Rui Oliveira foi o único português a atingir o pódio no Troféu Internacional Litério Marques

Primeiro dia

Rui Oliveira terceiro na prova de scratch

Rui Oliveira, terceiro classificado na corrida de scratch em elite, alcançou o melhor resultado da Seleção Nacional/Liberty Seguros no arranque do Troféu Internacional Litério Marques, que decorre, até domingo, no Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia.
O primeiro pódio de Rui Oliveira numa corrida internacional de elite resultou do trabalho coletivo. O irmão gémeo, Ivo Oliveira, foi um dos corredores mais ativos na fase inicial da prova, acelerando a corrida para que o ritmo se mantivesse alto. Miguel Amorim trabalhou do meio para o fim, perseguindo algumas fugas mais perigosas, tendo ainda capacidade para ajudar à colocação de Rui Oliveira nas voltas finais.

“A este nível, melhor era impossível. Nós e a Polónia controlámos a prova praticamente toda. Sem o esforço de todos este resultado não era possível. Mas mais importante do que o resultado é o facto de termos demonstrado que estamos a ganhar maturidade e experiência”, comentou Rui Oliveira.

A corrida foi ganha por Adrian Telinski (Polónia), seguido pelo checo Jiri Hochmann (Team Dukla Praha). Além do terceiro lugar de Rui Oliveira, destaque para o sexto posto do campeão nacional de elite, João Matias (OFM-Quinta da Lixa). Miguel Amorim foi nono, Nelson Silva (Anicolor) foi 11.º, Ivo Oliveira foi 15.º, enquanto Pedro Brás (OFM-Quinta da Lixa) e Hugo Brito (Maia/Bicicletas Andrade) não terminaram a corrida.

A final direta de scratch feminino foi conquistada pela jovem promessa Soline Lamboley França), que, em julho passado, nesta mesma pista, conseguiu a medalha de bronze no Europeu júnior, na disciplina de omnium. No segundo posto colocou-se a veterana espanhola Leire Olaberria (Donosti Berri), detentora de um impressionante palmarés, com medalhas olímpicas e mundiais. No terceiro lugar ficou a checa Lucie Zaleska (Team Dukla Praha). Daniela Reis (Acreditar/AC Malveira) foi 12.ª e última.

Também se disputaram as eliminatórias de velocidade. No setor masculino, Pedro Brás foi o 14.º classificado, em 16 participantes, passando aos oitavos de final, sendo eliminado nesta fase. Daniela Reis avançou para os quartos de final, marcados para amanhã.

Segundo dia

Federação homenageia obreiros do Velódromo

A Federação Portuguesa de Ciclismo homenageou as personalidades que tiveram um papel decisivo na construção do Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia: o ex-secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias, o ex-presidente da Câmara Municipal de Anadia, Litério Marques, e o ex-presidente da Federação, Artur Lopes.
No final do ano em que a aposta na pista deu os primeiros títulos mundiais e europeus, o corredor que conseguiu essas vitórias para Portugal, Ivo Oliveira, ofereceu a cada uma das personalidades uma camisola de campeão mundial de perseguição júnior, autografada, numa cerimónia que decorreu no final da segunda jornada de competição do Troféu Internacional Litério Marques.

Na mesma ocasião, a Federação Portuguesa de Ciclismo entendeu reconhecer o apoio atual ao desenvolvimento da disciplina de pista, tendo homenageado a Fundação do Desporto, representada pelo presidente, Carlos Marta, e a Câmara Municipal de Anadia, na pessoa da atual presidente, Teresa Cardoso.

Desportivamente, o segundo dia de competição ficou marcado pelo arranque dos concursos, masculino e feminino, de omnium, e pelas finais de velocidade. Após os três primeiros eventos pontuáveis para a classificação de omnium, o destaque vai para Adrian Teklinski (Polónia), que venceu as corridas de scratch, perseguição e eliminação, liderando com 120 pontos. O segundo classificado é o corredor da Sky Bem Swift (Grã-Bretanha), com 108, e o terceiro Benjamin Thomas (França), com 100.

O melhor elemento da Seleção Nacional/Liberty Segutos é, até ao momento, Rui Oliveira, sétimo classificado, com 80 pontos. Ivo Oliveira é oitavo, com 72, João Matias (OFM-Quinta da Lixa) segue na 14.ª posição, com 46, Miguel Amorim (Seleção Nacional/Liberty Seguros) ocupa o 18.º lugar, com 27, e Hugo Brito (Maia/Bicicletas Andrade) é o 23.º, com 3.

No setor feminino, a checa Lucie Zaleska (Team Dukla Praha) comanda a geral de omnium, com 114 pontos, sendo seguida pela espanhola Leire Olaberria (Donosti Berri), com 112, e por Soline Lamboley (França), com 110. Daniela Reis (Acreditar/AC Malveira) é a 10.ª classificada, com 68.

Na velocidade masculina ficou bem patente o poderio alemão, com o germânico Maximilian Levy (Team Erdgas 2012) a vencer e o compatriota e colega de equipa Erik Balzer a ser o terceiro classificado. Entre ambos colocou-se Charlie Concord (França). No setor feminino impôs-se a mexicana Daniela Gaxiola (Centro Mundial de Ciclismo), com a espanhola Helena Casas (Catalunya Team) no segundo lugar e a venezuelana Mariesthela Vilera (Centro Mundial de Ciclismo) a fechar o pódio.

A primeira final do dia foi a de 500 metros contrarrelógio para juniores femininas. A melhor das três participantes foi a espanhola Itsaso Ahechu (WRC-Conor), com 40,687s, batendo duas corredores do Acreditar/AC Malveira, Andreia Alves, que gastou 42,167s, e Madalena Ventura, que precisou de 42,625s para completar duas voltas à pista. As mesmas três ciclistas competiram na corrida por pontos, tendo o pódio exatamente a mesma composição.

Pedro Preto (Bairrada) venceu a prova de 1 km contrarrelógio para juniores masculinos, com um registo de 1’10’’961. O segundo classificado foi José Sousa (Bairrada), com 1’11’’620, enquanto o espanhol David Orgambide (WRC-Conor) ocupou a posição mais baixa do pódio, com 1’12’’624. Num pódio totalmente composto por corredores da Bairrada, Rodrigo Rocha conquistou a corrida por pontos, diante de José Sousa e de Pedro Preto.

Terceiro dia

Ivo Oliveira sexto classificado em omnium

Ivo Oliveira (Seleção Nacional/Liberty Seguros) terminou na sexta posição a competição de omnium do Troféu Internacional Litério Marques, disputada no Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia, somando 155 pontos, menos 51 do que Adrian Teklinski (Polónia), que venceu com autoridade, graças ao triunfo em quatro das seis provas pontuáveis.

O avanço conquistado nas disciplinas de scratch, perseguição individual, eliminação, contrarrelógio e volta lançada permitiu a Adrian Teklinski encarar a decisiva corrida por pontos com serenidade. Bastou-lhe controlar os rivais mais diretos e esperar que aqueles que lutavam pelos restantes lugares no pódio se marcassem entre si, numa corrida que se revelou frenética, cumprindo-se os 40 quilómetros a uma média de 49,760 km/h.

O suíço Gaël Suter foi o melhor dos adversários, conseguindo a segunda posição, com 181 pontos. O britânico Oliver Wood aproveitou a marcação movida ao compatriota Ben Swift para lançar um fortíssimo ataque, que lhe garantiu uma volta de avanço e a subida ao terceiro lugar final, com 170 pontos. Swift, corredor da Sky, foi quarto, com 161.

O francês Benjamin Thomas foi quinto, com 155 pontos, tantos quantos os conquistados pelo português Ivo Oliveira, sexto. Rui Oliveira concluiu o omnium no nono lugar, com 143 pontos. Miguel Amorim fechou a representação da Seleção Nacional/Liberty Seguros, na 13.ª posição, com 80 pontos. Fábio do Rego (As Corbeil Essonnes) foi 21.º, com 5, e Hugo Brito (Maia/Bicicletas Andrade) terminou em 23.º, com 35 pontos negativos. João Matias (OFM-Quinta da Lixa) desistiu devido a queda, que não teve consequências físicas graves.

“Os três atletas da Seleção Nacional/Liberty Seguros, tendo em conta o momento de preparação em que se encontram, evidenciaram uma excelente progressão, mostrando que estão a evoluir passo a passo, de forma consolidada. Tendo em conta que foi a primeira vez que os gémeos correram o omnium na categoria de elite e que foi a segunda vez do Miguel Amorim, o balanço é extremamente positivo”, resume o selecionador nacional, Gabriel Mendes.

A espanhola Leire Olaberria (Donosti Berri) ganhou a competição feminina de omnium, com 192 pontos, mais seis do que a checa Lucie Zaleska (Team Dukla Praha), segunda classificada, e do que Soline Lamboley (França), terceira. Daniela Reis (Acreditar/AC Malveira) foi a nona classificada, numa competição em que alinharam 12 atletas.

O último dia de competição do Troféu Internacional Litério Marques também contou com a adrenalina das provas de velocidade, neste caso na disciplina de keirin. Entre os homens mandaram os alemães da equipa Erdgas 2012, com Maximilian Levy a ser primeiro e Erik Balzer segundo. O espanhol Juan Peralta fechou o pódio.

A mexicana Daniela Gaxiola (Centro Mundial de Ciclismo) foi a mais forte entre a elite feminina, desfeiteando a espanhola Helena Casas (Catalunya Team) e a italiana Maila Andreotti (Bando Cycling Team), que cortaram a meta por esta ordem.

Também se disputaram as provas de scratch para juniores. Entre os rapazes impôs-se Gonçalo Carvalho (Alcobaça CC/Crédito Agrícola), diante de Pedro Preto (Bairrada) e de David Orgambide (WRC-Conor). Entre as femininas venceu a espanhola Itsaso Ahechu (WRC-Conor), que relegou as corredoras do Acreditar/AC Malveira Andreia Alves e Madalena Ventura para a segunda e terceira posições, respetivamente.

Texto e fotos de: FPC

Parceiros

Deixe uma resposta