LUÍS COSTA NO PÓDIO DA TAÇA DO MUNDO

Luís Costa

Foto: UCI

Luís Costa conseguiu hoje a terceira posição no contrarrelógio da Taça do Mundo de Paraciclismo, disputado em Elzach, Alemanha.

Texto: UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

Luís Costa conquista a nona medalha em Taças do Mundo

O paraciclista português, a correr na classe H5, aproveitou da melhor forma a originalidade deste exercício individual de 18 quilómetros em contexto de paraciclismo.

Ao invés de ser um traçado plano ou misto, tratou-se de uma cronoescalada de 18 quilómetros.

E Luís Costa escreveu na sua página “Medalha de bronze no contrarrelógio da Taça do Mundo na Alemanha.

Hoje o percurso (crono-escalada) era à minha medida e aproveitei isso.

É para momentos assim que treino afincadamente, 9 vezes por semana, todo o ano.

Mal estou com a família e amigos e os colegas de trabalho não podem contar comigo para muita coisa.

Espero que percebam o quanto isso me custa. Mas um dia como o de hoje vale todos os sacrifícios e cada gota de suor derramado.

Luís Costa
Luís Costa com José Marques

Dedico esta medalha a todos os que de algum modo me apoiam, mas quero fazer um agradecimento especial à UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo, mais precisamente aos seus técnicos Gabriel Mendes e José Marques, sem os quais eu nunca teria alcançado tantos momentos como o de hoje.

Para quem não sabe, já são 9 medalhas em Taças do Mundo, 1 no Campeonato do Mundo e 2 no Campeonato da Europa.

Agora é tentar recuperar para amanhã, disputo a prova de fundo pelas 14:30 locais. Siga…💪🏻💪🏻”

O mais forte foi o neerlandês Mitch Valize, que completou o percurso em 41’52’’56. Seguiu-se o polaco Krzysztof Plewa, a 2’04’’04. Luís Costa conseguiu a medalha de bronze, com mais 2’35’’46 do que o vencedor.

Luís Costa

Outros portugueses em competição

Na manhã desta sexta-feira também já disputaram o contrarrelógio os corredores de classe H4.

A seleção nacional esteve representada por Flávio Pacheco, oitavo, enquanto Carlos Neves correu a título individual, ficando na 15.ª posição.

O austríaco Alexander Gritsch foi o melhor na classe H4, com 45’00’’69, sendo acompanhado no pódio pelo francês Joseph Fritsch, que ficou a 9,50 segundos, e pelo neerlandês Jetze Plat, a 1’18’’86.

Flávio Pacheco gastou mais 5’13’’29 do que o vencedor. Carlos Neves ficou a 12’48’’36.

Telmo Pinão – Foto de arquivo

Já durante a tarde, Telmo Pinão conseguiu o nono lugar entre os 21 participantes de classe C2, e Bernardo Vieira foi o quarto entre os 12 paraciclistas que alinharam em C1.

Telmo Pinão completou a prova em 42’47’’73, mais 4’24’’68 do que o melhor registo, marcado pelo espanhol Maurice Eckhard Tio, 38’23’’05. O segundo classificado foi o checo Ivo Koblasa, a 53,04 segundos, e o terceiro Ryan Taylor, do Reino Unido, a 1’20’’93.

Bernardo Vieira cumpriu o contrarrelógio em 45’39’’48, mais 3’27’’62 do que o espanhol Ricardo Tem Argiles, que venceu, com 42’11’’86.

Bernardo Vieira – Foto de arquivo

O alemão Michael Teuber foi segundo, a 58,76 segundos.

O terceiro foi estadunidense Aaron Keith, a 1’44’’01.

Neste sábado começam as provas de fundo em Elzach.

Dos portugueses presentes na Alemanha vão competir os representantes nacionais nas classes H4 e H5, cujas provas, com 59,2 quilómetros, começam às 13h30.

Parceiros

Deixe uma resposta