RUI RIJO QUER EXORCIZAR “FANTASMAS”

Rui Rijo

Foto: Onpace Média

Ainda lembrado do grave problema mecânico que o levou a desistir logo na fase inicial da edição 2021 da prova realizada em plena zona raiana do Alentejo, Rui Rijo quer sacudir essa “nuvem negra” e terminar a prova deste ano.

Um motor que entregou “a alma ao criador” após uma passagem mais violenta por um riacho, ditou o abandono de Rui Rijo na edição transata da prova alentejana.

Texto: VMotores
Fotos: Onpace Média

Rui Rijo quer sacudir a “nuvem negra” de 2021

Como tal, o piloto, que será acompanhado uma vez mais por Miguel Luz, olha para esta sua segunda prova da época “um pouco como uma redenção, depois do azar do ano passado.

Portanto as nossas aspirações passam por terminar o rali e, acima de tudo gozar os fantásticos troços que a região de Serpa tem para oferecer.

Porque este é um rali que não conta para nada para as nossas contas no TRRS, embora seja sempre pertinente para as contas na Divisão 1 do Desafio Kumho Sul”.

Rui Rijo vai ainda aproveitar para “testar algumas afinações que poderão ser uteis no futuro.

Partimos assim sem qualquer pressão e no fim vemos o resultado, sendo ainda uma excelente maneira de eu e o Miguel irmos conquistando ainda mais entrosamento”.

A prova de Serpa inclui 61,70 kms contra o cronómetro, divididos por sete classificativas.

A prova arranca desportivamente no sábado, dia 14 de maio, após o decorrer das habituais verificações técnicas e administrativas, com a primeira PEC, uma super especial com 2.20km, a decorrer pelas 21h45.

No domingo, dia 15 disputam-se as restantes seis especiais classificativas.

A segunda de 10,8 km em A. do Pinto, a terceira com 9.6 km em Vale Covo e a quarta em Santa Iria com 9,4 km.

As derradeiras PEC’s compreendem uma dupla passagem pelas três últimas especiais descritas.

A cerimónia de entrega de prémios está agendada para as 16h00, no pódio junto ao Parque Fechado, junto à Rua José M. Graça Afreixo, Serpa.

Parceiros