GP Internacional de Torres Vedras com novidades

Um pelotão de 132 corredores, de nove nacionalidades provenientes de três continentes, irá disputar entre 5 e 9 de julho a 40.ª edição do Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho.

Uma organização da União Desportiva do Oeste, em parceria com a Câmara Municipal de Torres Vedras, apresentada ontem em Torres Vedras.

GP Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho

A corrida portuguesa que integra há mais tempo ininterruptamente o calendário internacional regressou este ano aos cinco dias de prova, tendo assim quatro etapas em linha e um prólogo, totalizando 654 quilómetros.

Além de mais um dia de competição, esta 40.ª edição do Troféu Joaquim Agostinho apresenta outras novidades, entre elas alguns dos locais de partida e chegada, e a divisão da 3.ª etapa em dois sectores.

Começamos então pelo prólogo, que tem lugar no Turcifal, no dia 5 de julho. Em sistema de contrarrelógio, esta prova tem início às 17H00 e a extensão de 8 quilómetros.

No dia seguinte, é altura da primeira etapa em linha, com partida na Adega Cooperativa da Ventosa. A tirada tem 140 quilómetros e termina na localidade de Arruda dos Vinhos.

Quanto ao terceiro dia de prova, fica marcado pela subida ao Alto de Montejunto onde a meta final irá coincidir com uma Meta de Montanha de 1.ª categoria. A partida para esta etapa de 155 quilómetros tem lugar no Sobral de Monte Agraço.

Novidade da prova está no quarto dia

O quarto dia apresenta assim a grande novidade desta 40.ª edição, uma etapa dividida em dois sectores.

O primeiro sector tem 78 quilómetros, partida em Atouguia da Baleia e a chegada a coincidir com mais uma Meta de Montanha, desta feita de 3.ª categoria, na localidade de Vimeiro.

O segundo sector é finalizado no já conhecido circuito de Torres Vedras, que se apresenta com 111 quilómetros exigentes, visto que é marcado por subidas e descidas constantes com elevado grau de dificuldade.

O segundo setor ficará ainda marcado pela inauguração da Rotunda Pelotão, homenagem da edilidade torriense aos ciclistas.

No último dia, mais uma passagem pelo Alto de Montejunto, desta vez numa tirada que vai ligar São Martinho do Porto ao Parque Eólico de Carvoeira passando por um elevado número de municípios do Oeste.

Esta etapa é a mais longa desta edição, com 162 quilómetros, e conta com contagens de montanha, entre elas o Alto de Montejunto, de 1.ª categoria, e o Parque Eólico de Carvoeira (meta final), de 3.ª categoria.

Parceiros

Deixe uma resposta