Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Corrida do Torreão celebra com desporto São Tiago

O mês de Julho tem a tradição de celebrar um dos maiores Santos católicos! Ao vigésimo quinto dia deste mês celebra-se o São Tiago. Associado ao culto do Santo está o seu famoso Caminho e para invocar esta mística do Caminho para Santiago, mais uma vez aconteceu a corrida do Torreão que teve o seu percurso totalmente decorrente em Caminho Santo!

A Corrida do Torreão aconteceu Sábado (20) de julho pelas 19h00 em Macieira da Maia, Vila do Conde e foi uma organização da ProEvents com o apoio da Câmara Municipal de Vila do Conde e da Junta de Freguesia de Macieira da Maia. Aos atletas estava proposta uma corrida cronometrada de dez quilómetros e para os que procuravam um fim de tarde mais calmo havia a caminhada lúdica de cinco quilómetros.

A equipa de OPraticante.pt esteve presente no evento e agora apresentamos todas as notas sobre como tudo decorreu.

Percurso selectivo marcado pelo calor e vento na Corrida do Torreão

A corrida do Torreão como mencionado teve o seu percurso totalmente assente num troço que faz parte do consagrado e mítico Caminho de Santiago.

A partida e chegada da prova aconteceu no Largo do Vilarinho e os atletas tinham de percorrer duas voltas a um percurso que prometia grande animação. Para os que desconhecem, Vilarinho é a primeira paragem do Caminho Português de Santiago que liga Porto a Compostela.

Quem já percorreu este caminho sabe dos seus desafios e então o percurso desta prova seguiu as mesmas pisadas. Com a partida junto à imponente e secular torre que domina o Vilarinho, os atletas viravam de imediato à direita para seguirem o primeiro quilómetro de prova na rua da Ponte de Ave em sentido descendente o que dava logo a ideia que o retorno não seria fácil.

Após o primeiro quilómetro de prova, os atletas rumavam à milenar ponte do D. Zameiro descendo num piso mais agastado até ultrapassar a ponte que foi o ex-líbris da prova. No total, os atletas passariam quatro vezes na ponte.

Era tempo de subir e a subida era longa

Após a passagem da ponte, era tempo de subir e a subida era longa e de quase um quilómetro ao longo da rua cidade de Portalegre. No alto no cruzamento com a rua da Ponte do Ave fazia-se o retorno para se descer o que se subiu, ultrapassar a ponte e voltar a subir para a rua principal que levaria os atletas ate à meta depois de atravessarem o largo do Vilarinho

No ano anterior, a prova para além do seu já percurso muito selectivo foi marcada pelo diluvio que marcou toda a prova e a condicionou, neste ano a prova ficou marcada pelo calor e pelo vento forte que se fez sentir e em certos momentos batia de frente aos atletas e condicionava-os.

De notar ainda que o percurso desta prova contrariamente ao que é promovido não tem uma extensão de dez quilómetros, mas a ser rigorosos está muito mais perto dos onze quilómetros.

Vencedores

José Rocha

José Rocha vence Corrida do Torreão 2019

A edição deste ano da corrida do Torreão foi uma prova disputada até aos últimos metros finais. Na liderança da prova estiveram sempre José Rocha do Salgueiros Running e Filipe Martins da Malta da Corrida. No sprint final, a vitória sorriu ao atleta salgueirista que terminou a prova com 37:20min ficando Filipe Martins a dez segundos. A fechar o pódio ficou Joaquim Silva com 38:10min.

Andreia Cunha triunfa no sector feminino

Na competição feminina da prova, a vitória sorriu para a suspeita do costume nas provas deste ano da ProEvents, Andreia Cunha. Com uma prova sempre na dianteira e controlada, a atleta que representa a Fisio terminou isolada com um tempo de 42:21min. A completar o pódio ficaram Liliana Rocha da RunRiver-Escola Atletismo de Rio Tinto com 43:39min e Paula Barbosa da Oralklass-Amigos do trail com 47:28min.

Andreia Cunha

Vencedores por escalão

A prova teve vencedores por escalão e estes foram os seguintes:

Na competição masculina venceram Chisoka Simões do OPraticante.pt-Afipre Team (Séniores), Patrício Castro do Taipas (Vet I), Miguel Figueiredo da Fisio (Vet II), José Almeida da Academia Fernanda Ribeiro (Vet III), José António Freitas (Vet IV), José Cabral do Clube Desportivo de São Salvador do Campo (Vet V) e Adérito Alves do Salgueiros Running (Vet VI).

Na competição feminina triunfaram Hortense Tenda do Sporting Clube de Espinho/António Leitão (Séniores), Sílvia Teixeira do Boavista FC (Vet I), Margarida Monteiro da Pixelcar (Vet II), Florinda Fernandes (Vet III), Angelina Maia do Maia das Moreiras (Vet IV) e Adelaide Veludo do OPraticante.pt-Afipre Team (Vet VI).

Chisoka Simões

OPraticante.pt e Afipre Team continuam a sua parceria de sucesso

A Corrida do Torreão foi mais uma prova que OPraticante.pt participou em parceria com a equipa Afipre Team e mais uma vez o saldo final é muito positivo. No total a equipa conquistou três pódios: Chisoka Simões obteve o primeiro lugar no escalão de séniores, Adelaide Veludo conquistou o primeiro lugar no escalão de Veteranas VI e Hélder Borges ficou no terceiro posto do escalão de Veteranos I. Destaque ainda para o quarto lugar de António Rodrigues o escalão de Veteranos V.

Adelaide Veludo

Eis os resultados completos da equipa:

Chisoka Simões (4º geral / 1º sénior) – 38:31min; Hélder Borges (17º geral / 3º Vet I M) – 43:25min; Marco Andrade (21º geral / 5º Vet I M) – 44:55min; António Carvalho (24º geral / 6º Vet I M) – 45:25min; Tiago Lopes (25º geral / 9º sénior) – 45:37min; Marcelo Costa (28º geral / 7º Vet I M) – 46:35min; Pedro Rodrigues (31º geral / 9º Vet I M) – 46:46min; Paulo Abreu (46º geral / 6º Vet II M) – 49:05min; António Rodrigues (46º geral / 4º Vet V M) – 51:13min; Adelaide Veludo (83º geral / 1º Vet VI F) – 58:53min; Nuno Fernandes (103º geral / 31º sénior) – 01:02:42; Helena Santos (103ª geral / 12ª sénior) – 01:09:17 e Carla Moreira (103ª geral / 6º Vet I F) – 01:14:40.

 

Nota ainda para os resultados dos vencedores do passatempo onde oferecemos dorsais para esta prova:

Pedro Rodrigues (31º geral / 9º Vet I M) – 46:46min e Vítor Martins (106º geral / 15º Vet II M) – 01:03:09.

Largo do Vilarinho encheu-se de animação

Tendo estado presente na edição do ano passado da prova foi fácil perceber no evento deste ano a evolução que a promotora da prova, a ProEvents teve neste ano de 2019.

O Largo do Vilarinho estava bem composto com uma estrutura digna de uma prova de atletismo com vários pórticos, uma linha de partida bem assinada, uma estrutura de som, tudo que um evento de atletismo deve ter. No centro do largo, junto ao memorial a Santiago estava o pódio. O secretariado funcionava dentro da torre que caracteriza o local.

A quando do levantamento do kit atleta que decorreu sem demoras já que a mesa do secretariado estava bem composta de voluntários, os atletas recebiam um saco alusivo à prova com uma t-shirt verde técnica, o dorsal cm chip, folhetos publicitários, um postal de Macieira da Maia e uma caneta e um lápis. Após a prova os atletas recebiam para além da habitual medalha finisher, o abastecimento final com águas e uma bola de Berlim. Para um preço de inscrição de 8/10 euros, o que os atletas receberam está a um nível satisfatório.

O evento teve grande animação na hora que antecedeu o tiro de partida com o speaker de serviço a ter um bom papel a promover a prova e a zona onde este decorria. Uns minutos antes da partida, os presentes tiveram direito a um aquecimento funcional que fez as maravilhas principalmente de quem ia caminhar.

Percurso bem marcado e com algum público

Ao contrário do ano passado em que não se deslumbrou vivalma no percurso da prova devido à intempere que caía, este ano já se deslumbrou algum apoio popular nas zonas onde a prova passava junto a residências e que eram poucas diga-se de passagem. Em todos esses pontos, havia sempre um habitante local a apoiar e aplaudir os atletas.

Em termos de organização do percurso, nada de errado há a apontar com todos os cruzamentos a estarem isolados e sinalizados e com a presença de autoridades e voluntários. Todo o percurso tinha na sua extensão placas informativas da quilometragem, dos pontos de abastecimento e de retorno.

De notar ainda, que a prova teve três abastecimentos de águas, o central ao quilometro cinco no largo do Vilarinho, e dois secundários nas duas vezes que se subia a rua da ponte do Ave junto ao cruzamento com a estrada nacional.

Mais uma prova, mais uma bela medalha, mas repetida

Devido à parceria que a ProEvents tem com a Oficina das Medalhas, as provas têm sempre medalhas de grande qualidade e com um design muito interessante. Esta medalha não foi excepção e isso até já foi dito o ano passado pois a medalha era a mesma que os atletas receberam na edição anterior da prova.

Corrida do Torreão, uma prova emblemática, mas de grande exigência

A edição anterior da Corrida do Torreão decorreu em condições muito adversas para a prática desportiva e a afluência da prova não podia ser verdadeiramente testada com base nesses números. O ano passado a afluência foi de 78 atletas finalizadores, mas uns bravos finalizadores.

Neste ano a afluência como esperado aumentou com a prova a ter um total de 136 atletas, ou seja, quase que duplicou, contudo, é um número que considero baixo para o simbolismo da prova. Quem esteve presento no evento certamente gostou do ambiente que se diga foi muito bom entre os presentes.

 

Esta prova tem todos os valores para ser uma prova de sucesso, contudo tem um senão que pode afastar muitos atletas, que é a dureza do percurso que é um verdadeiro carrossel com subidas e descidas e que no final vai fazendo o seu estrago. Uma mudança de percurso para esta prova não era de todo mal pensada numa prova edição de modo a atrair mais atletas.

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: José Coutinho

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta