragos no Arrábida MTB Race

Foi uma primeira etapa com algum sofrimento devido a sua distância e dificuldade, devido a visita de alguns dos pontos mais famosos, a sempre espetacular zona da Comenda com os seus trilhos rodeados de paisagens, singles técnicos a descer para o pessoal se divertir. A passagem pela “Romana” fez alguns estragos que diga o atleta da dupla Algarvia que danificou a roda traseira e teve de chamar a assistência, mas de certeza que fez a delícia do fotografo que estava no local.

Foto: MG Photo

A transposição para a Serra do Louro foi feita com uma subida durinha e longa, que faz ligação até ao portão da “Vigia”, bem nem sempre se pode estar a subir, era hora de testar os travões e descer até ao vale, as nuvens definitivamente estragavam a beleza das paisagens. Para a última das longas subidas estava guardada a “Descida das Vacas” sim porque o normal é fazer a descer, raras as vezes é feita no sentido da prova, mas tudo se faz, montado ou a pé era para conquistar.

Foto: MG Photo

A bussola do gps já marcava o sentido de Sesimbra, o objetivo agora era a linha de Meta mesmo faltando ainda alguns kms e mais alguns obstáculos para serem vencidos, lá os atletas ultrapassaram mais uns pontos famosos, “Cai de Costas” “Caminho do Javali” “Subida da Coca Cola” “Sobe e desce das Necessidades” “Moinho do Cuco” e paragem no segundo abastecimento que era no mesmo local do primeiro, praticamente o regresso seria pelo mesmo percurso.

Foto: MG Photo

Zigue zague até a porta do Castelo

Mas no final debaixo de humidade, ou chuva forte para quem terminou algumas posições no final da tabela, tínhamos a subida em pedra romana, zigue zague até a porta do Castelo e sim a linha de Meta, onde a organização nos fornecia um belo banquete alimentar e nos confortava após tão belo SPA de lama e chuva.

Foto: MG Photo

E os vencedores foram

Etapa que foi vencida por Pedro Melitão do BTT Seia, seguido de Filipe Coelho e de Tiago Silva ambos individuais.

Nas duplas Miguel Rocha\Filipe Pires do Nucleo Btt Vila Fresca de Azeitão fram os vencedores, seguidos de Gonçalo Lestre\Rui Galo do GDUAzoia e de Nuno Gonçalves\Ruben Chagas Os Marroquinos.

Agora tempo de descanso pois faltava a segunda etapa, todos esperavam que a situação climatérica melhorasse, pois, o trajeto era para a zona do Cabo Espichel.

Foto: MG Photo

Segunda etapa do Arrábida MTB Race

Segunda etapa do Arrábida MTB Race, 08h30 já tínhamos atletas na zona da partida, últimas afinações nas máquinas, convívio, risadas e brincadeiras entre todos. Briefing 09h00 sobre o percurso e normas de segurança e 09h30 pontualmente a partida controlada.

Uma etapa mais curta que a primeira, os atletas tinham que enfrentar 47 km com 1000 metros de acumulado, pela zona do Cabo Espichel. O dia estava completamente diferente do dia anterior. O Sol trazia mais beleza as paisagens, os trilhos mais secos e adivinhava-se uma etapa bem mais rápida.

Foto: MG Photo

Primeira parte da etapa praticamente igual ao início da anterior, a passagem controlada por Sesimbra e largada no início da entrada do parque de estacionamento, agora é alcatrão até ao topo de Sesimbra. Um single já conhecido do dia anterior e regresso ao Castelo e linha de Meta pela tão celebre calçada. A organização e o tão celebre speaker Hugo Palma puxava pelos atletas.

Um belo sacar de cavalinho sem mãos no volante

A primeira dificuldade do dia foi a subida da Acenta, metros de alcatrão que não pareciam ter fim, a inclinação chegou a atingir os 24%. Mas ainda havia forças para um belo sacar de cavalinho sem mãos no volante, que diga, o atleta Paulinho Brazão da Equipa OPraticante.pt\Sfoa Cycle Team, ficando registado pelo fotografo MG Photo.

Foto: MG Photo

Vamos lá deixar de brincadeiras e toca a pedalar, trilhos rápidos, descidas sinuosas com pedras em que tínhamos que escolher bem onde colocar as rodas, terreno duro nalgumas zonas, uma vala considerada zona muito perigosa, previamente avisada pela organização e as belas paisagens que a zona proporciona eram a delícia para os atletas. Mas a navegação era muito importante neste dia, como foi deixado o alerta por parte da organização.

Mesmo sendo uma zona completamente diferente da primeira etapa, os atletas não se fizeram rugados e pedalavam no seu máximo, o objetivo era manter as suas posições na tabela ou quem sabe ainda conseguirem recuperar algumas na intenção de subirem ao pódio final.

Foto: MG Photo

Após saída da zona do Cabo Espichel praticamente o percurso foi feito em estradões, o que dava para se ganhar mais velocidade e recuperar tempo, a descida do estradão que faz a ligação a doca de pesca foi feito de dentes serrados e quem sabia descer ganhava distância aos perseguidores, mas se descíamos tínhamos que subir pois a Meta era no Castelo, como tal, a organização pregou mais uma coça nos atletas.

Naquele pulmão da natureza não havia fotógrafos

Os últimos kms eram pelo single que atravessa a zona de encosta do Castelo, a sorte dos atletas era que entre aquele pulmão da natureza não havia fotógrafos e assim não ficava registado as caras de sofrimento ou contentamento por estar o fim tão próximo.

Já só faltava mais uma subida, de novo, a calçada para o portão do Castelo, zigue zague e a linha de meta ali a nossa vista, o alívio de chegar ao fim, o contentamento de mais uma conquista.

Foto: By Paulo Miranda

Uma festa no final e o belo almoço preparado para a recuperação, houve até quem come-se três pudins, será que fui eu?!

Festa de encerramento

A segunda etapa foi vencida por Pedro Melitão do Btt Seia, seguido de Filipe Coelho e de Luis Fernandes da Aviludo\Louletano.

Nas duplas os vencedores foram Gonçalo Lestre\Rui Galo do GDU Azoia, seguidos de Miguel Rocha\Filipe Peres da Nucleo Btt Vila Fresca de Azeitão e de Nuno Gonçalves\ Ruben Chagas Os Marroquinos.

Foto: By Paulo Miranda

Era tempo de se fazer a festa de encerramento com a entrega de prémios aos vencedores, aqueles que nestes 2 dias lutaram, cerraram os dentes, empenharam-se determinados a vencer as adversidades da prova e chegarem ao final.

Esperamos que este projeto continue, que cresça, pois desta forma consegue se também mostrar que a zona de Sesimbra tem umas paisagens magnificas, que o Parque Natural de Arrábida tem percursos transitáveis seja em lazer familiar ou com amigos num belo momento de pedaladas.

Paulinho Brazão e Rui Bastos – OPraticante.pt\SFOA Cycle Team

A equipa dupla Rui Bastos e Paulinho Brazão, em representação de OPraticante.pt\SFOA Cycle Team terminou o conjunto da prova num 5º lugar com um tempo de 08horas e 48minutos.

Foto: By Paulo Miranda

Texto: Rui Bastos
Fotos: By Paulo Miranda / MG Photo

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta