Jogos Olímpicos, Andebol mantém sonho vivo

Portugal realizou o segundo encontro, do Grupo B, dos Jogos Olímpicos – Tóquio 2020, naquela que foi a primeira vitória dos Heróis do Mar na prova.

Visualize também 

Medalha nos Jogos, a ambição da seleção Nacional de andebol

Texto: Federação Portuguesa de Andebol

Primeira vitória dos Heróis do Mar nos Jogos Olímpicos

António Areia inaugurou o marcador, em Tóquio, na conversão de um livre de 7 metros mas, rapidamente, o Bahrain igualou as contas no marcador.

Seguiram-se momentos de bastante equilíbrio com o marcador a assinalar um empate a três golos, à passagem dos cinco minutos do encontro.

Posteriormente, Portugal conseguiu dois golos de vantagem (3-5) mas a formação asiática acabou por reduzir para a margem mínima e perto dos 10 minutos voltou a igualar o resultado a seis golos.

Jogos Olímpicos

Cinco minutos volvidos, era o Bahrain quem liderava no marcador, com 8-6, levando Paulo Pereira, selecionador nacional, a pedir time-out.

Quando faltavam 10 minutos para o descanso, os Heróis do Mar encontravam-se a perder por dois golos mas Gustavo Capdeville entrou muito seguro na baliza e ajudou Portugal a aproximar o resultado (10-9).

A Seleção Nacional, com pouco acerto ofensivo, voltou a ficar a três golos de diferença, mas mais uma vez o guardião nacional voltou a estar em destaque e Portugal aproximou o resultado, através de Pedro Portela, levando o Bahrain a pedir time-out, quando o placar marcava 12-11.

Portugal saiu para o descanso a perder por 15-14.

Jogos Olímpicos

Por um se ganha e perde

No segundo tempo, Portugal entrou para igualar o encontro, através de Miguel Martins, a 15 golos, mas o Bahrain voltou a chegar à vantagem a três golos. à passagem dos 40 minutos de jogo, Pedro Portela conseguiu reduzir, para a margem mínima na conversão de um livre de 7 metros, a 18-17.

Perto dos 50 minutos, a Seleção Nacional voltou a ter bola para empatar o encontro mas acabou por falhar dois remates e a formação asiática manteve-se na liderança, levando o time-out à mesa.

Miguel Martins volta a empatar a partida a 24 golos quando faltavam apenas seis minutos para o final.

A reta final foi imprópria para cardíacos, com a igualdade a ser reposta por Pedro Portela, na conversão de um livre de 7 metros, quando faltavam apenas três minutos para o final sendo também quem colocou Portugal em vantagem quando faltavam apenas 30 segundos para o final (25-26) e apesar de um 7 metros favorável ao Bahrain, Portugal acabou por conquistar uma vitória por 25-26.

Pedro Portela, com 6 golos, foi o melhor marcador do encontro.

Parceiros

Deixe uma resposta