JS3 concretiza o sonho do skif adaptado

js3Para o leitor que não teve a oportunidade de me conhecer através do artigo “José Santos (JS3) dá-se a conhecer”, sou o José Santos (JS3), nasci a 21 de janeiro de 1981, com uma Encefalopatia Crónica Não-Progressiva da Infância (ou, no termo antigo, paralisia cerebral), sou formado em engenharia multimédia e atleta de competição em Remo (Classe LTA) e Vela (Classe Acess) no Sport Club do Porto.

A convite d’ O Praticante escrevi um artigo, que saio no passado dia 3 de dezembro de 2015, a falar sobre a minha paixão pelo Remo e Vela, e, claro, pela Vida. Quase a finalizar esse texto, falei um pouco sobre a campanha de crowdfunding lançada por mim a 15 de agosto de 2015 (engraçado, fez dia 15 de dezembro quatro meses) e que aquando da publicação do artigo faltavam cerca de 800 euros para os 4.200 necessários.

Escrevo faltavam, porque no passado domingo, dia 13, como também escrevi nesse artigo, aconteceu o evento “Convite: Se consigo, é a Viver!”, um jogo de andebol muito especial e organizado pelo projecto “Jomaria – Design Gráfico e de Eventos”, com o apoio da ADA ISMAI, da Assoc. Andebol do Porto e do Pav. Municipal da Maia, e que, com donativos da plateia, da organização e dos jogadores/árbitros, consegui juntar os pedacinhos que estavam em falta (600 euros) para conseguir o skif.

js301Jomaria é o projecto de Joana Santos, mais uma pessoa fora de série que revi e, pode-se dizer, conheci graças à onda gigante que se formou para conseguir o, AGORA MEU, skif adaptado (já encomendado e tudo). A Joana, tal como já fui mais, tem a mania de minimizar a sua conquista… deu-me os parabéns e claro que saiu-me o “WTF???” – Andou semanas a mover montanhas, a dormir 2/3 horas, consegue acelerar o final desta conquista e… Parabéns a mim??? LOL. Fica então aqui a minha justiça para com ela e toda a máquina que gerou para tal. Obrigadooooooo.

Logicamente que é impossível esquecer todo o caminho ou não tivesse sido a frase do crowdfunding “Não existe um todo sem pedacinhos!”… Até sei de onde veio o primeiro donativo e que mais uma vez me prova (o acontecimento em si) que tudo acaba por se interligar. Mas avançando, nunca esquecerei cada pedacinho dado, cada experiencia conseguida, cada Ser que conheci / vivi através deste crowdfunding, ideia do meu “irmão” Pedro Afonso. Foram palavras sentidas que recebi, foram lágrimas de vidas preenchidas que vi, foram abraços, foram entrevistas, foram artigos, foram reportagens, foram vídeos e muita fotos… Uma onda verdadeiramente gigante, maior até do que todas da Nazaré.

Não, não é o dinheiro que fica… Mais uma vez e como será sempre, é a força que a união e partilha têm. Aliás, fica aqui o meu pedido em forma de hashtag’s #partilhaomundoecagaparaoumbigo #behappy

E para finalizar, por falar em partilhar o mundo, há duas semanas recebi a boa nova que o Clube Zupper, amigo dos grandes Budeguita Runners / Eu Corro por Ti, havia decidido doar 50 cêntimos por cada inscrição na Corrida São Silvestre de Ermesinde, para o meu skif. Visto que já o consegui, falei com 2 Budeguita’s e estes com toda a equipa bem como com o Clube Zupper e decidimos que 100% da quantia conseguida nessa caminhada / corrida (dia 18 de dezembro) foi para o Afonso, uma criança com uma doença rara / desconhecida, para ajudar na descoberta dessa. Porque o mundo é para partilhar.

Obrigadooo a todos

JS3 José Santos

Parceiros

Deixe uma resposta