Banner superior
Coluna Dto
Coluna Esq

Dale Whitnell repete a história de 2009

Tiago Cruz e os ingleses Dale Whitnell e Matt Ford partiram empatados na frente para o último dia do The Tour Championship e no final da volta decisiva foi Whitnell a embolsar os cinco mil euros destinados ao campeão, do total de 25 mil que estiveram em jogo nesta etapa final do Portugal Pro Golf Tour (PPGT) de 2018 / 2019.

Dale Whitnell repete a história de 2009

O inglês de 30 anos somou o seu terceiro título (o segundo consecutivo) nesta temporada no PPGT, mas o êxito de hoje (Domingo), no Troia Golf, remeteu-o sobretudo para algo que tinha feito há dez anos neste mesmo palco.

«Isto traz-me memórias do que vivi aqui em Troia há dez anos, quando ganhei o Campeonato Internacional Amador Masculino de Portugal de forma muito idêntica. Os 2 birdies nos dois últimos buracos, depois de ter perdido 1 pancada no buraco 16 foram muito importantes. E depois, no play-off fiz um grande drive, seguido de um bom ferro-8 para ficar a 4,5 metros da bandeira, o George não conseguiu fazer birdie e foi suficiente para eu ganhar», disse Dale Whitnell à SportTV.

dale
Dale Whitnell – campeão do The Tour Championship do Portugal Pro Golf Tour-Foto: Ramiro deJesus / PGA de Portugal

Em 2009 venceu neste campo

É realmente incrível que em 2009, também no Troia Golf, Dale Whitnell tenha ganho o Campeonato Internacional Amador Masculino de Portugal num play-off para bater Jamie Abott. A história às vezes repete-se e o inglês, em declarações ao Gabinete de Imprensa da PGA de Portugal, assegura que «nem em Inglaterra» tem colecionado «tantos títulos profissionais».

O campeão tinha empatado no final das três voltas regulamentares com o seu compatriota George Bloor, com 207 pancadas, 9 abaixo do Par; Whitnell com voltas de 67, 71 e 69; Bloor com rondas de 72, 68 e 67. No play-off Whitnell sacou o seu terceiro birdie seguido para se impor.

Dale Whitnell tinha ganho em fevereiro o 6.º Palmares Classic e na semana passada o 2.º Amendoeira O’Connor Classic, sendo espantoso ser bem-sucedido em três percursos de características diferentes.

«Eu próprio fiquei surpreendido com a vitória no O’Connor porque não é um campo onde eu pensaria sair-me bem, mas o meu jogo está em forma, estou a drivar bem, os meus ferros estão bons e o meu jogo curto tem estado fantástico», acrescentou o inglês que se juntou ao holandês Lars Van Meijel e ao luso-suíço Raphael de Sousa como os únicos a terem conquistado três títulos no PPGT de 2018 / 2019.

Tiago Cruz o melhor português

Quem ficou esta época “em branco” foi Tiago Cruz, pois o seu último título remonta a janeiro de 2018, ou seja, referente à temporada de 2017 / 2018. Mas o antigo bicampeão nacional lutou bastante pelos 5 mil euros e pelos cinco convites para o Challenge Tour de 2019 do campeão.

O profissional do Club de Golf do Estoril integrou o grupo dos 3.º classificados, com 208 pancadas, 8 abaixo do Par, ficando a apenas 1 de ir a play-off.

O seu calcanhar de Aquiles foi 1 triplo-bogey no buraco 9: «Saí de ferro-2 mas dei-lhe uma rosca e foi parar ao campo de treino. Na bola provisória abri um bocadinho e fui parar à areia numa moita e tive de dropar, e só depois fiz o shot ao green e 2 putts».

Tiago Cruz foi o melhor português no The Tour Championship do Portugal Pro Golf Tour-Foto: Hugo Ribeiro / PGA Portugal

Não consegui o objetivo que era o 1.º lugar

Noutras alturas o jogador do BiG poderia ter baixado os braços, mas apesar de admitir que foi um rude golpe, conseguiu recompor-se e terminou em grande estilo: «Não consegui o objetivo que era o 1.º lugar mas joguei bem. Fiz um erro bastante grave no buraco 9 e a este nível não se pode cometer erros destes. Mas depois ainda fiz 3 birdies nos últimos três buracos para tentar chegar à liderança. Em termos globais, estou satisfeito com este torneio».

Tiago Cruz assinou cartões de 70, 68 e 70, e empatou com o irlandês John-Ross Galbraith (69+70+69), o inglês Matt Ford (69+69+70), o holandês Lars Van Meijel (68+72+68) e o sueco Hannes Ronneblad (74+69+65). Cada um recebeu 1.500 euros.

Esta última volta de 65 (-7) do escandinavo passou a ser o novo recorde do campo do Troia Golf, superando as 66 (-6) da primeira volta de Tomás Silva e Richard Mansell.

13 portugueses entre 54 participantes

Entre os 54 participantes, 13 eram portugueses e para além de Tiago Cruz, também Tomás Bessa terminou no top-10, no 8.º lugar, com 210 pancadas, 6 abaixo do Par, juntando rondas de 71,71 e 68, para um cheque de 800 euros.

O campeão nacional Tomás Silva, que liderava no final da primeira volta, tombou para o 14.º lugar, mas ainda logrou ficar abaixo do Par, com 215 (66+74+75), -1, que lhe valeu um prémio de 437,5 euros.

O The Tour Championship encerrou o circuito sancionado pela PGA de Portugal, Federação Portuguesa de Golfe e pelo britânico Jamega Pro Golf Tour. Os dois promotores, José Correia e Gary Harris, prometeram que o PPGT irá regressar em novembro para a temporada de 2019 /2020. «Contamos apresentar muitas novidades», afirmou José Correia, igualmente presidente da PGA de Portugal.

Alexandre Barroso, diretor do Troia Golf, na cerimónia de entrega de prémios, agradeceu aos jogadores a qualidade que apresentaram: «-9 é um bom resultado. Quando o Open de Portugal do European Tour foi aqui jogado o campo ganhou a fama de monstro. Obrigado por terem provado o contrário».

Texto: Hugo Ribeiro PGA Portugal

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta