Benfica (masculinos) e Sporting (femininos) campeões de Esperanças

Ruben Amaral - Foto: Marcelino Almeida/FPA

As formações do Sport Lisboa e Benfica (em masculinos) e Sporting Clube de Portugal (em femininos) sagraram-se hoje campeões nacionais de Esperanças (escalão sub-23).

A competição decorreu no Estádio Municipal de Coimbra, reeditando a classificação de 2019, pois em 2020 não se realizaram estes campeonatos.

Texto: Federação Portuguesa de Atletismo
Fotos: Marcelino Almeida / FPA

Benfica em masculinos soma o 12º consecutivo

Em masculinos, para os benfiquistas é o 16º título nacional (o 12º consecutivo!), tendo somado 185 pontos, deixando o segundo classificado, o Sporting, a 48 pontos, enquanto a Juventude Vidigalense volta a subir ao pódio, mas muito longe (43 pontos) dos dois primeiros.

Benfica
Gerson e Edgar – Foto: Marcelino Almeida/FPA

Individualmente, estes Campeonatos tiveram vários protagonistas, mas Gerson Baldé (Benfica) destacou-se nesta segunda jornada ao triunfar no salto em altura, com a marca de 2,20 metros, a melhor marca portuguesa do ano, uma confirmação, mas também a surpreender com um segundo título, desta vez no comprimento, com a marca de 7,30 (v: -0,5 m/s)!

Na primeira das disciplinas, Gerson não passou, por muito pouco, os 2,24 m, confirmando o seu excelente momento (atenção aos europeus de sub-23), deixando para trás Diogo Oliveira (Grecas), que saltou 2,08 m, e Simão Pereira (J. Vidigalense), com 1,99 m.

Já no salto em comprimento, derrotou o favorito André Pimenta (J. Vidigalense), que apenas chegou aos 7,20 m (-0,2), com Tomás Dinis (Sporting) a ser terceiro (7,08 m, -0,9)

Muito interessantes as provas de meio-fundo, com despiques emocionantes.

Nos 800 metros, o benfiquista Isaac Nader conquistou o seu segundo título do fim-de-semana, correndo em 1.49,49 minutos, de novo à frente de Nuno Pereira (Sporting), que terminou em 1.50,29, com o especialista de obstáculos Etson Barros (Benfica) a ser terceiro em 1.51,20.

Nos 5000 metros, o sportinguista Ruben Amaral (12.26,92 minutos) e Rogério Amaral, do Sobral de Ceira (14.26,93) tiveram uma chegada milimétrica (um centésimo de segundo, favorável ao atleta da Amadora), com o benfiquista Duarte Gomes em terceiro (14.32,02).

Benfica promove surpresas na Velocidade

Nas provas de velocidade, o benfiquista André Prazeres juntou o título de 200 metros (21,30 segundos, recorde pessoal) ao de 100 metros que obteve ontem, agora derrotando o seu colega de equipa Delvis Santos (21,41), Omar Elkhatib, do Sporting (21,68), que correu extra, e o terceiro nos campeonatos, Ericsson Tavares (CA Seia), que obteve o seu recorde pessoal (21,81).

Nos 110 metros barreiras, Edgar Campré (Benfica), campeão de decatlo, venceu os 110 metros barreiras com a marca de 14,35 segundos (mas na eliminatória ficou a um escasso centésimo da marca de qualificação pra os Europeus de sub-23), impondo-se a Diogo Guerra (Maia), com 14,43, e Manuel Dias (U. Tomar), com 15,19.

Benfica
Edgar Campre – Foto: Marcelino Almeida/FPA

Desfecho inesperado nos 400 metros barreiras, com o benfiquista Paulo Soares (52,84 segundos) a surpreender o seu colega de equipa Yuben Munary (53,02), o atual detentor da melhor marca nacional do ano, obtendo a marca de referência para os Europeus de sub-23 (ele já tem marca de qualificação).

O terceiro classificado foi o júnior Diogo Barrigana (também do Benfica, que correu em 53,39 segundos, recorde pessoal e marca de qualificação para os europeus sub-20).

Nos lançamentos, registaram-se os triunfos dos favoritos: no disco, Emanuel Sousa (Benfica) terminou com 53,47 metros, à frente de Cleide Lopes (C. Benfica de Faro), com 45,24, e Alex Constantino (CORK), com 44,54; e, no martelo, Ruben Antunes (Sporting) lançou a 68,21 metros, derrotando Bernardo Oliveira (B. Banheira), com 55,02 m e Diogo Freitas (Estreito), com 51,56 metros.

Ruben Antunes – Foto: Marcelino Almeida/FPA

Na estafeta (4×400 metros), domínio do quarteto do Sporting (Duarte Fernandes, Rodrigo Lima, Nuno Pereira e David Garcia) em 3.20,36 minutos, derrotando Benfica (3.20,96) e GRECAS (3.26,57).

Sporting triunfa em femininos

Em femininos, com os mesmos protagonistas coletivos, mas agora com o Sporting a triunfar (terceiro título consecutivo) com mais 18 pontos (122 no total) que o Benfica, segundo classificado (103), subindo ao terceiro lugar do pódio, uma vez mais, o Juventude Vidigalense.

Nos 200 metros, foi necessário ir à terceira classificada da prova, Catarina Lourenço, do Benfica, com 24,41 segundos (recorde pessoal), para descortinar a campeã, já que as duas primeiras são estrangeiras: a equatoriana Anahi Suarez (Benfica), com 23,20 segundos, e Agate Sousa (GA Fátima), com 24,36. Subiram ao pódio Beatriz Andrade (Sporting), que correu em 24,99, e a benfiquista Joana Dias (25,64).

Nos 100 metros barreiras, triunfo de Fatumata Balde (Benfica), com 13,81 segundos, subindo ao pódio Mariana Bento (Sporting), com 14,05 s, e Catarina Karas (Sporting de Braga), com 14,12 segundos.

Interessante prova – quase solitária – de Juliana Guerreiro, do Sportig, nos 400 m barreiras, terminando em 54,35 segundos, à frente da junior Sofia Lavreshina, do Vidigalense, que fez 59,83 segundos, um recorde pessoal e marca de qualificação para os Europeus e Mundiais de sub20. Fatoumata Diallo (CO Pechão), foi terceira em 60,72 segundos.

Reedição do duelo nos 800 metros

Nos lançamentos, Aleida Mendes (Benfica), conseguiu um recorde pessoal no dardo, ao vencer com 40,49 metros, à frente de Sofia Ferreira, do Estreito (36,22) e da individual Alice Silva (34,78); Débora Quaresma (Sporting), com 14,63 metros no peso, voltou a mostrar estar claramente acima das adversárias, Inês Carreira, do Vidigalense (13,20) e Margarida Ferreira, do Benfica (13,17).

Rosa Djombate – Foto: Marcelino Almeida/FPA

No que concerne aos saltos, triunfo de Rosa Djombate (Sporting de Braga), no triplo, com a marca de 12,50 m, à frente de Mariana Novo (AC Póvoa de Varzim), com 12,30, e de Eduarda Ferreira (Vidigalense), com 12.04 m.

Domínio absoluto no salto com vara da líder da categoria Raquel Marques (GA Fátima), com 3,45 metros, derrotando a benfiquista Sofia Marques (3,10) e Carlota Gonçalves, do União Tomar (3,00).

O meio-fundo feminino voltou a produzir outro excelente momento nos 800 metros, com a reedição do duelo entre a Camila Gomes (Benfica) e Rita Figueiredo (Sporting), com vantagem para a benfiquista terminado em 2.08,18 minutos, confirmando qualificação para os Europeus de sub-20, enquanto a líder da categoria terminou em 2.09,75, com Beatriz Cruz (Fátima) a terminar perto (2.10,67).

Um Triunfo “fácil” aconteceu nos 5 000 metros, com Sara Duarte (São João da Serra) a cortar a meta em 16.50,97 minutos, com uma vantagem de mais de um minuto e meia sobre a segunda, Marta Lourenço (AC Póvoa de Varzim), que registou 17.29,66 minutos. Rita Coelho, Casa do Benfica de Faro, foi terceira com 17.47,98.

Joana Soares – Foto: Marcelino Almeida/FPA

A fechar a competição, confirmando o título coletivo, o Sporting impôs-se na estafeta, com a marca de 3.56,91 minutos, com um quarteto composto por Catarina Figueiredo, Beatriz Gameiro, Beatriz Rodrigues e Juliana Guerreiro. Em segundo ficou o Eirense (3.58,82) e em terceiro o Vidigalense (4.03,95).

Todos os resultados podem ser consultados na plataforma de competições.

Parceiros

Deixe uma resposta