Francisca Jorge vê a chuva interromper vitória notável

Francisca Jorge

A número um nacional Francisca Jorge encaminhava-se para uma das melhores vitórias da carreira quando o mau tempo lhe trocou as voltas e forçou à interrupção e adiamento de toda a jornada desta terça-feira no Oeiras Ladies Open, torneio internacional feminino de 60.000 dólares organizado pela Federação Portuguesa de Ténis no Complexo Desportivo do Jamor.

Texto: Gaspar Ribeiro Lança
Fotos: Sara Falcão

Sitio oficial do evento.

Vitória notável de Francisca Jorge no Oeiras Ladies Open interrompida pela chuva

A competir pela segunda vez na carreira no quadro principal de singulares de um torneio desta dimensão, a número um portuguesa e 464.ª WTA liderava por 6-1, 3-6 e 3-1 frente à ex-top 100 Richel Hogenkamp (atual 229.ª) quando o encontro foi suspenso pela chuva, já depois de ter sido interrompido, no final do segundo parcial, devido à falta de luz natural e transferido do campo central para o Court 11.

Foi muito estranho, mas estou habituada a treinar nestes campos.

São condições mais familiares, mesmo sendo tão tarde e com as luzes.

Estava mais familiarizada com o campo, que é mais pequeno e não me faz puxar tão atrás como o central, e isso deu-me vantagem.

Ter feito o break no último jogo foi importante para amanhã recomeçar por cima do resultado”, desabafou a tenista portuguesa durante os exercícios de relaxamento após um dos encontros mais caricatos da carreira.

Em relação ao desenrolar do duelo, Francisca Jorge disse ter entrado “bastante bem e a procurar jogar o meu jogo.

Ela não estava a conseguir jogar solta, mas no segundo set tornou-se mais consistente e lutou mais pelos pontos.

Senti o momento quando fiz o break, devia ter puxado mais pelo jogo e tentar ser mais agressiva, e depois quando levei o contra break comecei a duvidar das minhas pancadas, ela apercebeu-se disso e foi mais agressiva.

Fiquei um pouco nervosa, ainda tive a oportunidade de reduzir para 5-4 e tentar dar a volta ao segundo set, mas ela teve mérito”.

Francisca Jorge
Francisca Jorge

Número um portuguesa está em vantagem no marcador

Sobre a preparação para a retoma do encontro, a jogadora portuguesa de 20 anos disse que vai “entrar mais tranquila no campo porque já estou mais por dentro do que ela pode fazer e como não vão haver sets, mas sim alguns jogos, vou focar-me ao máximo e ser agressiva porque isso estava a dar-me a vantagem.

Caso consiga consumar a vitória na jornada de hoje, quarta-feira, Francisca Jorge defrontará na segunda eliminatória a ucraniana Daria Snigur, ex-finalista do torneio júnior de Wimbledon e número dois do ranking mundial de sub 18, que aos 19 anos já é a 197.ª da tabela WTA e no Jamor defende o estatuto de 11.ª cabeça de série.

Com a chuva a ser uma constante desde as primeiras horas, a jornada desta terça-feira apenas conheceu cinco vencedoras:

Katie Volynets (7-6[4] e 6-2 à búlgara Isabella Shinikova);

Valentini Grammatikopoulou (6-1 e 6-2 contra Federica Di Sarra);

Despina Papamichail (6-2, 1-6 e 7-6[6] sobre Sina Herrmann);

Conny Perrin (6-0 e 6-4 contra Tena Lukas);

e Olga Saez Larra (7-5 e 6-1 no encontro com Diane Parry).

Entre os restantes encontros que foram suspensos pela chuva, destaque para o que coloca frente a frente Suzan Lamens e Beatriz Haddad Maia, que há menos de 48 horas conquistou o segundo título consecutivo em torneios de 25.000 dólares organizados em terras argentinas.

A tenista holandesa liderava por 2-6, 6-4 e 1-0 (com 40-15 no serviço) quando o duelo foi adiado.

Parceiros

Deixe uma resposta