Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Vice-campeão mundial de maratona BTT é Tiago Ferreira

O português Tiago Ferreira sagrou-se hoje vice-campeão mundial de maratona BTT (XCM), em Sacaria, Turquia.

Vice
Tiago Ferreira

Tiago Ferreira vice-campeão mundial de maratona BTT

O viseense, atual campeão europeu, só foi batido pelo colombiano Héctor Páez, que revalidou o título mundial.

A corrida, de 110 quilómetros, começou a definir-se na primeira das três voltas ao circuito montanhoso de sobe e desce, onde decorreu grande parte da prova, antes do regresso à localidade de Sacaria.

Na primeira das três voltas, começou a fazer-se a seleção, na qual Tiago Ferreira teve um papel relevante, impondo um ritmo forte.

As primeiras acelerações deixaram na frente um grupo de onze ciclistas.

Numa corrida disputada em registo de eliminação, as dificuldades deixaram o pelotão dianteiro reduzido a cinco unidades na segunda volta.

Na terceira, a cerca de 40 quilómetros do final, Hèctor Páez endureceu o ritmo.

Só Tiago Ferreira e o checo Martin Stosek resistiram.

Mas o colombiano insistiu numa intensidade muito alta.

Martin Stosek ainda tentou seguir o campeão mundial, mas não foi bem sucedido e acabou por ser alcançado por Tiago Ferreira, que fez uma gestão mais criteriosa das capacidades individuais.

Na frente, Héctor Páez fez uma “cavalgada” solitária de quase 40 quilómetros para sagrar-se bicampeão mundial.

Tiago Ferreira foi vice-campeão mundial de maratona BTT, a 2m20s.

Martin Stosek fechou o pódio, a 2m35s.

“Um bom resultado seria o top 5”

“Não conhecia o percurso, mas tinha a indicação de que se adaptava às minhas caraterísticas.

Por isso, vinha com intenção de fazer um bom resultado, mas sem grandes expectativas, porque, nos anos anteriores, as expectativas saíram ao lado.

Um bom resultado seria o top 5, pelo que a medalha de prata supera o que poderia esperar.

Senti-me bem, mas foi impossível fazer mais.

No primeiro ataque do Héctor Páez eu e o Martin Stosek ainda o seguimos.

Mas o segundo arranque foi tão explosivo que preferi meter o meu ritmo.

O checo ainda seguiu o colombiano, mas também não resistiu.

Segui com o checo até aos 750 metros finais, onde aproveitei uma subida para me isolar”, explica Tiago Ferreira.

José Dias com Paulo Manuel Silva

José Dias com desempenho comprometido por uma avaria

O outro corredor português presente na competição foi José Dias.

Teve o desempenho comprometido por uma avaria na transmissão, que o obrigou a parar para tentar a reparação.

Viemos com intenção de discutir a corrida e conseguimo-lo. Só não superámos o colombiano, que esteve, realmente, muito forte.

Atacou num momento decisivo, em que estavam apenas três corredores na frente.

O Tiago geriu as forças de acordo com as sensações que teve naquele momento e fez uma excelente corrida, para ganhar mais uma medalha”, conta o selecionador nacional, Pedro Vigário.

Foi o terceiro pódio de Tiago Ferreira em mundiais de XCM.

Em 2016 foi campeão mundial, no ano seguinte foi segundo classificado, resultado que repetiu hoje.

O português também soma três medalhas em Campeonatos da Europa, ouro em 2017 e 2019 (última edição, em 2020 não se realizou devido à pandemia) e prata em 2016.

Texto / Fotos: União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta