Galitos e CB Queluz repõem jogo em atraso

Galitos

O Galitos/Clínica Dr. Semblano recebe, este sábado pelas 15 horas, o CB Queluz em jogo em atraso da 8.ª jornada da Liga Skoiy.

Mariana Oliveira, base da equipa da casa, e Adriana Martins, jogadora das visitantes, falaram sobre este encontro entre duas equipas que garantiram a subida de divisão este verão, e que vai ter transmissão na FPBtv.

Texto / Fotos: Federação Portuguesa de Basquetebol

Galitos

Mariana Oliveira do Galitos “…só temos que acreditar em nós”

Foi difícil no início, com a agravante de termos mudado de divisão, ou seja, essa parte ainda complicou mais o nosso começo.

A nossa adaptação não foi fácil, mas acho que conseguimos reagir e conseguimos superar as nossas expectativas de certa maneira” conta Mariana Oliveira quando questionada sobre como tem sido o regresso do Galitos ao escalão máximo do basquetebol português feminino.

O conjunto de Aveiro ocupa atualmente a 9.ª posição da Liga Skoiy com 17 pontos, mais seis do que o seu adversário deste fim de semana, ainda que tenha mais cinco jogos realizados.

Talvez por essa razão, a base afirma: “O facto de ser contra o Queluz, “pressiona-nos mais, no sentido em que sabemos que é um jogo muito importante.

Estamos cientes do nosso objetivo que é manter e sabemos que elas também têm esse objetivo”.

Ainda assim, mostra-se confiante: “Temos a consciência de que somos capazes, só temos que acreditar em nós”.

Quanto ao seu adversário de sábado: “Não podemos entrar na confusão, o jogo delas acaba por ser um bocado anárquico.

Temos que tentar manter o nosso ritmo, dentro da pressão delas e da velocidade que elas impõem no jogo” conclui Mariana Oliveira.

“estamos noutro campeonato …” referiu Adriana Martins do CB Queluz

O CB Queluz apresenta uma das equipas mais jovens do campeonato.

Contudo, Adriana Martins afasta essa ideia e afirma que a equipa tem trabalhado para ultrapassar esse rótulo:

Em todos os jogos há sempre o destaque de que somos uma equipa muito nova, mas acho já podem ver alguma evolução, uma mudança de postura, de mentalidade, de conhecimento do jogo”.

Apesar de ser um conjunto que aposta muito na velocidade, e que tenta colocar problemas aos seus adversários através do ritmo elevado, a base de 18 anos reconhece que esta partida será diferente:

Nós corremos, queremos correr muito, mais que as outras.

Nesta fase não vamos jogar tão rápido visto que tivemos uma paragem muito longa, mas acho que o nosso ponto forte é jogar rápido e jogar em equipa, que é a chave de todos os desportos coletivos”.

Adriana também confessa que este encontro tem um sabor diferente tendo em conta o que aconteceu em 2019/20:

Nós chegámos a fazer os dois jogos contra elas e foram as grandes derrotas que tivemos nesse campeonato, apesar de depois termos conseguido subir nos playoffs.

Não queria usar a palavra desforra, mas penso logo na primeira divisão”.

Esclarecendo depois que “estamos noutro campeonato com uma nova equipa, é completamente diferente.

Há jogadoras que não têm esse sentimento, estou a falar mais pessoalmente”.

Depois do jogo de sábado, o CB Queluz volta a entrar em campo no domingo em casa do AD Vagos, uma situação para a qual a equipa se tem vindo a preparar:

Nesta fase vamos ter que lidar com isto porque temos muitos jogos em atraso e vamos ter muitas jornadas duplas.

Já nos estamos a preparar psicologicamente para este tipo de fim de semana e de competição”.

Visualize também

Taça Hugo dos Santos, quem sucede à Oliveirense

Parceiros

Deixe uma resposta