Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Corrida da Nau animou ruas de Vila do Conde

Começou o mês de Setembro e com ele também se inicia a nova época desportiva no que ao atletismo nacional diz respeito. Muitos são os atletas que se apresentam para esta nova época com objectivos a serem cumpridos e metas a serem atingidas. Uns começam mais em ritmo de treino para as provas maiores do Outono, outros começam já a querer mostrar resultados, mas o importante é que as provas de atletismo estão de regresso à estrada, e Corrida da Nau foi uma delas.

Foto: Evensport

A 26ª edição da Corrida da Nau decorreu em Vila do Conde e foi uma organização da Associação Desportiva os Rompe Solas e da EventSport, com o apoio da Câmara Municipal e Junta de Freguesia de Vila do Conde, Associação de Atletismo do Porto e Conselho Regional de Arbitragem da AAP.

A compor a Corrida da Nau esteve uma corrida cronometrada na distância de dez quilómetros e ainda uma caminhada com fins lúdicos e de promoção do desperto, saúde e bem-estar na extensão de cinco quilómetros.

A equipa de OPraticante.pt esteve presente no evento e agora apresentamos todos os detalhes como tudo decorreu.

Foto: Evensport

Percurso praticamente plano e para boas marcas

A Corrida da Nau teve partida e chegada junto à nau quinhentista que é um ex-líbris da cidade de Vila do Conde e podemos dividir o percurso da prova em duas partes. A primeira parte da prova com os seus dois quilómetros iniciais a decorrerem no centro histórico da cidade num carrossel cheio de altos e baixos por entre ruas e ruelas empedradas e cujo destaque foi a passagem junto à Igreja de São João Batista.

Os restantes quilómetros de prova decorreram em terreno plano na marginal da cidade junto à foz do Ave e passagem ao lado das praias com um retorno junto à igreja do Nosso Senhor dos Navegantes na zona das Caxinas decorria o sexto quilómetro de prova.

Caminhada – Foto: Objectiva em Movimento

Calor fez-se sentir durante a prova

O percurso desta prova era de valor para os atletas obterem boas marcas neste início de época. Mesmo que se perdesse algum tempo nos dois quilómetros iniciais, podia-se facilmente recuperar esse tempo nos quilómetros seguintes e também beneficiar da ligeira descida no retorno para a meta.

O único obstáculo para os atletas, terá sido talvez a temperatura a que decorreu a prova, principalmente no retorno para a meta onde o sol estava bem forte e a castigar os atletas.

Foto: Evensport

José Azevedo vence 26ª Corrida da Nau

A edição deste ano da Corrida da Nau foi disputada até aos últimos momentos. Na dianteira da prova esteve sempre um duo composto por José Azevedo do Boavista FC e Henrique Costa do Águias de Alvelos que foram dominando as acções a seu bel-prazer. Na disputa pela vitória, o mais forte foi o atleta axadrezado ao terminar a prova com 32:03min ficando o atleta do clube de Barcelos a sete segundos.

Foto: Evensport

José Azevedo mostra que se dá bem com os ares de Vila do Conde depois de ter vencido de forma categórica a corrida da Marginal Vila do Conde – Póvoa de Varzim que aconteceu no mês de Março. A completar o pódio ficou outro atleta do Boavista FC, Fernando Souza que fechou a prova com 33:52min.

Foto: Evensport

Jéssica Pontes vence competição feminina

Na vertente feminina da prova não houve o mesmo nível de competição do que na masculina. A comandar a prova de princípio a fim esteve Jéssica Pontes do SC Braga que terminou a prova isolada com 37:08min.

A completar o pódio, ficaram duas atletas da RunRiver Escola de Atletismo de Rio Tinto, Liliana Rocha com 38:58min e Sónia Barros com 39:47min.

Foto: Evensport

Vencedores por escalão:

Na competição masculina venceram José Azevedo do Boavista FC (Séniores), Paulo Rocha da RunRiver – Escola de Atletismo de Rio Tinto (VET 35), Rui Pinto (VET 40), Baltazar Sousa do Boavista FC (VET 45), João Cavadas (VET 50), José Mota do CD São Salvador do Campo (VET 55), José Monteiro do Bairro de Carcavelos Synergie (VET 60) e António Pereira do Nascidos para Correr (VET 65).

Na competição feminina triunfaram Jéssica Pontes do S.C. Braga (Séniores), Janine Coelho do Aronianisnoahzoe (VET 35), Liliana Rocha do RunRiver-Escola de Atletismo de Rio Tinto (VET 40), Emília Santos do ACD São João da Serra (VET 45), Fátima Geraldes do CAP – Centro Atletismo do Porto (VET 50), Rosa Pinto do Nascidos para Correr (VET 55) e Lucília Pereira do MYGIMY (VET 60).

Foto: Evensport

Classificação colectiva

Na competição por equipas, a vitória foi para a equipa do Boavista FC. A completar o pódio ficaram o Sporting Clube de Espinho/António Leitão e o clube da casa, os Rompe Solas.

Tiago Lopes – OPraticante.pt – Foto: Objectiva em Movimento

OPraticante.pt

A equipa de OPraticante.pt esteve representada no evento por dezanove atletas. O nosso projecto participou no evento com atletas a participarem na parceria com a Afipre Team e com atletas a representarem unicamente o nosso projecto por via de serem elementos da nossa equipa e por via de dorsais oferecidos no nosso passatempo.

Helena Santos OPraticante.pt/Afipre e Patrícia Silva – OPraticante.pt – Foto: Objectiva em Movimento

Eis os resultados completos da equipa OPraticante.pt-Afipre Team

Luciano Pena (45º geral / 16º sénior) – 38:30min; Hélder Borges (70º geral / 15º VET 40) – 40:03min; António Carvalho (85º geral / 20º VET 40) – 40:03min; Heitor Ortiga (115º geral / 7º VET 55) – 42:18min; Marco Andrade (120º geral / 25º VET 40) – 42:26min; Marcelo Costa (146º geral / 28º VET40) – 43:25min; Eduardo Barbosa (160º geral / 30º VET 40) – 43:54min; Paulo Abreu (219º geral / 21º VET 45) – 45:53min; Joaquim Dias (235º geral / 25º VET45) – 46:37min; António Rodrigues (260º geral / 9º VET 60) – 47:12min; Bruno Duarte (352º geral / 60º VET 40) – 50:14min; Nuno Fernandes (512º geral / 104º Sénior) – 56:02min; Carla Moreira (639º geral / 21ª VET 40) – 01:06:34 e Helena Santos (655º geral / 27ª Sénior) – 01:08:57.

Massagem de Joaquim Figueiredo proporcionada aos participantes – Foto: Objectiva em Movimento

Na classificação colectiva, a equipa OPraticante.pt-Afipre Team obteve um sétimo lugar.

A representar somente o OPraticante.pt estiveram Tiago Lopes (138º geral / 42º sénior) – 43:13min; Paulo Botelho (267 geral / 32º VET45) – 47:19min; Sérgio Crista (309º geral / 55º VET 40) – 48:41min; Pedro Pimenta (461º geral / 78º VET 40) – 44:12min e Patrícia Silva (654º geral / 29º VET 35) – 01:08:57.

Na classificação colectiva, a equipa OPraticante.pt obteve um vigésimo lugar.

 

Evento com excelente organização da EventSport

A edição deste ano da Corrida da Nau foi organizada pela EventSport e mais uma vez foi patente a excelente capacidade organizativa da promotora ao apresentar um evento sem mácula em termos organizativos.

No cais das Lavandeiras estavam colocadas todas as valências da prova e sendo um espaço amplo, havia espaço para se colocar todos as valências sem ficarem amontoadas. Secretariado e guarda-roupa no extrema do jardim, espaços de saúde e tendas de patrocinadores ao centro, abastecimento logo após a saída da linha de meta, tudo estava no devido lugar e com espaço para os atletas circularem à vontade.

Foto: Evensport

Junto à nau quinhentista estava o palco com o pódio que desde cedo esteve a funcionar, ora com música, ora com dança, ora com a sessão de aquecimento. Animação não faltou na partida e na chegada da prova e com o espaço a ter todas as valências para uma excelente prova e sempre bem assinaladas e bem com o espaço a ser devidamente isolado.

Evento sem demoras nem filas de espera

O levantamento do dorsal da prova decorreu sem demoras já que o secretariado estava a funcionar em pleno com vários elementos a atenderem os atletas. Aos atletas era entregue um saco de papel com a t-shirt técnica branca alusiva à prova, o dorsal com chip e ainda alguns folhetos publicitários. Após a prova era entregue uma medalha finisher, águas e fruta. Para um preço de inscrição de dez euros, o que os atletas receberam está a um nível aceitável.

Foto: Objectiva em Movimento

Para se receber tanto a medalha finisher como o abastecimento final, não houve nenhuma fila de espera e os atletas eram rapidamente escoados para o espaço envolvente.

Ao contrário do ano passado em que a prova começou com quase quinze minutos de atraso devido às cerimónias protocolares de celebração do clube local e com o tocar dos hinos, este ano tudo foi feito de forma atempada e os atletas partiram à hora prevista. Muito melhor do que estar ao sol como se verificou na edição transacta e que desagradou a muitos dos presentes.

Foto: Objectiva em Movimento

Animação tocou conta das ruas do percurso da prova

A excelente organização que se viu na partida e chegada da prova entendeu-se ao percurso com tudo sempre bem isolado e com placas sinaléticas a indicarem a quilometragem, os pontos de retorno e de abastecimento. Nos metros antes da chegada à meta havia a divisão da faixa para caminhada e corrida para evitar confusões e acidentes. Nota ainda para o grande número de voluntários presentes ao longo do percurso bem como de agentes de autoridade e isolarem a faixa de rodagem.

A prova teve dois pontos de abastecimento de águas, um ao quilómetro cinco e outro ao quilómetro sete e sendo que no local havia espaço para se depositarem as garrafas vazias. Aliás a preocupação ambiente foi um dos destaques deste evento como falaremos mais adiante.

Foto: Objectiva em Movimento

Grupos de animação local deram vida à prova

Algo que teve destaque no percurso da prova foi a grande animação que se sentiu. Ao longo do percurso foram colocados grupos de animação locais na berma da estrada a apoiarem os atletas, grupos esses que foram desde ranchos folclóricos, a bandas de música, grupos de bombos e djs.

Em antes da prova ter começado, o anúncio desta à população local foi feita de modo original com um grupo motard a percorrer o percurso da prova e a se fazer ouvir.

Com tamanha animação antes e durante a prova, não foi de estranhar ver a marginal e as ruas do centro de Vila do Conde com muita gente a apoiarem os atletas e a baterem palmas à sua passagem. Assim vale a pena.

Foto: Objectiva em Movimento

Carácter social e ecológico do evento

A Corrida da Nau teve dois pilares fundamentais, o carácter social do evento e a preocupação ambiental e ecológica.

No local do evento, haviam vários espaços das associações de solidariedade social que eram apoiadas com a inscrição na prova. Cada associação tinha no espaço da prova o seu stand e que no seu todo realizavam uma feira social para angariar fundos através da venda de produtos por eles produzidos. Essa feira social decorreu tanto no dia da prova como nos dias em antes. Ajudar os outros através do desporto nunca é demais.

Algo que a organização do evento se mostrou empenhada desde a primeira hora foi a melhoria ambiental e como tal decidiu implementar algumas medidas para impulsionar isso tais como a entrega do kit do atleta ser entregue num saco de papel ou com a medalha finisher ser em mdf reciclável.

Foto: Objectiva em Movimento

Corrida da Nau, uma prova de sucesso!

A Corrida da Nau neste ano de 2019 revelou-se um verdadeiro sucesso tanto a nível de afluência como a nível organizativo. A prova principal teve um total de 691 atletas finalizadores, um número bem acima dos 449 do ano passado. Para além do grande número de atletas na corrida, nota ainda para a grande afluência da caminhada que teve famílias inteiras a encherem a marginal de Vila do Conde e passarem uma manhã de Domingo em família, divertida e de forma saudável.

Foto: Evensport

Em termos de organização, a prova esteve irrepreensível sem nenhuma falha grave a apontar e tudo correu de forma adequada. Agora que esta prova assumiu um carácter completivo, esta tem tudo para se afirmar cada vez mais no calendário nortenho de provas, o perfil da prova é adequado para uma prova de início de época, a cidade onde acontece é das mais belas de Portugal e não haja dúvidas que a corrida da Nau é uma excelente escolha para uma prova para um atleta abrir a sua época desportiva.

Foto: Evensport

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: Evensport / Objectiva em Movimento

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta