Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Póvoa de Varzim, um trail com água e lama com fartura!

O mês de Janeiro está aí em força e muitas são as provas que preenchem o mês. A escolha é vasta e ao terceiro fim de semana colocou-se a questão, estrada ou trail? De um lado, a Meia Maratona Manuela Machado em Viana do Castelo, do outro o Trail da Póvoa de Varzim.

A nossa escolha recaiu por uma volta às origens e ofícios da região poveira.

Póvoa de Varzim
Foto: Sérgio Rodrigues

V Trail da Póvoa de Varzim

O Trail da Póvoa de Varzim aconteceu no Domingo (19) de Janeiro pelas 9:30horas em Navais, Póvoa de Varzim e foi uma organização do Centro Desportivo e Cultural de Navais, com o apoio da Junta da União das Freguesias de Aguçadoura e Navais e da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim.

A compor o evento que este ano fez parte do calendário nacional da Taça de Portugal de Trail Running estiveram três distâncias, duas competitivas com um trail longo de 35 quilómetros e um curto na distância de 17 quilómetros e ainda uma caminhada sem fins competitivos e somente de promoção da saúde e do bem estar na extensão de 9 quilómetros.

A equipa de OPraticante.pt esteve presente no evento e agora apresentamos todas as notas como tudo decorreu.

Póvoa de Varzim
Foto: Sérgio Rodrigues

Percurso sem grande altimetria na Póvoa de Varzim

A descrição que será feita do percurso irá ser do trail curto que foi onde estive presente. Tanto o trail curto como o trail longo tiveram partida do Parque Desportivo Alberto Silva em Navais.

Logo após a saída do parque desportivo, os atletas entravam em terreno florestal e logo tinham uma ideia do que seria este trail, muita água e muita lama. Ao primeiro quilómetro e já estava o trilho congestionado com muitos atletas a quererem evitar molhar os pés.

Os primeiros sete quilómetros que percorreram os terrenos florestais entre a freguesia da Navais e Estela foram muito rolantes e por vezes com alguns segmentos onde o rimo podia ser aumentado visto ser passagens com estradões, por um segmento na ecopista no antigo ramal de comboio que ligava Famalicão a Póvoa de Varzim e ainda junto ao aeródromo de Laundos.

Póvoa de Varzim
Foto: Sérgio Rodrigues

Laundos, o palco principal do TPV

Apesar de a prova ter partida e chegada na freguesia de Navais, o foco principal do trail curto foi a freguesia vizinha de Laundos e a entrada na localidade é feita com a ascensão de uma entrada no Monte de São Félix e com muitos a baixarem a cabeça na subida para saudarem o santo.

Não era uma subida de grande dificuldade pelo que todos a fizeram relativamente fácil e sem contar já íamos no décimo quilómetro e com o abastecimento colocado nesse ponto fulcral desta prova, a entrada do escadório do Monte de São Félix.

Mais ou menos saciados, a custo ou com vontade, com mais ou menos pose para a fotografia, os atletas tinham de subir as escadas até ao topo.

Como tudo que sobe, acaba-se por descer e atingido o ponto mais alto da prova, os quilómetros seguintes seriam em terreno descendente.

Será que as dificuldades tinham terminado? Pelo contrário!

Póvoa de Varzim
Foto: Sérgio Rodrigues

Quilómetros finais marcados pela água e lama

Saindo do Monte de São Félix, o trilho trazia os atletas de volta ao plano de Laundos e desde o quilómetro doze que os atletas corriam lado a lado com um curso de água e este como que a fazer o convite para irmos lá molhar os pés.

Já se sabe que a natureza é mais forte que nós e então somos como que obrigados a aceitar o convite e é metidos num riacho com água gelada pelas canelas que os atletas percorrem o quilómetro treze.

Foto: Desvasta Trilhos

Os últimos quilómetros de prova que trazem os atletas até Navais não permitem muitas velocidades, ou se calhar até permitiam, mas a chance de cair era elevada.

O caminho fazia-se por caminhos agrícolas e terrenos florestais onde a lama, as poças e cursos de água eram o pão nosso e que tornaram o trail curto ainda mais divertido.

Foto: Desvasta Trilhos

Em suma, o percurso do trail curto do Trail da Póvoa de Varzim foi um percurso sem grandes dificuldades de altimetria, no total a altimetria rondava os 400 positivos, bom para quem queria fazer um trail sem grandes problemas.

A principal dificuldade estava mesmo nos quilómetros finais da prova com o trilho a entrar em água e lama. É um tipo de terreno que não agrada a todos, mas se não querem sujar ou molhar os pés, estão no desporto errado.

No que toca ao trail longo, o percurso com 35 quilómetros para além das passagens no trilho do trail curto levava os atletas até as localidades vizinhas de Paradela, Rates, Rio Mau e Terroso e apresentava um desnível positivo de cerca de 1300m.

Foto: Desvasta Trilhos

Bruno Ribeiro vence Trail Longo do V Trail da Póvoa de Varzim

O grande vencedor dos 35 quilómetros que compuseram o trail longo do Trail da Póvoa de Varzim foi Bruno Ribeiro do Águias de Alvelos que fechou a prova com 03:00:43.

Completaram o pódio, Nuno Carneiro do NAST-Núcleo Associativo de Santo Tirso com 03:04:07 e Ricardo Campos do ARC Vale S Cosme com 03:05:32.

Pódio trail longo

Raquel Andrade vence sector feminino

Na vertente feminina da prova, a vencedora foi Raquel Andrade que venceu com um tempo final de 04:12:07. Fecharam os lugares cimeiros Sara Ferreira com 04:19:17 e Joana Rodrigues do NAST – Núcleo Associativo De Santo Tirso com 04:22:58.

A prova teve vencedores por escalão e estes foram os seguintes:

Na competição masculina venceram Eurico Pereira do EDV – Viana Trail (Sub23), Nuno Carneiro do NAST – Núcleo Associativo de Santo Tirso (Séniores), Bruno Ribeiro do Águias de Alvelos (M40), Carlos Cardoso do Águias de Alvelos (M45), Pedro Marques (M50), Valdemar Almeida do Invicta Runners Team (M55) e Amadeu Teixeira do Nos Acreditamos (M60).

Na competição feminina triunfaram Melissa Sobral (Sub23), Raquel Andrade (Séniores), Blandine Craveiro do Marão Trail (F40), Cristina Silva do Sérgio Rodrigues Fotografia (F45) e Mira Matias do Free Tibet/Os Pecaninos (F50).

Competição por equipas

Na competição por equipas, a vitória foi para o ARC Vale S. Cosme com 21 pontos. Completaram o pódio o Águias de Alvelos com 31 e NAST – Núcleo Associativo De Santo Tirso com 70.

Póvoa de Varzim
Nelson Loureiro – OPraticante.pt

Nelson Loureiro bisa na Póvoa de Varzim e dá a vitória ao OPraticante.pt no trail curto

No que diz respeito ao trail curto, o grande vencedor da prova, a repetir a façanha do ano passado e a representar o nosso projecto foi Nelson Loureiro.

A indecisão da vitória foi levada quase até à linha de meta já que a marcação entre Nelson Loureiro e João Ferreira do AiróRun decorreu durante toda a prova.

No final, vitória para o atleta de OPraticante.pt com 01:11:13 ficando o atleta do clube barcelense a sete segundos. Completou o pódio Tiago Pinto do DouroConta Trail Team com 01:14:22.

Pódio trail curto

Cláudia Pereira vence competição feminina

No que toca à vertente feminina desta prova a vitória foi para Cláudia Pereira que terminou a prova com 01:36:25. A atleta que tem o seu foco na competição de estrada, aos poucos vai se aventurando nos trilhos e vai tendo as suas conquistas.  Fecharam o pódio Raquel Gonzalez do Boavista Trail com 01:37:29 e Vanesa Diéguez do Objetivo Trail com 01:38:49.173.

Cláudia Pereira

A prova teve vencedores por escalão e estes foram os seguintes:

Na competição masculina venceram Rui Magalhães do Cabeceiras Bike Team (Sub23), João Ferreira do AiróRun (Séniores), Nelson Loureiro do OPraticante.pt (M40), Abílio Fernandes do OPraticante.pt (M45), José Pereira do AiróRun (M50), Armindo Araújo do Núcleo – Sporting Clube Portugal – Famalicão (M55) e António Rodrigues do OPraticante.pt-Afipre Team (M60).

Na competição feminina triunfaram Clara Lopes do B.T.M. (Sub23), Raquel Gonzalez do Boavista Trail (Séniores), Cláudia Pereira do (F40), Elisabete Ministro do Palmeira Runners (F45), Deolinda Faria do AiróRun(F50), Paulina Soares do Tog(F55) e Conceição Queiroz do Fonix(F60).

Competição por equipas

Na competição por equipas, a vitória foi para o Cabeceiras Bike Team com 30 pontos. Fecharam o pódio OPraticante.pt com 38 e AiróRun com 61.

Póvoa de Varzim
Parte dos atletas que representaram OPraticante.pt

OPraticante.pt com dupla presença no Trail da Póvoa de Varzim

O OPraticante.pt participou no V Trail da Póvoa de Varzim com atletas a representam somente a equipa do nosso projecto e atletas na parceria com a equipa Afipre Team.

No que toca aos atletas que representaram somente a equipa o saldo traduziu-se em dois pódios individuais e ainda o segundo lugar na classificação colectiva no trail curto. Eis os resultados completos:

Nelson Loureiro (1º geral / 1º M40) – 01:11:13 # Henrique Loureiro (16º geral / 10º sénior) –  01:22:04 # Abílio Fernandes (21º geral / 1º M45) – 01:22:34 # Tiago Lopes (46º geral / 23º sénior) –  01:34:20 # Célia Neto (156º geral / 8ª sénior) – 01:51:03 # Carlos Morais (192º geral / 27º M45) – 01:56:53 # Helena Santos(394º geral / 37ª sénior) – 02:48:42.

Três pódios individuais no trail curto

Em relação à parceria com a Afipre Team o saldo também foi positivo com a obtenção de três pódios individuais no trail curto. Eis os resultados completos:

Hélder Borges (34º geral / 10º M40) – 01:29:01 # Heitor Ortiga  (66º geral / 7º M55) – 01:37:13 # António Rodrigues (91º geral /1º  M60) – 01:41:28 # Paulo Abreu (129º geral / 18º M45) – 01:47:51 # Rosa Vaz (198º geral /2ª F50) – 01:57:45 # Fernando Vaz (227º geral / 19º M50) – 02:02:02 # Maria Oliveira (265º geral /4ª F50) – 02:07:57 # Aurora Silva  (282º geral /6ª F50) – 02:11:44 # Adelaide Veludo (288º geral /5ª F60) – 02:12:45 # Nuno Fernandes (355º geral /129ª sénior) – 02:31:14 # Filomena Soares (416º geral /5ª F60) – 03:11:48.

Adelaide Veludo

Evento com organização irrepreensível e de grande valia

A nossa equipa já tinha estado presente no Sunset Trail da Póvoa de Varzim que decorre no mês de Agosto e na altura tínhamos ficado impressionados com a organização que a prova demonstrou.

Quando nos inscrevemos nesta prova de Janeiro sabíamos que a qualidade estaria presente e no final não saímos defraudados com as expectativas criadas, bem pelo contrário, um evento de excelência organizativa.

 

O evento tinha o seu palco no Parque Desportivo de Navais e onde estavam reunidas todas as condições logísticas para um excelente evento.

 

No edifício principal estavam as principais valências onde no piso superior estavam o secretariado e o refeitório para o almoço e no piso de baixo as casas de banho e balneários.

Na entrada do espaço a linha de partida e chegada bem isolada e delimitada dos restantes espaços, à direita o espaço do pódio e de recolha do prémio final e abastecimento líquido e do lado esquerdo, espaço para os atletas confraternizarem.

Em suma, em termos de valências e espaço, tudo no seu lugar e a não faltar nada e assim tanto no pré-prova como no pós-prova tudo decorreu com normalidade e sem problemas.

Póvoa de Varzim
Foto: Sérgio Rodrigues

Secretariado expedito e com boas ofertas aos atletas

O secretariado do evento funcionou de forma rápida com pouco tempo de espera.

Na antevisão deste evento mencionamos que este promovia as raízes locais e como tal o kit do atleta e as ofertas que eram entregues tal como já aconteceu no trail de Agosto, reflectiram essas raízes e assim os atletas receberam um saco de alças de boa qualidade do município local, que continha o dorsal com chip, uma t-shirt técnica amarela alusiva à prova e ainda uma peça de tapeçaria que é uma das imagens de marca desta zona.

Póvoa de Varzim

Quem nunca foi à Póvoa e a Apúlia comprar cebolas e batatas?

Após a prova, para além da medalha finisher, os atletas recebiam como prémio final, um saco com produtos agrícolas cultivados na zona, sendo que o saco continha cenouras, batatas e cebolas.

Póvoa de Varzim

Os atletas recebiam ainda senhas para o almoço final que era composto por sopa, feijoada com arroz, bebida, pão e café.

Para um preço de inscrição na prova de dez euros no trail curto e quinze no trail longo, o que os atletas receberam está a um nível elevado e com um toque de originalidade nas ofertas disponibilizadas.

É daquelas provas que o atleta ao vir para casa sente que deu por bem empregue o seu dinheiro, pois leva um empeno nos trilhos e depois é bem aviado nas ofertas!

Póvoa de Varzim

Qualidade estendeu-se aos trilhos

A grande capacidade organizativa da prova estendeu-se ao percurso apresentado.  Aos atletas foi apresentado um trilho de qualidade, bem marcado, sinalizado e fitado.

Em nenhum momento houve problemas com as marcações. Sempre bem assinalado no momento de separação de provas, no momento em que haviam zonas de maior perigo.

Ao longo dos quilómetros estiveram vários voluntários nos cruzamentos da prova. Destaque ainda para a presença dos GOBS no topo da escadaria do monte de São Félix onde havia uma descida mais íngreme e estava colocada uma corda para auxiliar os atletas.

A zona de chegada não teve confusão uma vez que os espaços de chegada e saída estavam vedados e como o local era amplo tudo decorreu de feição.

Bom abastecimento intermédio

O trail curto teve um abastecimento por volta do décimo quilómetro no início da escadaria de São Félix e só podemos elogiar o que foi apresentado aos atletas com uma mesa farta rica em vários alimentos e bebidas.

Para quem aprecia um trail pelos abastecimentos que este apresenta, certamente ficou satisfeito no Trail da Póvoa de Varzim.

De notar que o trail longo teve ainda mais dois pontos de abastecimento.

Trail e Sunset Trail da Póvoa de Varzim – dois trails que se conjugam no objectivo de mostrar as raízes e a cultura poveira!

Quem participa no Trail da Póvoa de Varzim e no Sunset Trail da Póvoa de Varzim leva para casa uma amostra da história e das vivências desta zona litoral.

Se no trail da Agosto nos é apresentado um percurso mais junto à zona costeira e pelos campos de cultivo, neste trail já nos é apresentada uma visão mais interior, do trabalho mais pesado, da religiosidade e da misticidade do culto ao eremita São Félix e da sua ligação ao São Pedro de Rates.

Póvoa de Varzim
Foto: Sérgio Rodrigues

Resumindo é apresentado o modo de vida poveiro, gente de fibra, de trabalho e onde a praia e o sol é quase em exclusividade para os forasteiros!

As duas provas primam pela excelente organização, em nenhuma delas há algo de errado a apontar. No caso do trail de Janeiro temos é que elogiar ainda mais pois a afluência de atletas é ainda maior e tudo decorreu sem qualquer problema.

Em termos de afluência, o trail curto obteve 421 atletas finalizadores, obteve um ligeiro aumento em relação ao número anterior de 402, ou seja é um trail que já tem o seu público conquistado pois nas cinco edições da prova nunca alterou muito a sua afluência.

O trail longo teve 110 finalizadores caindo em relação aos 138 do ano passado. Este ano não se verificou a prova de ultra trail.

Para todo o atleta que deseja participar numa prova de trail, sem grandes dificuldades, num ambiente descontraído e de boas paisagens e que não pretenda entrar em loucuras económicas e ir para casa satisfeito, tem no Trail da Póvoa de Varzim uma boa escolha.

Página do evento.

Evento 2020.

Póvoa de Varzim
Sunset Trail da Póvoa de Varzim

Sunset Trail será em Agosto, aponta na agenda

Em Agosto mencionamos que voltaríamos ao Sunset Trail, agora dizemos que voltaremos também em Janeiro para a sexta edição do Trail da Póvoa de Varzim!

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: Cedidas pelo Trail Póvoa de Varzim

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta