Banner superior
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq
Coluna Esq

TSI… O rio aos pés… E a lenda de Santa Iria…

No passado dia 3 de fevereiro, decorreu mais um evento já bem conhecido dos calendários de Trail, pela 7ª edição, o TSI – Trail de Santa Iria decorreu com 4 distâncias à disposição da aptidão fisica de cada um.

Trail de Santa Iria – TSI

O Trail Longo, com a distância de 38 Km com (D+) 2000 m, Trail curto dista de 21 Km com (D+) 1100 m, o Mini-Trail com 13 Km com (D+) 600 m e a caminhada com 8 Km (D+) 350 m, perfazendo um total de 1700 participantes, nesta edição do TSI – Trail de Santa Iria, incluído para além dos portugueses, alguns atletas de várias nacionalidades.

O evento do ano em que a aldeia é “invadida”, por boa disposição e envolvimento de todas as pessoas da aldeia.

 

Senti a forma calorosa como somos recebidos e também como somos acarinhados pelos habitantes e organizadores da prova, desde os voluntários aos curiosos que percorrem os trilhos e caminhos pelas serras (Flores, Santa Iria e Banjas).

Apoio não faltava por todos os cantos de prova. Uma prova organizada pela ABA – Associação Branzelo Activo e a Comissão de Festas de Santa Iria.

Como o nosso país está cheio de Lendas, não podia deixar de partilhar com vocês a lenda associada a esta Santa… A Lenda de Santa Iria…

A Lenda de Santa Iria… O Trail… E o rio ali mesmo ao lado

Desde há muitos anos que permanece na história de Branzelo uma lenda, que continua viva na maneira de ser do seu povo, que é a lenda de Santa Iria.

Conta-se que Santa Iria tinha mais de seis irmãos, entre os quais S. Domingos, S. Simão e Sta. Bárbara.

Todos eles queriam estar colocados no alto de um monte ou de uma serra, para se poderem ver e comunicar.

Santa Iria escolheu o lugar de Branzelo, por ficar no alto e, desta forma, atingir os seus objectivos. Mas esta escolha fora-lhe impedida, porque a levaram para outro local, que é hoje S. Tiago.

Geograficamente, S. Tiago fica situado numa margem do Rio Douro, o que não era o desejo de Santa Iria, visto que queria estar em permanente contacto com os seus irmãos, pelo que resolveu fugir e abrigar-se numa serra, onde ainda hoje se encontram vestígios de telhas e bilhas. À serra onde a Santa se refugiou é dado o nome de Serra de Santa Iria.

Alguns anos mais tarde, Santa Iria foi transferida para o próprio lugar de Branzelo, onde permanece em contacto com os irmãos e é guardada numa pequena e tradicional capela.

Em devoção à Santa, é celebrada uma festa, todos os anos, no segundo domingo de Julho, esta Santa é hoje a padroeira de Branzelo.

Fonte: Biblio S/A, . Lendas de Gondomar Gondomar, Câmara Municipal de Gondomar, 1995 , p.9

 

Voltemos à prova, testar os limites

Mais uma prova, o TSI – Trail de Santa Iria em representação do OPraticante.pt, desta vez o despertar foi ligeiramente mais tarde, 6 matina para mais uma diversão.

Já na minha segunda participação no TSI – Trail de Santa Iria, mas este ano na maior distância, segundo ano consecutivo a rumar até Branzelo para testar os limites, depois da experiência anterior, não sabia como o corpo iria reagir… Apenas me quero superar lentamente, sem loucuras, mas por vezes, “Estico a corda”…

Inicio a viagem para o local da prova e reparo que as temperaturas baixaram nesta noite / madrugada, a rondar os 0 a 2º Celsius… Ui ui… mas o mais louco, na minha visão a esta altura, é que seria a primeira vez que iria correr de calções, para testar o comportamento do corpo nestes dias de frio, mas para a primeira vez, será que as temperaturas podiam estar superiores? É o que temos…será uma boa experiência, mas algum dia tinha de ser.

Com zero graus, de calções?

Estacionamento perfeito, dentro dos espaços possíveis e sigo a passo acelerado para o levantamento do dorsal… Só agora me lembrei de ter cá estado, quando vejo o espaço da partida. Mais uma boa caminhada até ao carro e lá me decido equipar, tinha de tirar as calças… Com zero graus, de calções?

Ainda pondero correr de fato de treino… Ganho coragem e sinto o impacto da temperatura, mas rapidamente passou… Ambientado há temperatura atmosférica, sigo em passo acelerado para aquecer, pois o frio sentia-se nas mãos e no corpo.

10 Minutos, para a loucura, encontro a malta, troca de palavras e o aquecimento antes do tiro de partida do TSI – Trail de Santa Iria. Contagem decrescente e seguimos… Em poucos km’s estamos no verdadeiro aquecimento, iniciava as subidas! Embora que em pouco tempo iria começar a prova… Com a altimetria a aumentar, pois a prova se esperava dura. A iniciar com temperaturas baixas, seria logo o primeiro desafio.

10 Km’s a bom ritmo (1h09m), esta primeira parte da prova era muito corrível, o declive da prova neste troço seria mais negativo do que positivo, mas sempre com a sua dificuldade associada.

Crioterapia natural

Cerca do Km 13, aquilo que designo de Crioterapia natural, mas neste dia, seria algo mais duro, ao entrarmos para a linha de água e em contra corrente, os pés iam ficando gelados ao ponto de quase não os sentir… Tratamento anti bolhas… Ahahahah. Só queria sair dali, mas deparo-me com a primeira “parede” da prova, iniciando assim a verdadeira escalada, lutando entre lama e inclinação.

Nesta fase da prova, a fase das subidas, maioritariamente a subir e mais uma vez, depois de uns km’s em sobe, sobe e desce, pois subia-se mais do que se descia, outro tratamento em contracorrente, as temperaturas dos calcantes voltavam a baixar drasticamente… Com pedra lisas e aguçadas, todo o cuidado era pouco mas seria agradável manter um bom ritmo, nesta fase já tinha reduzido, pois nas subidas isto ainda custa… já só pensava em chegar ao abastecimento, porque até agora eram bastante completos.

Km 22, abastecimento, mais um, bem completo, estava a valer a pena provar estes bolinhos caseiros, senão eram, pareciam mesmo, deliciosos… necessitava de açúcar e da famosa coca-cola. Mas a mini, neste local, soube pela alma e pasmem-se, o enchido que estavam a cortar, ui ui, aqui não faltava nada. Estava radiante com a prova, marcações 5 estrelas e o meu ritmo era acima do normal, basicamente tudo a correr bem.

E após sair do abastecimento, surge mais uma subida mas o seu pico, seria bastante inferior comparando com os anteriores. Mas sabia que nestes próximos km’s até ao último abastecimento, seria a atitude máxima da prova (410 metros), embora que as subidas mais acentuadas, com mais declive, já tinham ficado para trás.

Pequena queda de água para embelezar a paisagem

Ao Km 26, uau, uma descida técnica e o Rio Sousa mesmo aqui ao lado, que paisagem, uma pequena queda de água para embelezar a paisagem e completar a alma. Mas sempre que se desce, pimba, temos de subir e que grande subida… Nesta altura, já qualquer subida vai doendo e se dói… Esta em particular temos de subir de quatro, ou quase, bem que se trepada, rocha e mais rochas!

Ultimo abastecimento, a sentir o cheirinho da conclusão e após uns caminhos de estradão reparo na mesa do abastecimento, ao longe e mais uma mesa bem completa… Esta organização não falhou em nada. Presunto, mais uns bolinhos e uma bifana, em mini pães… por falar em mini… Também completavam o menu. Siga, para uma bifana e uma mini.

E vamos lá terminar isto… Ao chegar ao ponto mais alto da prova, tenho de partilhar, a magnifica paisagem sobre o rio Douro… umas fotografias para a posteridade e para partilhar no face… Sigo caminho.

Apesar de nesta prova o corpo ter reagido mais cedo, estava cheio de vontade de terminar, em menos tempo do que tinha esperado… Ao aproximar-me da meta, relembro o troço e sabia que estava muito perto… Até que… Cruzo a meta. Tempo de conclusão 5h52m58s, a terminar na 98º posição da geral e em 27º no meu escalão (M40), muito satisfeito fiquei com a minha prestação.

Os Mais Rápidos do TSI – Trail de Santa Iria:

Trail Longo – 38 Km – 143 participantes

Pedro Barros – OralKlass – Amigos do Trail com 03h35m44s foi o vencedor, deixando para trás Pedro Rocha – DGR Retorta – 03h38m57s e Tiago Teixeira – EDV Viana Trail – 03h45m58s.

A vencedora feminina foi Lucinda Sousa – Prozis Athletes – 4h23m40s, o segundo lugar foi para Claúdia Moreira – A.D.Amarante – 4h59m57s e o terceiro lugar do pódio completado pela atleta Tania Bateira – Portocargo Runners – 5h17m39s.

Trail Curto – 21 Km – 342 participantes

O primeiro lugar do pódio foi ocupado por Fernando Lemos – Gaia Trail – 1h43m11s, na conquista pelo o 2º lugar, a luta foi renhida, o empenho dos atletas proporcionou, uma diferença de quatro segundos, entre o segundo lugar de Mário Pinto – Grupo Desportivo e Cultural de Castelo de Paiva – 1h44m27s e o terceiro lugar de Dinis Gonçalves – Gaia Trail – 1h44m31s.

O primeiro lugar do pódio feminino ficou Anastasia Rudnaya – Ms Parma – 1h44m31s, Daria Panchenko – Nord West – 2h03m24s em 2ºlugar, em terceiro ficou Tatiana Bevza – Nord West – 2h06m34s.

Mini Trail – 13 Km – 640 participantes

Primeiro lugar foi conquistado por Nelson Loureiro – Individual – 55m25s, segundo lugar para Jorge Neto – Nba Barrosas – 59m20s e o terceiro lugar para André Silva – Sc Espinho – Atletismo/António Leitão – 59m57s, também estes dois atletas a empenharem-se para obterem a melhor classificação, mas com uma maior diferença de segundos entre eles, em relação à disputa do trail curto.

Na competição feminina, Zlata Malysheva – Nord West – 1h11m28s, o segundo lugar Anna Volkova – Nord West – 1h11m49s e o terceiro lugar conquistado por Alena Gerasimova – Crimea – 1h14m50s.

E fica o rescaldo do TSI – Trail de Santa Iria

Mais uma prova que participo, muito bem organizada, com excelentes abastecimentos e uma medalha para os finisher’s. Eu, pessoalmente gosto.

Uma ou duas zonas em que o pessoal se ia perdendo, uma talvez falta de atenção, a segunda falta de umas fitas, mas existe sempre quem queira prejudicar as provas e fazer das suas, já não é novidade. Mas no geral, correu excelente a prova e atribuo nota máxima a tudo o que foi organizado e pensado.

Parabéns às cozinheiras pelos bolinhos, vim deliciado. Parabenizo todos os fotógrafos do TSI – Trail de Santa Iria, os voluntários e em especial à organização, constituída pela ABA – Associação Branzelo Activo e a Comissão de Festas de Santa Iria, bem como ao companheiro Altino Rocha pela sua cooperação com o nosso projecto. Prova a repetir.

Sitio oficial do evento.

Facebook do evento.

Classificações do evento.

Até há próxima aventura… Lobo solitário nos trilhos!!

Até breve!

Texto: Manuel Carlos Martins
Fotos: Manuel Felgueiras (Runners + TV) /  Mónica Martins Madureira

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta