Trilho das Dores, com ou sem dores nenhumas

O Centro de Convivio Cultural e Desportivo de Abitureiras / Santarem e a equipa Trilho Perdido Eventos organizou no dia 25 de setembro a III Edição do Trilho das Dores.

Trilho das Dores, com ou sem dores

A organização teve um total empenho e dedicação, nas três distâncias realizadas, e se dores houve foi as normais da dureza quanto baste dos seus percursos.

O trail longo com aproximadamente 35km, com partida e chegada no recinto de festas da freguesia de abitureiras, passou por as localidades de Póvoa dos Três, Albergaria, Joaninho, Abitureiras e por terrenos de caça brava.

O trail curto de aproximadamente 20km, partindo em conjunto com o longo do mesmo local, onde também se daria a chegada, passando pelas mesmas localidades do longo.

E um caminhada com 12km aproximadamente, com partida pouco depois das participantes dos trail, terem iniciado a sua corrida, passando pelas localidades de Souriço, Casais da Aroeira, Abitureiras.

Dores
Mesa do pequeno almoço

Chegámos à prova, levantámos os dorsais sem qualquer dificuldade, foi servido um pequeno almoço (mais parecia um banquete pois já havia atletas que pretendiam ficar, em vez de ir correr).

A partida

Dores

Às 9h lá nos juntamos todos para a partida conjunta dos Trail longo e curto, inicio em estrada, seguindo-se os estradões largos, o que foi bom para estender o pelotão, depois é que foi elas muitas subidas, descidas a pique, umas com cordas, outros com o cu no chão, subidas só possível com a ajuda de cordas, um pequeno ribeiro para arrefecer os ténis, muito terreno lavrado e com muitos trilhos técnicos e duros, abastecimentos muito bons bem situados e muito bem compostos e com muita simpatia dos colaboradores.

Dores

A caminhada foi feita em sentido contrario ao trail, tendo-se em certos trilhos cruzados com os participantes do trail, mas como era de frente, os caminheiros a cederem rapidamente a passagem aos trailistas e apoiarem-nos com aplausos, e palavras de incentivo.

Dores

Após a chegada o belo e merecido banho, seguido de uma excelente refeição para recuperar as forças, muito boa, magnifica é o que me surge dizer, composta por uma bifana uma sopa de legumes um doce e duas bebidas.

Dores

Os vencedores

E para a história deste evento ficam os vencedores desta edição:

Trail longo foi ganho por Davide Marques – NSN – 3:35:30, seguido de Sérgio Correia – UDR Zona Alta – Torres Novas -3:37:08 e em 3º Renato Hernandez – NSN – 3:40:49 e nos femininos a vitória foi obtida por Virgínia Pereira – AMC – 4:39:47, 2ª Luisa Santos – NSN – 4:46:16 com o ultimo lugar do pódio para Cármen Ferreira – ASC Vale Grande – 4:55:59.

Trail curto Pedro Pinheiro – SFRAAmadora-Triatlo – 2:09:26, foi o vencedor, com Miguel Ribeiro Trilho Perdido Eventos – 2:12:47 e Gonçalo Cruz – Rapotacho – 2:13:53, a ocuparem respectivamente os 2º e 3º lugares, nos femininos Inês Jordão – Individual – 2:37:22, foi a vencedora, o lugar seguinte foi obtido por Ana Gonçalves – Evora Night Runners – 2:39:56 e o lugar mais baixo do pódio por Lenia Silva – Individual – 2:50:55.

António Soares - opraticante.pt
António Soares – opraticante.pt

A equipa de opraticante.pt foi composta por António Soares no trail longo que obteve o 16º na geral / 2º escalão M50, e na caminhada por Maria Fátima Soares, Ana Paula Nereu e Jorge Soares, este ultimo fez a caminhada a correr tendo sido o 1º a chegar e foi premiado pela organização que tinha prémios para os três primeiros da caminhada.

As declarações, e conversas ocorridas entre os vários participantes, era que todos se encontravam satisfeitos pela excelente prova e organização que em tudo se empenhou para que esta edição, ficasse na memória de todos quantos marcaram presença e que em 2017, fica prometido O Praticante voltará, e você ?

[divide icon=”circle” width=”medium”]

Texto: António Soares
Fotos: Lina Mateus

Parceiros