Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Exame médico desportivo, a sua importância

O exame médico desportivo consiste numa avaliação da aptidão física do praticante de desporto. A sua importância prende-se com necessidade de excluir condições médicas que possam pôr em risco a saúde do atleta. Existe, e foi criado, para acima de tudo proteger atleta.

O exame é obrigatório para os praticantes filiados em federações. A sua obrigatoriedade também se estende a árbitros, juízes e cronometristas federados.

Na restante população amadora não é obrigatório por lei, mas a sua realização não deve ser desprezada, tendo em conta, que é uma importante ferramenta de rastreio, na prevenção de acidentes médicos que, em última análise, podem levar à morte do praticante.

Além disso, os seguros desportivos abrangem apenas os praticantes com exame médico desportivo atualizado.

Exame

A realização do exame médico desportivo não deve ser desprezada

O exame, realizado por um médico, consiste numa história clínica com anamnese (história atual), investigação de antecedentes pessoais e familiares, e exame objetivo. Inclui o eletrocardiograma (ECG) e a radiografia ao tórax como exames complementares de diagnóstico, podendo ser solicitado um outro exame, caso se verifique a necessidade de esclarecer alguma alteração previamente identificada.

Excetuando os praticantes desportivos inscritos no regime de alto rendimento, que realizam obrigatoriamente o exame nos Centros de Medicina Desportiva (Lisboa ou Porto), o exame pode ser realizado por um médico, que não necessita de ser especialista em Medicina Desportiva, mas que está confortável na avaliação de atletas, atendendo às suas especificidades únicas.

Com uma validade anual, deve ser realizado à data da inscrição do atleta na sua federação e renovado anualmente no mês do aniversário. Nos restantes praticantes a recomendação é apenas a da sua validação anual.

O resultado final deste exame é o de apto (não apresenta contraindicações para a prática da modalidade), não apto (apresenta contraindicações para a prática da modalidade) ou apto mas com restrições.

Neste último caso, deverão ser especificadas quais as restrições que garantem a segurança do atleta para a prática da modalidade.

Pode também resultar da realização do exame o encaminhamento do atleta, quando se identificam contraindicações ou restrições, para o centro de Medicina Desportiva da área; para um médico especialista em Medicina Desportiva ou para um médico com a pós-graduação em Medicina Desportiva.

O exame médico desportivo é uma segurança para o praticante. Nunca deve ser desprezado mesmo quando não se verifique a sua obrigatoriedade.

Visualize também

Manter o foco no treino e na vida durante a pandemia

Texto: Nuno Coutinho, diretor clínico do Departamento Médico da Federação Portuguesa de Atletismo

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta