15º Convívio da Musgueira Norte

No passado domingo 22 de Junho, ocorreu o 15º convívio cicloturistico da Associação Recreativa Pescadores da Musgueira Norte, um evento do calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), que contou com os apoios da Junta de Freguesia do Lumiar e Câmara Municipal de Lisboa.

Com cerca de 60 quilómetros para percorrer pela capital, o evento passou por locais bem conhecidos e típicos da cidade, a partida ocorreu pouco passava das 9 horas junto às instalações da Junta de Freguesia, seguindo pela Alameda das Linhas de Torres, Av. Rainha D. Amelia, Alto do Planalto, Av. Nações Unidas, Av. Padre Cruz, Campo Grande, Av. Republica, Saldanha, Marques de Pombal, Largo do Rato, Estrela, Av. Infante Santo, Av. 24 de Julho, Alcântara, Av. da India, Belém, Algés, aqui foi feita uma paragem para reabastecimento.

Retomadas as pedaladas, fez-se o inverso, percorrendo o mesmo trajeto até Alcântara, seguindo-se pelo Cais do Sodré, Terreiro do Paço, Av. Infante D. Henrique, Expo, Av. Marechal Gomes da Costa, Rotunda do Relógio, Av. do Brasil, Rua das Murtas, Charneca, Alta de Lisboa, Estrada da Torre, Alameda da Linhas de Torres, e Quinta da Conchas, onde o evento terminou, cerca das 12,30.

Olhando o evento

Num domingo que acordou ameno, mas com o céu carregado de nuvens, as mesmas vieram mais tarde estragar as pedaladas, já que a chuva apareceu e com bastante abundância, apanhando os cicloturistas desprevenidos, e proporcionando-lhes uma grande banho, ao mesmo tempo que colocava em perigo as pedaladas, já que com a estrada molhada, muito escorregadia, e grandes lençóis de água que se acumularam, dificultou sem dúvida os amantes da bicicleta.

A chuva, também não foi obstáculo, já que as pedaladas prosseguiram, e apesar de terem chegado ao fim todos ensopados, a alegria mantinha-se expressa nos seus rostos, apesar de acusarem algum cansaço. Foi um passeio com um trajecto de dificuldade média, dividindo o mesmo em quatro partes, a primeira, no início das pedaladas com alguns topos, mas superados facilmente, as duas partes seguintes, excelentes para rolar, apenas algumas zonas com carris mais complicadas, mas superadas sem acidentes, o que foi muito positivo, e a quarta e última parte, onde as maiores dificuldades surgiram, a subida da Av. Marechal Gomes da Costa, um pouco longa, e depois a partir da Av. do Brasil a forte chuva que se fez sentir, a dificultar e a estragar a festa.

Houve uma organização que se esmerou por dar o seu melhor, a conseguir impor uma velocidade e um andamento acessível para todos, já que com um pelotão muito diversificado de participantes, a isso o exigia. O trabalho feito pela PSP / Transito de Lisboa também foi exemplar, dando segurança a toda a caravana, num trajecto algo complicado pela capital pelos locais de passagem, ao mesmo tempo que ainda noutras zonas existiam outros eventos desportivos, o que ainda se tornou mais difícil, mas onde tudo foi superado.

Foto: José Morais

Parceiros

Deixe uma resposta