Banner superior
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Mental Coaching no Desporto, controle o seu mundo interior

Uma das primeiras mensagens que costumo passar aos meus atletas é a necessidade de controlarem o seu mundo interior, as suas emoções e toda a sua parte mental.

Controle o seu mundo interior

É a gestão das emoções que vai potenciar todas as capacidades e competências de que um atleta precisa para se superar a si próprio e chegar ao sucesso.

Assisto, regularmente, a diversos torneios desportivos e, pergunto-me, por vezes, como é que golfistas de topo falham tacadas que estariam, à partida, garantidas; tenistas dos rankings mundiais perdem pontos de forma inacreditável; equipas de voleibol dançam numa linha emocional de altos e baixos consecutivos consoante o marcador até, eventualmente, chegarem à derrota; ciclistas identificados como favoritos acabam por não atingir a performance esperada…

Resposta é só uma: pressão

A resposta é só uma: pressão. Pressão liga-se com ansiedade, liga-se com stress e liga-se com um controlo emocional deficitário. Mas, pressão também se liga com “Ser humano”. Somos um “Human Being” e não um “Doing Being*”. Se fossemos um “Doing Being”, seriamos, provavelmente robots e faríamos tudo igual, de forma fria e repetitiva. Mas temos sentimentos e emoções, que tanto podem jogar a nosso favor como contra.

O segredo está em conseguirmos domar essa tempestade de emoções que, habitualmente, nos assola, especialmente, em contexto desportivo, em situações de elevada pressão para obtenção de resultados.

A maioria dos atletas negligencia o seu controlo mental

Os estudos demonstram que, a maioria dos atletas, nas diversas modalidades, negligencia o seu controlo mental e emocional, acreditando que é a prática física que leva ao topo. Pode até ser, mas está provado que, entre dois atletas que tenham as mesmas condições físicas, a mesma preparação física, a mesma robustez física e as mesmas capacidades técnicas, aquele que chega mais longe é o que tem a parte mental e emocional mais desenvolvida e mais treinada.

Cavalo desgovernado

Então, o que é que queremos ser? Um atleta completo, bem treinado física e mentalmente ou queremos agir como um cavalo desgovernado, robustos fisicamente e com bom treino técnico, mas sem competências de resiliência e de gestão emocional, cedendo aos nervos, tratando mal colegas e treinadores quando as coisas não correm bem e perdendo a capacidade de resolver problemas quando nos encontramos em situações adversas?

Queremos ser o tal golfista que falha, num momento crucial, porque não conseguiu dominar a pressão do público e dos resultados, dentro si; um atleta de voleibol que cede às más jogadas e não recupera ditando a derrota da equipa, um ciclista que fica envolvido numa queda e não recupera a parte emocional suficientemente depressa, de modo a evitar perder segundos, na reentrada no pelotão, que poderão ser determinantes para a sua vitória, um ginasta ou bailarino de competição cujos nervos o paralisam?

Controlo mental rumo à vitória

Fazer a gestão da parte mental é como fazer a gestão de uma empresa; é tornar-se cliente de si mesmo; é assumir-se como um “Human Being”, aceitar-se como é e traçar um plano de ação para melhorar as competências mentais e emocionais que não estão “a jogar na sua equipa”.

O controlo emocional permite melhorar a auto-imagem positiva, a auto-confiança e a auto-estima, entre outros; permite-lhe assumir o controlo da sua vida e sentir-se mais realizado, levando mais sucessos e vitórias para casa.

No desporto como na vida, o mundo interior de cada um é a única coisa que conseguimos e que vale a pena controlar porque é a única coisa que depende unicamente de nós próprios. Mas, para se conseguir isso, é preciso treino mental.

A primeira linha do treino mental de um atleta deve ser feita em casa e em regime de, algo parecido, com um auto-coaching simples. Aqui ficam algumas dicas:

– Tire 30 minutos por semana para analisar a sua performance desportiva
– Identifique as competências emocionais que mais o beneficiariam se colocasse esforço para as melhorar
– Foque-se numa dessas competências de cada vez e faça um plano de ação
– Monitorize, reveja e ajuste semanalmente esse plano

A nossa marioneta mental

As nossas competências mentais e emocionais são como uma marioneta: podemos puxar para cima aquela que quisermos…é só querer e pôr em prática!

Mas o que é a competência emocional? A competência emocional baseia-se numa consciência de si mesmo, no reconhecimento das suas emoções individuais e de como estas afetam a própria pessoas e os outros, sustentando-se na capacidade de manter o controlo emocional e gerir a adaptação.

Alguns exemplos de competências emocionais são a resiliência, a aceitação, a empatia, o autocontrole, o autoconhecimento, a gratidão, a assertividade, a capacidade de não julgamento, etc.

Quer ganhar?

Se tem mesmo a ambição de ganhar, então, torne-se mentalmente forte. Tire tempo para analisar a sua prática desportiva e os seus resultados e movimente a sua marioneta interior através de um plano de ação. A sua competência mental e emocional vai tornar-se na sua maior aliada, na sua maior vantagem competitiva e no seu principal pilar de automotivação e persistência.

O Mental Coaching pode, por vezes, parecer estranho e colocar os atletas, temporariamente, fora da sua zona de conforto. Há algum tempo atrás, trabalhei com uma equipa que se debatia com fortes questões emocionais e com uma baixa performance no pico da sua época competitiva mais forte.

De modo a colocar os atletas num espaço emocional mais favorável à produção de melhores resultados, fiz um trabalho de mental coaching de 20 minutos por atleta, sem qualquer trabalho preparatório anterior, na noite que antecedia a mais um dia de dura competição.

Senti olhares desconfiados dos vários elementos da equipa, mas, ao mesmo tempo, atentos e ávidos de absorverem tudo que os pudesse ajudar. Juntos, construímos um plano de ação para cada um e, no dia a seguir, tínhamos uma equipa renovada e que se tinha superado a si própria.

Não venceu como equipa, mas teve um desempenho claramente melhor, mais sólido, mais eficaz e mais recompensador, tendo ali construído bases para o trabalho futuro. E é assim eu um atleta avança rumo ao sucesso!

Sónia Martins – Mental Coach

Mental Coach

Um Mental Coach treina atletas para que usem as suas competências e capacidades mentais e emocionais de modo a que consigam aprender e praticar a modalidade de uma forma mais eficaz e com uma melhor performance.

Voltarei no próximo mês, para lhe dar mais dicas e mais informações sobre o que é o Mental Coaching para o desporto e como é que este o/a pode e vai beneficiar!

E não se esqueça: comece esta semana a parar 30 minutos para se analisar a si próprio!

Nyamar – Mental Sports Coaching – Sónia Martins
Master Coach / Mental Skills Coach – Especializada em Coaching desportivo

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta