Passeio ao rubro com homenagem a Joaquim Agostinho no 30 anos da sua morte

Torres Vedras é terra de tradições ciclísticas, de grandes nomes da velocipedia nacional, com Joaquim Agostinho a ser a figura principal, já que o mesmo foi e continua a ser considerado o maior ciclista nacional. Foi nesta terra que se realizou no 6º Passeio de Cicloturismo do Clube de Campismo e Caravanismo de Torres Vedras, um passeio que tinha uma extensão de 60 quilómetros de dificuldade baixa, um evento do calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB).

O parque de campismo de Santa Cruz recebeu o evento, pelas oito horas começava a concentração, bem cedo o parque começou a ser invadido pelas bicicletas, depois de confirmadas as inscrições, preparar as bicicletas, e colocando a conversa em dia, pelas 9 horas tudo estava a posto para se iniciarem as pedaladas.

Com uma volta pelo parque de campismo para apresentar o evento, as pedaladas para os 160 cicloturistas tiveram início pelas 9,15, a estrada surgiu, e a caravana iniciou na Av. Joaquim Agostinho, percorrendo depois Santa Cruz, rumo a Boavista, Silveira; Ponte do Rol, Torres Vedras, Ameal, Paio Correia, Á-Dos-Cunhados, Sobreiro Curvo, Boavista, Vimeiro, aqui com uma paragem para abastecimento líquido e sólido.

De volta á estrada, o regresso a Á-Dos-Cunhados, Palhagueiras, Ponte de Rol, Casal do Soito, Casal Valverde, Secarias, Cerca, Brejenjas, aqui, foi feita uma pararem, terra natal de Joaquim Agostinho, e junto à estátua do mesmo foi feita uma homenagem, colocada uma coroa de flores, onde existiu um grupo a fazer uma foto de homenagem, seguido de muitos participantes a querem também marcar o momento com uma foto para mais tarde recordar, neste ano que se celebra os 30 anos que faleceu e nos deixou. Retomadas as pedaladas, seguiu-se por Póvoa de Penafirme, Santa Cruz, entrando pela Av. Joaquim Agostinho, e a entrada no parque de Campismo a ser dada pelas 12,30.

Um olhar pelo evento

Recente nas lides cicloturisticas, o Clube de Campismo e Caravanismo de Torres Vedras já habituou as pessoas a bons passeios, este ano com algumas alterações no trajeto, proporcionou a todos umas boas pedaladas, já que com um trajecto de poucas dificuldades que apresentou, o que numa zona tão acidentada como é Torres Vedras, conseguiu um percurso excelente para rolar, e no final, a organização estava satisfeita, e nas palavras ditas por Alcino Duarte, responsável pelo passei: “Correu tudo bem, foi muito positivo, apesar de existirem algumas restrições atualmente pelas dificuldades que se vão atravessando, mas o balanço foi excelente. Sobre o trajeto afirmou que se mudou para não sacrificar, e foi bom, porem também este ano nos 30 anos do desaparecimento de Joaquim Agostinho a organização resolveu fazer-lhe uma homenagem, e foi muito bonita e comovente, foi o momento alto do passeio. Como mensagem, espera que todos e outros novos participantes estejam de volta, deixando um alerta, para alguns participantes, o cicloturismo não é competição, apenas um passeio, por isso deve existir respeito, e não tentar impor certas velocidades não próprias da modalidade”.

Foi sem dúvida um passeio muito bonito, o verde dos campos, especialmente de pomares, contracenando em certos lugares com o mar em pano de fundo, proporcionaram aos participantes de diversos escalões etários, umas boas pedaladas. O tempo também ajudou, num domingo que acordou algo nublado, mais tarde deu origem ao sol aquecer os ciclistas, os quais este ano fizeram homenagem a uma grande figura do ciclismo português, Joaquim Agostinho que nos deixou há 30 anos no fatídico acidente na Volta ao Algarve, hoje foi relembrado, e com uma homenagem simples, mas que ficará sem dúvida na memória de todos que estiveram presentes.

Foto: José Morais

Parceiros

Deixe uma resposta