Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Etíopes lideram o Ranking de Maratona de 2019

2020 promete ser um ano em cheio para a modalidade de Maratona em Portugal, pelo menos a avaliar pelo significativo aumento de atletas inscritos na Meia Maratona de Lisboa. Mas face aos melhores corredores do mundo, os etíopes, Portugal ainda tem um longo caminho pela frente.

Com o virar do ano, os resultados relativos aos melhores tempos internacionais na modalidade de Maratona em 2019 voltam a não surpreender. No top 10 mundial, 8 dos atletas são oriundos da Etiópia, que arrecadou 7 dos 6 primeiros lugares.

Etíopes impressionam

O segundo melhor tempo do ano passado pertenceu a Kenenisa Bekele, que impressionou com a sua marca de 2 horas, 1 minuto, e 41 segundos na Maratona de Berlim. Também na capital alemã se corou a prestação de Birhanu Legese, que cruzou a meta 2 horas, 2 minutos, e 48 segundos após o início da prova.

O primeiro lugar do ranking mundial marca uma excepção, mas nem por isso um resultado surpreendente. O Quénia tem sido alvo de várias manifestações e protestos estudantis, mas continua a apresentar resultados extremamente sólidos na modalidade de maratona.

Eliud Kipchoge arrebatou a competição na Maratona de Londres com o seu tempo de 2 horas, 2 minutos, e 37 segundos e tornou-se no homem mais rápido de 2019. O segundo melhor queniano, Marius Kipserem, teve direito ao oitavo melhor tempo do ano após concluir uma prova em Roterdão em apenas 2 horas, 4 minutos, e 11 segundos.

Etíopes

Europeus longe do pódio, liderado pelos Etíopes

Numa modalidade que é praticada em virtualmente todos os países do mundo (e em Portugal inclusive) continuam a faltar representantes relevantes vindos de países não-africanos.

A Espanha e o Reino Unido até podem fazer parte do top 10 de países na modalidade de maratona em 2019, mas 6 dos 5 primeiros lugares foram atribuídos a atletas africanos.

Etiópia lidera sem surpresas

No top 10 do ranking mundial, que é organizado segundo a média de tempo dos corredores, a Etiópia lidera sem surpresas, com uma média de 2 horas, 3 minutos, e 27 segundos. Segue-se o Quénia, com uma média de 2 horas, 4 minutos, e 42 segundos. A completar o pódio está outro país africano, a Eritreia, que obteve uma média de 2 horas, 9 minutos, e 1 segundo.

Logo a seguir está Marrocos (2 horas, 9 minutos, e 3 segundos), o Japão (a melhor nação não-africana com uma média de 2 horas, 9 minutos, e 18 segundos), o Uganda (2 horas, 9 minutos, e 26 segundos), os Estados Unidos (2 horas, 9 minutos, e 19 segundos), a Espanha (melhor país europeu com 2 horas, 11 minutos, e 10 segundos), o Reino Unido (2 horas, 12 minutos, e 18 segundos), e finalmente a China (também com 2 horas, 12 minutos, e 12 segundos).

Rui Pinto – Foto de arquivo

Em Portugal, o melhor tempo de 2019 pertenceu a Rui Pinto, que completou a maratona de Valência em 2 horas, 15 minutos, e 30 segundos. Logo a seguir estão Jorge Varela (2 horas, 18 minutos, e 37 segundos) e Avelino Eusébio (2 horas, 18 minutos, e 50 segundos), que participaram, respectivamente, nas competições de Valência e de Frankfurt.

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta