Quem não tem Montanha caça com Meta Volante

ciclismoKrister Hagen (Team Coop/OsterHus) chegou à liderança da 34ª Volta ao Alentejo Crédito Agrícola, esta sexta feira, 18 de março, com um “empurrão” das bonificações obtidas nas metas volantes.O norueguês ocupava, à saída de Portel,o terceiro lugar com mais três segundos que o líder Enric Mas (Klein Constantia), mas ao vencer as duas primeiras Metas Volantes garantiu a “Amarela Crédito Agrícola”.

Apesar de liderar a “Alentejana”, Hagen estava desolado no final dos 186,6 km desta terceira etapa onde foi apenas nono classificado.“Tínhamos como objetivo fazer “a dobradinha”. Seguia a bom ritmo, mas infelizmente entrei mal na última curva e não consegui concretizar o sprint. Perder a etapa foi culpa minha, mas de qualquer maneira é bom estar na liderança.” Na corrida pela vitória final continua o anterior líder, o espanhol Enric Mas (Klein Constantia) que terminou a tirada atrás de Hagen e ocupa a segunda posição da geral a 1 segundo. O sportinguista Jesus Ezquerra é terceiro a 10 segundos da liderança.

No centro de Beja, com um empedrado muito escorregadio, a vitória sorriu a JohimAriesen (Metec/TKH Continental Team) o mais forte no sprint final. O holandês de 28 anos estava visivelmente satisfeito apesar das dificuldades na tirada: “O vento foi inimigo e contribuiu para a divisão do pelotão no final da etapa. Estávamos cinco na frente e consegui sprintar para a vitória.” O corredor da holandesa Metec/TKH Continental Team, vencedor de duas etapas na Volta ao Alentejo em 2015 (chegadas a Mértola e Reguengos de Monsaraz), deixou uma promessa: “Talvez consiga repetir o feito até ao fim desta Volta!”

O segundo classificado na etapa foi o colega de equipa Tijmen Eisinge em terceiro ficou HavardBlikra, companheiro de equipa de Krister Hagen, o novo Camisola Amarela Crédito Agrícola. O espanhol Enric Mas mantém a Camisola Verde Clara CA Vida, por liderar a classificação por pontos e a Camisola Branca RTP, símbolo da juventude. Sem montanhas esta sexta feira, o português Amaro Antunes (LA Alumínios-Antarte) vestiu mais um dia a Camisola Verde Escura CA Seguros que premeia o rei dos trepadores. Rafael Silva (Efapel) ganhou três lugares e está agora na quinta posição continuando a ser o melhor português.

Quem não arrisca…

O pelotão de 155 corredores que se fez à estrada em Portel tinha as atenções concentradas nas bonificações das Metas Volantes. Os sprints intermédios constituíram grande parte do interesse da etapa. Para defender a liderança, Enric Mas tinha de discutir ao centímetro cada segundo mas o norueguês que chegaria à liderança foi superior nos duelos da Vidigueira e de Serpa. O homem da Team Coop no conjunto das três etapas da “Alentejana” já amealhou 12 segundos que lhe valeram a ascensão à Camisola Amarela. A faltarem 40 quilómetros para Beja o pelotão fracionou-se em dois e foi o grupo da frente com 38 elementos que se “atirou” à estrada molhada para fazer a diferença na chegada.

De Aljustrel a Grândola

O fim de semana da “Alentejana” começa em Aljustrel. Este sábado, a quarta etapa, com o Litoral Alentejano na linha do horizonte, o pelotão vai passar por Castro Verde, Odemira e Sines onde estão as Metas Volantes. Nas Cumeadas, em Santiago do Cacém, a caravana terá a única contagem para o Prémio da Montanha. A chegada vai acontecer em Grândola, após 184,7 km, cerca das 16horas.

Parceiros

Deixe uma resposta