Filme da 9 ª Etapa – Boticas – Mondim de Bastos / Srª da Graça 145.5 km

Mauricio Moreira da Efapel vence no alto da Senhora da Graça a 9ª etapa em linha, e Amaro Antunes do W-52 FC Porto mantém a amarela no grande filme que foi a etapa.

Leia também

Prólogo, o filme da etapa – Lisboa/Lisboa 5.4 km

Filme da 1ª Etapa – Torres Vedras / Setúbal – 175,8 km

Filme da 2ª Etapa – Ponte de Sôr / Castelo Branco – 162,1 km

Filme da 3ª Etapa – Sertã/Torre – 170,3 km

Filme da 4ª Etapa – Belmonte/Guarda 181,6 km

Filme da 5ª Etapa – Águeda – Sto. Tirso 171,3 km

Filme da 6 ª Etapa – Viana do Castelo – Fafe – 182,4 km

Filme da 7 ª Etapa – Felgueiras – Bragança – 193,2 km

Filme da 8 ª Etapa – Bragança – Montalegre / Serra do Larouco – 160,7 km

Texto: José Morais – Noticias do Pedal
Fotos: Podium

Amara Antunes

Amaro Antunes saiu de Botica de Amarelo

A um dia de terminar a 82ª Volta a Portugal em bicicleta, Amaro Antunes da W52-FC saia ontem de Boticas de Amarelo, depois de ontem ter ganho a mesma no alto da Serra do Larouco, na 8ª etapa em linha, com a vitória da etapa a ser ganha por Kyle Murphy da Rally Cycling.

Será que Amaro Antunes vai repetir o feito de 2020, ao vencer no alto do Monte Farinha em Mondim de Bastos na mítica Senhora da Graça?

Se o atual Camisola Amarela que saiu hoje de Boticas conseguir conquistar a difícil subida, um Prémio de Montanha de 1ª categoria, a qual vai coincidir com a chegada, talvez hoje (ontem) tenhamos o vencedor desta edição da Volta a Portugal.

Caso isso não aconteça e possa haver mudanças, teremos de esperar até Viseu, por agora fique com o filme da etapa.

Dia de Senhora da Graça, as primeiras pedaladas:

A Senhora da Graça surge no penúltimo dia, quando a luta pela amarela está intensa, na 82ª Volta a Portugal Santander.

A mítica subida é sempre um dos pontos de maior interesse na corrida, o que os ciclistas tiveram de enfrentar antes, ia ajudar a preparar um final de etapa ainda mais emocionante.

Serão 145,5 quilómetros entre Boticas e Mondim de Basto, com a meta no Alto da Senhora da Graça, há cinco contagens de Montanha que começam bem cedo na tirada,
Sabroso de Aguiar ao km 21,1 quilómetros,
Torgueda ao km 70,8,
Velão ao km 80,5
e antes de se atacar o Monte Farinha de primeira categoria,
os ciclistas tinham de ultrapassar a subida do Barreiro ao km 101,2.

As Metas Volantes estavam instaladas em:
Pedras Salgadas ao km 25,9,
Vila Real ao 58,8
e Mondim Basto ao km133,8,
esta etapa será a última em linha, pois este domingo é dia de contrarrelógio individual 20,3 km, em Viseu.

filme

Partida simbólica:

Eram 13:05 e já se pedalava em Boticas, na nona etapa da 82ª Volta a Portugal Santander, e relembrava-se as classificações.

Camisola amarela:

Na Volta a Portugal Edição Especial 2020, Amaro Antunes venceu na Senhora da Graça e subiu então ao primeiro lugar da geral da corrida pela primeira vez na carreira, que haveria de conquistar no final.

Este ano, o ciclista da W52-FC Porto vestiu a Camisola Amarela Santander anteontem no Larouco e partia para a penúltima etapa com 14 segundos de vantagem sobre Alejandro Marque da Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel e 18 sobre Frederico Figueiredo da Efapel.

Os restantes do top 10, eram, 4º Mauricio Moreira da Efapel, a 50 segundos, 5º Henrique Casimiro da Kelly/Simoldes/UDO a 57, 6º Joni Brandão do W52-FC Porto a 58, 7º José Félix Parra da Kern Pharma a 1:52 minutos, 8º Abner González da Movistar a 1:53, 9º António Carvalho da Efapel a 2:15, 10º Tiago Antunes da Tavfer-Measindot-Mortágua a 2:33.

Líder dos pontos:

Rafael Reis enverga a Camisola Verde Rubis Gás, liderava a classificação dos pontos com 118, Luís Gomes da Kelly/Simoldes/UDO somava 84, e o americano Ben King da Rally Cycling 78.

EFAPEL

Rei da montanha:

Bruno Silva da Antarte-Feirense entrava para a última etapa em linha como líder na montanha, vestindo a Camisola Continente, tinha 46 pontos, com Roniel Campos da Louletano-Loulé Concelho a somar 35 e Rafael Silva da Antarte-Feirense e Amaro Antunes da W52-FC Porto, ambos com 30.

Juventude:

Abner González da Movistar) mantinha a Camisola Branca Jogos Santa Casa com uma larga vantagem sobre Pedro Miguel Lopes, eram 26:02 minutos de diferença, sendo que na terceira posição surgia mais um dos jovens da Kelly/Simoldes/UDO, Hélder Gonçalves, a 52:55.

Classificação por equipas:

A Efapel liderava a classificação por equipas, a W52-FC Porto regressava ontem ao segundo lugar, a 9:16 minutos do primeiro, seguindo-se a Kelly/Simoldes/UDO, a 18:14.

Partida real, inicio do filme de uma etapa emocionante:

Eram 13:17, está na estrada a nona etapa a penúltima da 82ª Volta a Portugal Santander, Boticas-Mondim de Basto/Senhora da Graça, 145,5 quilómetros, no pelotão eram 88 corredores à partida, alinharam todos.

Primeiras movimentações:

Vicente Garcia de Mateos e Bruno Silva da Antarte-Feirense e Rafael Reis da Efapel tentavam sair do pelotão ao quilómetro 2,5.

Na tentativa de fuga ao km 3, eram sete os ciclistas na frente:
Rafael Reis da Efapel;
Joaquim Silva e Pedro Pinto da Tavfer-Measindot-Mortágua;
Roniel Campos da Louletano-Loulé Concelho;
Vicente Garcia de Mateos e Bruno Silva da Antarte-Feirense;
Aleksandr Grigorev da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel,
com uma vantagem de 10 segundos para o pelotão.

Fuga:

Juan Diego Alba da Movistar e Luís Mendonça da Efapel também saiam do pelotão, eram na altura nove os ciclistas na frente da corrida, com uma vantagem de 10 segundos para o pelotão.

Aumenta um pouco a vantagem:

Entretanto ao quilómetro 13 a vantagem para o pelotão subia para os 20 segundos.

filme

A fuga continuava:

E na subida de Sabroso de Aguiar, ao quilómetro 17, a vantagem dos ciclistas da frente para o pelotão aumentava para 35 segundos.

Entretanto Luís Mendonça da Efapel descolava da frente da corrida, e era alcançado pelo pelotão, e estavam oito ciclistas na frente de corrida.

Vantagem dos fugitivos a aumentar:

E ao quilómetro 22 e a diferença entre ciclistas da frente e pelotão era de 45 segundos.

Surge o Prémio de Montanha em Sabroso de Aguiar, de quarta categoria ao km 21,1 quilómetros, era a primeira de cinco subidas nesta etapa, com o 1º a ser Bruno Silva da Antarte-Feirense, 2º Roniel Campos do Louletano-Loulé Concelho, 3º Vicente Garcia de Mateos da Antarte-Feirense.

A vantagem na passagem pela meta volante em Pedras Salgadas ao km 25,9 a diferença era de 55 segundos, com a Efapel a liderar o pelotão.

filme

Rafael Reis o primeiro na primeira Meta volante:

E na primeira Meta Volante do dia, em Pedras Salgadas ao km 25,9 quilómetros, o 1º era Rafael Reis da Efapel, 2º Aleksandr Grigorev da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel, 3º Roniel Campos do Louletano-Loulé Concelho.

Entretanto a fuga tinha mais de um minuto, os oito ciclistas da frente tinham, ao quilómetro 29, 1:15 minutos de vantagem para o pelotão.

Melhor na geral:

Dos corredores que estavam em fuga, Vicente García de Mateos da Antarte-Feirense era quem estava melhor na classificação geral, era 16º, a 6:03 minutos.

A diferença da fuga tinha 1:20 minutos de vantagem para o pelotão, ao quilómetro 40.

Uma hora de corrida:

E na primeira hora de corrida tinham sido percorridos 41,5 quilómetros, e havia ataque na frente, Vicente García de Mateos da Antarte-Feirense tentava atacar na frente da corrida, mas era alcançado.

Os ciclistas rolam novamente todos juntos., menos Pedro Pinto da Tavfer-Measindot-Mortágua que descolou e ficava para trás.

No pelotão:

Pedro Pinto da Tavfer-Measindot-Mortágua era apanhado pelo pelotão, estavam agora sete ciclistas na frente da corrida, com 1:45 minutos de vantagem, ao quilómetro 45, e ao quilómetro 53 a diferença chegava aos dois minutos.

Rafael Reis volta a ser o primeiro em nova Meta volante:

E na passagem da segunda meta volante do dia, em Vila Real ao km 58,8, o 1º era Rafael Reis da Efapel, 2º Bruno Silva da Antarte-Feirense, 3º Aleksandr Grigorev da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel, mas havia objetivos na fuga.

Rafael Reis da Efapel estava a caminho de garantir a conquista da Camisola Verde Rubis Gás da classificação dos pontos.

Enquanto Bruno Silva da Antarte-Feirense procurava segurar a Camisola Continente e assim tornar-se o rei da montanha na Volta a Portugal, quando na corrida a diferença entre fuga e pelotão era de 2:05 minutos.

filme

Vantagem da fuga estava estável

Entretanto a vantagem da fuga estava estável, sempre a rondar nos dois minutos, e ou uns segundos acima, ou uns segundos abaixo.

Ao quilómetro 66, era de 1:50, mas, entretanto, a três quilómetros do Prémio da Montanha na Torgueda a diferença caia bastante para 1:25 minutos.

A Efapel a liderar o pelotão, quando na passagem do Prémio de Montanha na Torgueda ao km 70,8, a diferença entre fugitivos e pelotão era de 1:40 minutos.

Prémio de montanha:

E no segundo Prémio de Montanha do dia, uma terceira categoria na Torgueda ao km 70,8 quilómetros, o 1º era Bruno Silva da Antarte-Feirense, 2º Roniel Campos do Louletano-Loulé Concelho, 3º Joaquim Silva da Tavfer-Measindot-Mortágua, 4º Vicente García de Mateos da Antarte-Feirense.

A vantagem a diminuir entre fugitivos e pelotão

A três quilómetros do Prémio de Montanha no Velão era de 1:30 minutos, mas havia mudanças, a Burgos-BH assumia na subida de Velão a frente do pelotão.

Após as duas horas de corrida a média era de 39,1 quilómetros/hora, quando mudava novamente a frente do pelotão, eram dois ciclistas da Movistar, um Kern Pharma e a Efapel.

Pelotão aproxima-se dos fugitivos

E na passagem pelo Prémio de Montanha no Velão ao km 80,5, o pelotão baixava a diferença para frente da corrida a um minuto, com a Kern Pharma a impor o ritmo no pelotão.

Na passagem pelo terceiro Prémio de Montanha do dia, de quarta categoria no Velão ao km 80,5 quilómetros, o 1º era Bruno Silva da Antarte-Feirense, 2º Roniel Campos do Louletano-Loulé Concelho, 3º Vicente García de Mateos da Antarte-Feirense.

Sempre a diminuir:

Entretanto a diferença baixava para os 45 segundos entre fugitivos e pelotão, quando na fuga, os fugitivos já estavam na subida do Barreiro, assim como o pelotão que estava apenas a 45 segundos a separar.

Entretanto a situação na corrida, era complica por problemas de rede

Alguns problemas de rede estavam a dificultar o direto, mas tentava-se dar conta do que estava a acontecer na subida do Barreiro.

A fuga era, entretanto, alcançada pelo pelotão, e 11 ciclistas saíam pouco depois, entre eles o Camisola Amarela Santander, Amaro Antunes da W52-FC Porto, e os respetivos rivais na luta pela geral.

Média:

Joni Brandão da W52-FC Porto e Alejandro Marque da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel, juntavam-se à frente da corrida, de onde sai António Carvalho da Efapel.

João Rodrigues da W52-FC Porto mantinha-se na frente, havia 20 segundos de vantagem para o grupo do Camisola Amarela, e a passagem pelas três horas de corrida, a média era de 38,1 quilómetros/hora.

Quarto Prémio de Montanha:

E no quarto Prémio de Montanha, de primeira categoria, no Barreiro ao km 101,2, o 1º era Frederico Figueiredo da Efapel, 2º Mauricio Moreira da Efapel, 3º Amaro Antunes da W52-FC Porto.

Três com vantagem a 15 kms da meta

E estava-se a 15 quilómetros da meta, Brandão, Rodrigues e Marque tinham 40 segundos de vantagem sobre o grupo do camisola amarela.

Na terceira e última Meta Volante do dia, em Mondim de Basto ao km 133,8 quilómetros, o 1º era João Rodrigues da W52-FC Porto, 2º Joni Brandão da W52-FC Porto, 3º Alejandro Marque da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel.

filme

Na frente:

João Rodrigues descolava, Joni Brandão e Alejandro Marque na frente.

Já se subia a Senhora da Graça, o grupo do Camisola Amarela estava a 40 segundos de Joni Brandão e Alejandro Marque.

João Rodrigues era apanhado pelo grupo do Camisola Amarela, o companheiro de equipa, Amaro Antunes.

Ataque:

Joni Brandão tentava deixar Alejandro Marque para trás na frente da corrida, João Rodrigues descolava do grupo do camisola amarela.

Brandão tinha cinco segundos de vantagem para Marque e 35 para o grupo do camisola amarela, Amaro Antunes.

Alejandro Marque perdia tempo:

Marque perdia tempo, estava a 15 segundos de Brandão que liderava na Senhora da Graça, mas Marque era apanhado pelo grupo do camisola amarela.

Joni Brandão seguia na frente isolado, com cerca de 30 segundos de vantagem, a menos de quatro quilómetros para a meta.

filme

Meta quase à vista:

Joni Brandão a dois quilómetros da meta, mas Amaro Antunes da W52-FC Porto.

Mauricio Moreira da Efapel ficavam sozinhos na perseguição a Joni Brandão da W52-FC Porto.

Entretanto, Mauricio Moreira da Efapel atacava e já estava na frente da corrida.

Vitória de Mauricio Moreira da Efapel

Mauricio Moreira da Efapel vence na Senhora da Graça, em segundo lugar cortava a meta Amaro Antunes o Camisola Amarela, seguido pelo colega da W52-FC Porto, Joni Brandão.

EFAPEL
Mauricio Moreira

Camisola Amarela Santander:

Amaro Antunes da W-52 FC Porto continuava de Amarelo, depois de cortar a meta em segundo lugar na Senhora da Graça, Mauricio Moreira da Efapel), que venceu a etapa, fica a 42 segundos de Amaro na classificação geral e o colega de equipa Frederico Figueiredo é terceiro, a 55 segundos.

Classificação geral provisória após etapa:
1º Amaro Antunes (W-52 FC Porto) – 39:13:35
2º Mauricio Moreira (Efapel) – a 42 segundos
3º Frederico Figueiredo (Efapel) – a 55 segundos

Top 3 – 9ª Etapa Volta a Portugal Santander
Classificação geral da etapa (provisória):

1º Mauricio Moreira (Efapel) – 3:47:36 horas
2º Amaro Antunes (W52-FC Porto) – a 8 segundos
3º Joni Brandão (W52-FC Porto) – a 14 segundos

Parceiros

Deixe uma resposta