Omnium com final eletrizante e portugueses no pódio

Omnium

Ivo Oliveira, no segundo lugar, e Rui Oliveira, na terceira posição, marcaram a presença portuguesa no pódio do concurso masculino de omnium do Troféu Internacional Município de Anadia, ganho pelo dinamarquês Matias Malmberg numa final eletrizante.

Leia também sobre o evento

Perseguição individual, Ivo Oliveira o melhor português

Texto: União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo

Final eletrizante leva dois portugueses ao pódio

O omnium de elite masculina foi uma das competições mais eletrizantes do segundo dia de competição, com mudança de liderança a cada uma das quatro corridas pontuáveis.

O galês William Roberts venceu o scratch, mas cedeu o topo da geral a William Perrett na corrida tempo.

A eliminação foi palco uma exibição portentosa dos gémeos Oliveira.

Rui ganhou a corrida e Ivo assumiu o comando da geral de omnium, entrando ambos nos dois primeiros lugares na decisiva corrida por pontos.

Numa prova com múltiplos ataques, sobressaiu a frieza do dinamarquês Matias Malmberg.

O corredor nórdico, que praticamente não fez qualquer movimentação digna de registo, guardou todas as energias para o último sprint.

Aí cortou a meta na segunda posição, somando seis pontos. Foi o suficiente para totalizar 97 pontos, empatando com Ivo Oliveira.

Matias Malmberg sagrou-se vencedor, porque o critério de desempate atribui o triunfo ao melhor no sprint final.

Rui Oliveira foi o terceiro, com 96 pontos.

João Matias (Tavfer-Mortágua-Ovos Matinados) esteve perto do pódio, sendo quarto classificado, com 91 pontos.

Omnium
Pódio de Omnium

Omnium feminino teve uma configuração completamente distinta

A competição de feminina de omnium teve uma configuração completamente distinta. A norueguesa Anita Stenberg dominou de fio a pavio, terminando com 130 pontos.

Teve um controlo excelente da corrida, marcando as adversárias mais diretas, gerindo as diferenças com mestria.

Pfeiffer Georgi, campeã britânica de fundo, em estrada, ficou a oito pontos, mas nunca esteve verdadeiramente perto de desalojar Anita Stenverg.

A terceira foi a francesa Marie le Net (FDJ Nouvelle-Aquitaine Futuroscope), a 12 pontos da vencedora.

O esloveno Zak Erzen mostrou uma maturidade competitiva acima da média para arrebatar o triunfo no omnium de juniores. Finalizou o concurso com 121 pontos, mais cinco do que o neerlandês Justus Willemsen.

O terceiro foi o basco Urko Vidal, a seis pontos do vencedor. João Martins (Póvoa Cycling Academy/CDC Navais) foi o melhor português, classificando-se no 11.º lugar.

As provas de velocidade estiveram resumidas aos contrarrelógios.

No quilómetro brilharam os espanhóis e sobrou a emoção.

José Moreno triunfou com 1’02’’954, batendo o compatriota Alejandro Martínez por um milésimo de segundo.

O russo Dmitry Nesterov fechou o pódio, a 318 milésimos do mais rápido.

As russas dominaram os 500 metros contrarrelógio.

Serafima Grishina impôs-se, com 35,534s, suplantando Ekaterina Gnidenko por 143 milésimos.

A neerlandesa Laurine van Riessen ficou com o terceiro lugar, gastando mais 290 milésimos do que a primeira.

Parceiros

Deixe uma resposta