Música? Correr com música? Sim ou não?

música

Este tema sobre a música divide opiniões e então hoje vamos explorar aqui um pouco o tema!

A música é considerada uma terapia de seu musicoterapia.

Texto: Rita Barroso – Equilibrium Centro Terapêutico

Visualize também “Vou Correr” ou “vou treinar”! Qual o termo correto?

Quem não tem uma música da sua vida? Ou uma música com que se identifique?

A música pode trazer sensações boas ou mas, boas ou más melhorias, boas ou más recordações e como tal irá sempre influenciar a nossa forma de correr.

Muitos especialistas defende que se for fazer uma corrida higiénica ou de lazer pode ser com música.

Se for uma corrida específica onde tem de manter um ritmo constante deve fazê-lo sem música até porque temos de estar atentos aos sinais do nosso corpo e ouvir as sensações!

Outras questões que temos de ter atenção é a forma como se ouve música e por questões de segurança nunca se deve usar os dois auscultadores por forma a ouvir os barulhos da estrada ou do campo e até para perceber se alguém se aproxima de nós, no caso de ir sozinho!

Se for correr sozinho a música é uma forma de ter companhia e dar ânimo ao treino e fazê-lo de forma mais distraída!

Eu enquanto atleta uso música nos treinos mais de lazer e quando vou sozinha!

Quando se começa a correr o uso da música é sempre uma forma de motivação, mas depois é necessário ouvir mais além!

Fica a sugestão de se gosta de correr a ouvir música prepare várias Play List para ouvir conforme os teus treinos e também o teu estado de espírito!

Deixamos aqui alguns dos benefícios da Música ou da Musicoterapia

Estimula o humor

Aumenta a capacidade de respiração

Melhora os distúrbios comportamentais

Estimula a coordenação motora

Melhora a qualidade de vida

Ajuda na tolerância da dor

música

Estes benefícios geram melhores emoções

Todos estes benefícios geram melhores emoções, afetividade e motivação bem como aumenta a produção de endromina daí quando corremos com a nossa música tem uma maior sensação de prazer!

Outra questão importante que os especialistas referem é a fato de quando corremos com música não ouvimos os sinais o nosso corpo, ou desligamos o interruptor que nos dá o sinal!

É verdade, a música inibe os sinais mas também nos dá o ritmo!

Pode ser um ponto a favor ou não dependendo do treino que estamos a fazer.

Por experiencia própria, quando comecei a correr, tinha de fazer sempre com música.

Criei várias listas de músicas e quando saia para treinar era sempre com um auscultador e volume no máximo.

“…a partir de hoje treinas sem …”

Havia dias que o treino corria melhor que outros e até ao dia que o meu treinador me disse, “a partir de hoje treinas sem música, pois nas provas também é permitida a música”.

E confesso que foi um processo de adaptação, mas que teve um sucesso espetacular.

Percebi muito bem a importância de nos habituarmos a treinar sem música, não pelas provas, porque aí, a malta está com a adrenalina própria de ter um dorsal à cintura, mas quando fiz a primeira tirada por etapas, Évora-Fátima em 4 dias.

música

Desafio espetacular com grupo de mais 5 amigos e onde o verdadeiro desafio era o dia seguinte.

Por isso todos os momentos eram importantes para ouvir o nada, o barulho dos carros, os nossos companheiros.

Mas sobretudo o nosso corpo, sempre com a preocupação de não ir ao limite porque o dia seguinte era um novo desafio.

Mas hoje se for fazer uma corrida tranquila e sozinha não dispenso a minha música!

O mais importante sempre em tudo, cada pessoa é uma pessoa e ninguém é igual a ninguém e cada um deve ver o que funciona e faz sentido para si!

Agora prepara a tua play list e vamos treinar!

E tu qual é a tua música?

Sitio oficial do Equilibrium Centro Terapêutico
Página do Equilibrium Centro Terapêutico
Equilibrium Centro Terapêutico no Instagram

Parceiros

Deixe uma resposta