Corrida por pontos, João Marques sexto classificado

Corrida por pontos

João Marques na Corrida por pontos

O português João Marques foi hoje o sexto classificado na corrida por pontos do Campeonato da Europa de Ciclismo de Estrada para Surdos, em Alanya, Turquia.

Texto: União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo

Corrida por pontos, também conhecida como critério

A prova, também conhecida como critério, desenrolou-se num circuito urbano de 1800 metros, cumprido 16 vezes pelos ciclistas.

Destacaram-se três homens, que conseguiram dobrar o pelotão.

O eslovaco Adrian Babic foi o melhor, somando 91 pontos. Seguiram-se dois representantes da seleção da Rússia, Ivan Makarow, com 66, e Dmitriy Rozanov, com 49.

João Marques esteve entre os oito ciclistas que conseguiram pontuar. No entanto, por ter sido dobrado pelo trio dominador, concluiu a corrida com 17 pontos negativos, no sexto lugar.

O representante de Portugal já participou em três das quatro provas deste Campeonato da Europa.

Foi quarto em velocidade, décimo no contrarrelógio e sexto na corrida por pontos.

A participação termina no próximo domingo, dia da prova de fundo.

A corrida final inicia-se às 11h00.

Os corredores vão enfrentar 77,7 quilómetros de uma prova quase sempre plana e junto á costa, mas que fará uma incursão por uma montanha, sensivelmente a metade do percurso, onde será, por certo, feita uma triagem de valores.

CORRIDA POR PONTOS
João Marques no contrarrelógio individual

Décimo classificado no contrarrelógio individual

Ontem João Marques o décimo classificado no contrarrelógio individual do Campeonato da Europa de Ciclismo de Estrada para Surdos, em Alanya, Turquia.

O corredor português completou os 35,8 quilómetros em 46’20’’388, à média de 36,254 km/h. Com este desempenho, João Marques gastou mais 7m37s do que o vencedor, o russo Dmitriy Rozanov.

O João fez um contrarrelógio dentro das expectativas.

Correu com uma bicicleta de estrada, porque não tem experiência de utilizar bicicletas de contrarrelógio.

A parte inicial não lhe correu bem, mas encontrou o ritmo certo na segunda metade, que era a mais dura da prova.

Demonstrou ter uma grande margem de progressão”, considera o selecionador nacional de paraciclismo, José Marques.

Entre os 17 participantes no contrarrelógio, destacaram-se o russo Dmitriy Rozanov, que conquistou o ouro e que foi acompanhado no pódio pelo eslovaco Adrian Babic, que gastou mais 37 segundos, e por Ivan Makarow, que ficou a 50 segundos do compatriota vencedor.

Parceiros

Deixe uma resposta