Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Salomé Rocha um autêntico inferno em Doha 2019

Antes do início da prova da maratona nos Campeonatos Mundiais de Atletismo a decorrer em Doha, as apreensões eram muitas e os comunicados sucederam-se, com o último a confirmar que a prova vinha mesmo para diante e que Salomé Rocha, ia mesmo competir.

A prova veio a confirmar ser um autêntico inferno

Assim, tudo pronto, a verdade é que a prova veio a confirmar ser um autêntico inferno, com a desistência de 23 das 68 atletas que partiram, pois todas enfrentaram temperaturas superiores a 30 graus e humidade superior a 70%. Isto com partida um minuto antes da meia-noite, terminando a prova já depois das 2 horas da manhã.

Foto: Erik van Leeuwen

Salomé Rocha, a nossa única representante terminou no 28º lugar

Entre as participantes a portuguesa Salomé Rocha, a nossa única representante, que terminou no 28º lugar, com a marca de 2:58.19 horas.

Tendo estado no grupo da frente da fase inicial da prova, Salomé esteve com o grupo da frente até aos 15quilómetros. «Até aí fui-me sentindo bem, cumprindo bem as passagens. O problema foi que a partir daí tudo foi piorando», o que obrigou a atleta a retrair o passo, chegando mesmo a parar algumas vezes, mas conseguiu resistir e terminou mesmo a prova, com alguma dificuldade – como todas as outras, aproveitando uma cadeira de rodas do corpo médico para descansar um pouco e recuperar.

Salomé Rocha
Salomé Rocha – Erik van Leeuwen

«Infelizmente não me foi possível controlar o ritmo para poder chegar mais à frente. A marca nunca me preocupou», referiu a atleta.

Queniana Ruth Chepn’getich a vencedora neste inferno

A vitória sorriu à queniana Ruth Chepn’getich, com o tempo de 2:32:43, à frente de Rose Chelimo, do Bahrein, com 2:33:46, e de Helalia Johannes, da Namíbia, com 2:34:15.

Texto: Federação Portuguesa de Atletismo
Fotos: Erik van Leeuwen

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta